Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COLUNA

CarMais

Confira as dicas e novidades sobre automóveis
11/02/2020 14:12 - Daniel Dias/AutoMotrix


Rebelde e comportado
O Evora GT410 é a mais recente versão do superesportivo da Lotus. Equipado com motor 3.5 V6 com 410 cavalos de potência e acoplado a um câmbio manual ou automático, ambos com 6 velocidades, o “bólido” britânico tem o mesmo peso da versão Sport – 1.361 quilos – mas conta com bancos esportivos Sparco, ar-condicionado, câmera de ré e sistema premium de entretenimento e lazer, com navegação, espelhamento Apple CarPlay e rádio digital DAB. O GT410 vem com configuração de suspensão revisada para condução um pouco mais suave e uma nova porta traseira com uma maior área envidraçada. O GT410 não é uma nova geração do Evora – segundo os engenheiros da lendária marca surgida da Fórmula-1, o carro é “uma senhora evolução”. Ao mesmo tempo em que utiliza uma suspensão mais macia, lança mão dos pneus Michelin Pilot Sport 4S para todas as estações e mais adequados a um uso diário durante todo o ano.

 
 

Quarto de século
O BMW Group completará vinte e cinco anos de atuação no Brasil em 2020, uma trajetória marcada pela conquista de novos clientes, implantação de duas fábricas – de motos em Manaus (AM) e de automóveis em Araquari (SC) –, ampliação da gama de veículos e a consolidação da marca no mercado brasileiro. Para celebrar esse momento histórico em solo nacional, o Grupo lançará mais de vinte e cinco produtos distintos no país, entre modelos inéditos, séries especiais e versões eletrificadas e híbridas, um dos focos do BMW Group a longo prazo. O novíssimo Série 2 Gran Coupé está confirmado para o Brasil ainda neste ano. Produzido na Alemanha, o modelo tem um estilo único, com silhueta alongada e amplo entre-eixos, que resultam em grande espaço na cabine e no porta-malas. Além dos itens de tecnologia e assistentes de condução semiautônoma, o modelo terá o BMW Inteligent Personal Assistant em português do Brasil – sistema que interage com os ocupantes do veículo por voz. A Mini trará ao país o inédito John Cooper Works GP, o mais rápido compacto já produzido pela fabricante britânica, revelado mundialmente no Salão de Los Angeles no fim do ano passado. O modelo tem produção global limitada a 3 mil unidades, todas numeradas, e oferece visual exclusivo e itens como spoilers dianteiros, entrada de ar no capô, detalhes escurecidos nas lanternas, adesivos alusivos à série especial e um amplo aerofólio traseiro com a sigla “GP” em vermelho, também presente na grade frontal.

 
 

Pelo menos viajar
Com o slogan “Melhor que Só Ver, é Viver”, a Jeep lançou a campanha que convidará trinta ganhadores com acompanhante a explorarem o “Espírito Jeep” em trinta destinos pelo Brasil. Cada vencedor ganhará também um “smart watch” da Apple como presente da Jeep Nation, clube de relacionamento e benefícios da marca norte-americana do Grupo FCA. Para participar da promoção, basta encontrar os códigos espalhados por diversos pontos de contato da fabricante, fazer um test-drive, se cadastrar no hotsite (destinos.jeep.com.br), escolher um local para viajar e torcer para ser um dos sorteados. A promoção se estende até o dia 25 de abril. “Com uma estratégia integrada que envolve diversas plataformas on e offline, incentivamos as pessoas a curtirem o estilo de vida Jeep e transformar as suas viagens dos sonhos em realidade. A promoção tem trinta destinos para que cada um construa a sua própria história de um jeito único”, afirma Frederico Battaglia, diretor de Brand Marketing Communication da FCA para a América Latina. Serão sorteados três locais por vez e o ganhador – com o seu acompanhante – tem até cento e oitenta dias para fazer a viagem, que inclui pacote de voo, hospedagem e programação no local escolhido. Cada destino terá uma data sugerida e o ganhador deverá informar à organização até um mês antes da viagem, que não poderá ser feita em feriados.

 
 

Dois milhões
A Honda Automóveis do Brasil celebrou no dia 3 de fevereiro o marco de 2 milhões de carros produzidos em solo nacional, em cerimônia realizada na fábrica de Itirapina (SP), com a presença de empregados, executivos da empresa e convidados. Uma história que teve início em 1997 com a produção de vinte unidades diárias do modelo Civic, então em sua sexta geração, chega ao significativo volume com um HR-V Touring cor Azul Cósmico saindo da linha de produção como o modelo de número 2.000.000. Pilares da filosofia da empresa, o foco constante no cliente e na qualidade superior de entrega de seus produtos e serviços são os fatores-chave para a trajetória de sucesso. “Produzir 2 milhões de automóveis é algo grandioso, significa atender às expectativas de milhões de clientes, não só no Brasil, mas também nos mercados para os quais exportamos”, comenta Issao Mizoguchi, presidente da Honda South America. Ao longo da trajetória de vinte e três anos de produção de automóveis no Brasil, contínuos investimentos foram feitos com o objetivo de aumentar a capacidade produtiva e melhorar a eficiência dos processos. Como resultado, atualmente, mais de quinhentos automóveis são produzidos diariamente entre os modelos Civic, Fit, City, HR-V e WR-V. A linha de produtos comercializadas no país conta ainda com os importados Accord, CR-V e Civic Si.

