Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TURISMO

Com a pandemia, Bonito virou sonho de consumo para os moradores do Estado

Destino turístico é conhecido internacionalmente como um dos melhores do mundo
09/09/2020 11:00 - Da Redação


Silvio Andrade

 

A pandemia do coronavírus mudou conceitos de entretenimento e prazer do viajante brasileiro e também gerou uma mudança de perfil dos visitantes. 

Antes, a maioria dos turistas que visitava Bonito, um dos maiores destinos de ecoturismo do Brasil, era de outros estados; agora, os sul-mato-grossenses estão descobrindo as belezas naturais do lugar, e as reservas estão em alta. 

Com um incentivo a mais: promoções de pacotes com até 60% de desconto para os nativos.

O consagrado destino aposta nesse “novo viajante” e nos descontos tarifários, que valem até dezembro, com preços de baixa temporada praticados pelos 46 atrativos e redes hoteleira e gastronômica. 

Para obter os benefícios, basta o sul-mato-grossense comprovar sua naturalidade e desfrutar, com toda segurança sanitária, dos passeios e experiências incríveis.

Em julho, mais que dobrou o número de turistas do Estado em comparação com a média anterior à pandemia.

O turismo em Bonito retomou as atividades há dois meses, depois de fechar em 23 de março, cumprindo rigorosos protocolos de biossegurança elaborados pelos diversos segmentos da cadeia: hotelaria, agências, gastronomia, transporte, comércio, guias de turismo e atrativos. 

Além de apoiar estes setores, o Sebrae e o Sesi criaram o programa Bonito Seguro, em que dão consultas gratuitas de biossegurança para mais de 600 empresários inscritos.

Integração com a natureza

“Estamos com mais de 90% dos atrativos operando em sua plenitude, respeitando as restrições de capacidade de fluxo e uma série de medidas de segurança”, comemora Augusto Barbosa Mariano, secretário municipal de Turismo, Indústria e Comércio.

Depois de um recomeço tímido, com pouco mais de três mil visitantes para um mês (julho) em que a média era de 20 mil turistas e a ocupação hoteleira de 60%, agosto animou os empresários e os operadores, com lotação completa nos fins de semana. 

“O desejo do brasileiro de viajar e a vontade de sair de casa não se alteraram com a pandemia”, afirma Guilherme Poli, empresário do setor hoteleiro, vislumbrando um cenário favorável.

“Os destinos escolhidos vão mudar após o isolamento, haverá uma procura maior por experiências de integração com a natureza e Bonito é o lugar preferido, por oferecer áreas abertas e ao ar livre para grupos pequenos e em família”, observa Poli. 

“Como não dependemos do mercado externo, o turismo interno vai aquecer mais do que nunca e devemos estar preparados para isso, garantindo todas as respostas de segurança”.

 
 

Balneário municipal

Ainda sem o avião – a Azul deve retomar operações da cidade com Campinas em dezembro –, o aeroporto estadual passa por adequações operacionais para receber aeronaves de grande porte e ampliar o número de voos. 

Hoje, Bonito opera a pleno, exceto seu principal atrativo, a Gruta do Lago Azul, que integra a rede de unidades de conservação da Serra da Bodoquena. 

O município discute com o Estado a reabertura gradativa para ainda este ano.

O Balneário Municipal foi reaberto em agosto, após 130 dias, mas com restrições: estão proibidas aglomerações de qualquer tipo, incluindo rodas de tereré e narguilé, e uso das churrasqueiras. 

A capacidade máxima será de 300 pessoas por dia (200 bonitenses e 100 turistas) e o uso de máscaras é obrigatório – liberado, porém, para entrar no Rio Formoso com os cardumes de piraputangas.

Eventos em alta

O trade turístico está otimista, após dois meses de retorno, apesar do difícil recomeço: em julho, a ocupação hoteleira foi de 8%, para um período em que a média é de 60%. 

Mas quase triplicou o número de visitantes sul-mato-grossenses, reflexo da campanha promocional e confirmando a nova tendência de viagens em família, de carro e por distâncias menores. 

Em julho, a maioria dos turistas foi de paulistas (34,05%) e registrou-se a presença de estrangeiros.

“O cenário é favorável e Bonito está sendo uma preferência dos brasileiros nesse momento de busca do bem-estar”, analisa o empresário Guilherme Poli, presidente do Instituto de Desenvolvimento de Bonito (IDB). 

Segundo ele, os operadores já percebem uma maior demanda pelo destino para os próximos meses. 

Os eventos agendados para 2020 foram remarcados para 2021, com procura de novas datas.

Mais informações: www.bcvb.com.br/pt e www.bonito-in.com

 

 
 

Gruta do Lago Azul continua fechada

O turismo foi uma das atividades econômicas que mais assimilaram os impactos da pandemia, e Bonito foi um dos primeiros destinos a reabrir com todas as medidas de saúde e de segurança para a prevenção do coronavírus. 

Mais uma vez, o destino demonstrou profissionalismo, integração entre os segmentos e saiu na frente, superando as incertezas de uma volta em um momento crucial, que poderia ser um tiro no pé.

“De forma muito consciente, tomamos todas as medidas exigidas, com as parcerias importantes do governo, Sebrae, Senac e Sesc, e mais uma vez Bonito é uma referência, criando de forma inédita um sistema de biossegurança para o turista com sete protocolos específicos, os quais têm sido cumpridos à risca. 

Um recomeço que vai servir de experiência”, aponta o secretário municipal de Turismo, Augusto Mariano.

 
 

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...