Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO VEÍCULOS

CarMais

Confira as dicas e novidades sobre automóveis
05/03/2020 16:00 - Daniel Dias/AutoMotrix


A verdade dos números

Conforme relatório da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), as vendas de carros e comerciais leves – os dois segmentos sobre quatro rodas com maior volume de emplacamentos – somaram 192.639 unidades em fevereiro, representando um aumento de 1,48% sobre o mesmo mês do ano passado e avanço de 4,63% ante janeiro de 2020, apesar da menor quantidade de dias do segundo mês e a parada por conta do Carnaval. Por outro lado, o resultado foi negativo na comparação do acumulado de janeiro e fevereiro. Com 376.756 unidades vendidas em 2020, houve uma retração de 0,98% em relação ao mesmo período de 2019. A nova geração do Hyundai HB20, que tinha enfrentado dois meses de vendas baixas, reagiu e fechou fevereiro na terceira colocação, com apenas setecentas e vinte e uma unidades a menos do que o segundo, o Chevrolet Onix Plus. Enquanto o sedã da marca norte-americana teve 9.123 emplacamentos, o HB20 registrou 8.402. Na frente, permaneceu o Chevrolet Onix (hatch), com 17.652 unidades comercializadas em fevereiro. O “Top Ten” no mês foi completado pelo Ford Ka (8.183), em quarto, pelo Volkswagen Gol (5.944), pelo Fiat Argo (5.917), pelo Renault Kwid (5.813), pelos Volkswagen Polo (5.517) e T-Cross (5.374) e pelo Jeep Renegade (5.354). Entre as marcas, a General Motors manteve a liderança, com 34.145 emplacamentos nos dois segmentos e uma participação de mercado de 17,72%, seguida pela Volkswagen (31.628 e 16,42%), pela Fiat (26.543 e 13,78%), pela Hyundai (16.446 e 8,54%), pela Ford (15.080 e 7,83%), pela Toyota (14.768 e 7,67%), pela Renault (14.450 e 7,50%) pela Jeep (10.084 e 5,24%), pela Honda (8.722 e 4,53%) e pela Nissan (8.356 e 4,34%). Finalmente, a marca japonesa ultrapassou os três pontos percentuais de “market share”. Mais uma vez, a liderança de fato entre as fabricantes ficou com o Grupo FCA, com participação somada das marcas Fiat e Jeep de 19,02% e 36.629 unidades vendidas em fevereiro.

 
 

Na reta da chegada

A Renault lança esta semana a nova geração do Duster, SUV originado da romena Dacia e que chegou ao Brasil em 2011. Segundo a marca francesa, o Duster trará uma revolução em seu interior e um design inteiramente renovado, mantendo as linhas gerais já aceitas pelo gosto popular do brasileiro. No final da semana passada, se iniciou a campanha de apresentação do carro nos canais digitais da Renault e na TV aberta, com o filme estrelado pelo ator Bruno Gagliasso e o lutador de MMA Wanderlei Silva. A peça publicitária anuncia ainda condições comerciais especiais para o lançamento do veículo. Os clientes que fizerem o cadastro no site da pré-venda (pelo endereço www.renault.com.br/veiculos/conheca-nossa-gama/duster/sobre-o-carro.html) até dia 9 de março e efetivarem a compra na concessionária até 30 de março poderão escolher entre três promoções: um patinete elétrico da Renault, três revisões gratuitas ou um kit de acessórios com barras transversais de teto mais um suporte de bicicletas. “O Duster é um caso de sucesso no Brasil. Até hoje, mais de 280 mil unidades foram vendidas e, agora, buscamos a evolução da experiência do nosso consumidor para valorizar ainda mais a robustez e o espírito de aventura do SUV. Além do novo design, o interior foi reformulado para entregar mais conforto, ergonomia e tecnologia”, afirma Federico Goyret, diretor de Marketing da Renault do Brasil.

 
 

Em edição especial

O sedã compacto Nissan Versa ganhou mais uma opção em sua linha: a série Special Edition. Fabricada no Complexo Industrial de Resende (RJ), a novidade terá quinhentas e cinquenta unidades produzidas, ao preço de R$ 63.390. Com base na versão S com câmbio manual, o Versa Special Edition é equipado com câmbio Xtronic CVT, motor 1.6 16V de 111 cavalos, ar-condicionado, comandos de áudio e telefone na direção, computador de bordo, volante com regulagem de altura, rodas de aço aro 15, airbags frontais, freios ABS com controle eletrônico e assistência de frenagem, trava elétrica com acionamento por controle remoto, conexão de músicas via BluetoothTM, streaming com comandos no volante, três apoios de cabeça traseiros, cintos de segurança laterais e central retrateis de três pontos, banco de trás rebatível, fixadores para cadeiras de crianças (Isofix), painel de instrumentos fine vision, sistema de áudio com tela de 7 polegadas sensível ao toque, rádio AM/FM, entrada auxiliar para MP3/AUX, conector USB, Bluetooth e conectividade com Apple CarPlay e Android Auto.