 
 

Navegar não é preciso
O verão não traz apenas dias ensolarados e de descanso no período de férias, traz também a época de chuvas em boa parte do país. Motoristas em diversas regiões sofrem com a possibilidade de transitar por trechos com risco de alagamento. A enchente é um grande inimigo para o bolso do dono do carro, principalmente pelos problemas mecânicos. Dependendo do nível da água, ela pode atingir o motor criando o calço hidráulico, contaminar o óleo e causar panes na transmissão. A parte elétrica também pode ser prejudicada ao ter a caixa de fusíveis, os módulos, os relês, os conectores, os faróis, os conjuntos ópticos e as lanternas atingidos pela água suja. Para passar por trechos alagados, as rodas não podem estar com mais da metade de seu diâmetro cobertas pela água. O motorista deve utilizar a primeira marcha, sem elevar demais a aceleração, que deve ser contínua, para evitar a entrada de água no interior do motor. Pensando em evitar ou amenizar os prejuízos causados ao veículo e ao condutor, o Cesvi Brasil elencou algumas dicas práticas que os motoristas podem seguir.

Três dicas para evitar prejuízos:

  • Verificar o estado atual de pneus e palhetas do para-brisa.
  • Conferir todas as luzes do veículo, como setas, faróis e de freio.
  • Se o carro “morrer” em enchentes, o motorista não pode dar partida novamente. A ação força o motor e pode piorar ainda mais o quadro mecânico e de pane elétrica.

O que observar após a enchente:

  •  É necessário checar primeiro o óleo do motor.
  • Verificar se a água atingiu as áreas de admissão de ar, como o filtro, dutos e coletor de admissão.
  • É importante identificar se o veículo teve algum dano em bielas e nos pistões no caso da admissão de água no interior do motor durante o funcionamento ou após a partida.
  • Na caixa de transmissão, verificar se não houve contaminação do óleo. O alerta é ainda mais importante no caso de veículos com transmissão automática.
 

Mais conectado
A Caoa Chery anuncia mudanças no Tiggo7 no modelo 2021. O SUV, que chega às concessionárias no início de fevereiro, ganha nova central multimídia de 9 polegadas – com espelhamento com Android Auto e Apple CarPlay, Bluetooth, controle do ar-condicionado e das configurações do veículo – e atualizações no visual do carro, como molduras pretas nas caixas de roda e novos detalhes em preto nos para-choques. O utilitário esportivo premium da Caoa Chery passa a contar também com um novo tom de cinza metálico na carroceria, mais escuro, e tem preço de R$ 117.990. Produzido em Anápolis (GO), o topo de linha do Tiggo 7 tem motor 1.5 Turbo Flex, com potência máxima de 150 cavalos a 5.500 rpm e torque de 21,4 kgfm, acoplado à transmissão automática de dupla embreagem e 6 velocidades. A garantia é de três anos para o veículo completo e de cinco anos para motor e câmbio. 

 
 

Herói da resistência
As boas vendas de dezembro de 2019 causaram uma indisfarçável sensação de euforia no mercado brasileiro de automóveis e comerciais leves, os dois principais segmentos de vendas sobre quatro rodas. Mas janeiro de 2020 foi um verdadeiro balde de água fria. De acordo com dados divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), seja pela “ressaca” de fim de ano ou pelas férias de verão, todos os modelos viram suas vendas despencarem no primeiro mês de 2020. A solitária exceção entre os vinte mais vendidos foi o Fiat Mobi, que teve um pequeno aumento nos emplacamentos ante dezembro. Segundo a entidade que representa as concessionárias, janeiro teve uma queda de 26,88% em comparação a dezembro de 2019, com 184.125 unidades comercializadas nos dois segmentos, e uma retração de 3,42% em relação a janeiro do ano passado. Entre os modelos, o Chevrolet Onix abriu o sexto ano de liderança com 17.463 unidades emplacadas em janeiro, 4 mil a menos que em dezembro de 2019. O hatch teve novamente a dobradinha do Onix Plus (sedã), com 8.722 exemplares vendidos no primeiro mês de 2020 ante 9.989 de dezembro. No ranking dos vinte primeiros colocados, a dupla foi seguida em janeiro pelo Ford Ka (7.334), pelo Renault Kwid (6.739), pelo Hyundai HB20 (6.555), pelo veterano Volkswagen Gol (6.030), pelo Volkswagen Polo (5.593), pelos Fiat Strada (5.419), Toro (5.300) e Argo (4.794), pelo Jeep Renegade (4.325), pelo Mobi, o único com desempenho de vendas superior em relação a dezembro, com 4.316 unidades, pelo Jeep Compass (4.312), pelo Toyota Corolla (3.932), pelo Nissan Kicks (3.815), pelo Hyundai Creta (3.734), pelo Volkswagen T-Cross – o que teve a maior redução nas vendas, com 3.339 emplacamentos, menos da metade do que emplacou em dezembro –, pelo Honda HR-V (3.321), pela Toyota Hilux (3.311) e pela Volkswagen Saveiro (3.255).

 

Felpuda


Dia desses, há quem tenha se lembrado de opositor ferrenho – em público –, contra governante da época, mas que não deixava de frequentar a fazenda de “sua vítima” sempre que possível e longe dos olhos populares. Por lá, dizem, riam que só do fictício enfrentamento de ambos, que atraía atenção e votos. E quem se lembrou da antiga história garantiu que hoje ela vem se repetindo, tendo duas figurinhas carimbadas nos papéis principais. Ô louco!