 
 

Atualizações pontuais

A Caoa Chery apresenta as mudanças do Tiggo 5X para o modelo 2021, que já chegou às concessionárias, destacando a nova central multimídia de 9 polegadas com espelhamento para Android Auto e Apple CarPlay, Bluetooth, controle do ar-condicionado e das configurações das funções do veículo. A versão topo de linha TXS ganhou ainda câmera 360 graus, trazendo mais tecnologia, conforto e facilidade para o motorista durante as manobras. Externamente, o veículo tem atualizações que seguem o mesmo design de outros mercados globais. Com a mudança, o SUV passa a contar com novo design frontal, com destaque para os faróis e as luzes diurnas de rodagem (DRL). Na traseira, o carro recebeu novas lanternas e moldura cromada na tampa do porta-malas. O Tiggo 5X segue sendo comercializado em duas versões, T e TXS, com preços a partir de R$ 91.990. O SUV tem motor 1.5 Turbo Flex e câmbio automático de dupla embreagem de 6 velocidades. A garantia é de três anos para o veículo completo e de cinco anos para motor e câmbio. “Essas atualizações são resultado do investimento constante da marca em ouvir seus consumidores e entregar ao mercado brasileiro produtos que tenham identificação com os clientes locais. Acreditamos que as novidades tornarão o Tiggo 5X um veículo ainda mais competitivo”, salienta Marcio Alfonso, CEO da Caoa Chery.

 
 

Cotado na Europa

Apesar do cancelamento do Salão de Genebra por causa do coronavírus, a organização do evento suíço aproveitou a presença de sessenta jornalistas especializados do setor para eleger o “Carro do Ano 2020 na Europa”. O escolhido foi o novo Peugeot 208. Os jurados destacaram a gama de motores do compacto francês, que permite aos clientes uma liberdade de escolha entre eletricidade, gasolina e diesel. O 208 é o sexto modelo da Peugeot a ser agraciado com o prêmio europeu. “Estou muito orgulhoso por receber o troféu de ‘Car of the Year 2020’ em nome do novo 208. É uma ótima recompensa para o trabalho e empenho do conjunto das equipes da Peugeot e do Grupo PSA. É a primeira vez que um Peugeot da ‘Série 2’ é eleito. Os nossos clientes poderão, assim, escolher entre as três configurações de motores do 208, porque todas são campeãs’”, brindou Jean-Philippe Imparato, diretor-geral da Peugeot.

 
 

Foco na segurança

Graças ao cancelamento do Salão de Genebra 2020 – devido à ameaça do coronavírus com os primeiros casos registrados da doença em solo suíço recentemente –, a Volkswagen se viu forçada a adiantar alguns detalhes do novo Golf GTI. Com 242 cavalos de potência, a configuração de oitava geração do hatch tem uma nova frente, herdada do híbrido plug-in GTE, com a grade frontal se estendendo por toda a largura do para-choque e faróis de neblina compostos por um quinteto de leds dentro do padrão favo de mel. Acima, os faróis principais (duplos) bem afilados estão unidos por uma faixa decorativa com o logotipo da Volkswagen bem no meio. Na traseira, o escape é duplo, com um colocado em cada lado do difusor. Conforme a marca alemã, o novo Golf GTI tem um cockpit digital, volante multifuncional redesenhado e controle adaptativo do chassi. A segurança parece ser o foco da nova geração do GTI, com itens como o Travel Assist, que fornece assistência parcial à direção em velocidades de até 210 km/h.

 
 

Tão antiga quanto o carro

A bateria está presente em todos os veículos desde o início da indústria automotiva. E continuará assim. Inclusive, o item (em outra configuração) é a alma dos carros eletrificados. Os cuidados com a bateria devem ser feitos com frequência ao longo de todo o ano, sobretudo no inverno. Em média, uma bateria dura de dois a três anos e, ao longo do tempo, ela perde a sua capacidade de reter energia elétrica. Para o bem da vida útil da bateria, o motorista deve tomar alguns cuidados importantes:

  • Colocar o carro para andar - quanto mais o veículo roda, mais a bateria dura. Se a peça ficar imóvel por um longo período de tempo, ocorre o processo químico conhecido como sulfatação, abreviando sua durabilidade. O recomendado é que se ligue o motor uma vez por semana por pelo menos cinco minutos.
     
  • Atenção antes de dar partida - não deixar nenhum equipamento ligado no momento da partida do motor. A bateria é a fonte de energia para todos os equipamentos elétricos do carro, como faróis, rádio e ar-condicionado, além do próprio motor.
     
  • Evitar o uso de equipamentos elétricos com o veículo desligado - sempre que estacionar, o motorista deve verificar se não esqueceu nada ligado antes de sair do veículo.
     
  • A capacidade da bateria - verificar a capacidade suportada pela bateria e pelo alternador antes de equipar o carro com algum aparelho novo. É bom evitar a instalação de acessórios não originais.
     
  • Fazer revisões preventivas - é importante se fazer consultas especializadas a cada seis meses no automóvel. Se a bateria apresentar algum sinal de falha, como sons incomuns ou dificuldade na hora de dar partida, é bom correr para a oficina.
     
  • Cuidado ao escolher o alternador - o alternador, equipamento que serve para transformar energia mecânica em elétrica, é uma das peças mais importantes de um carro. Por conta disso, é válido escolher um alternador que tenha a mesma amperagem da bateria para evitar danos ao equipamento. 

Felpuda


Pré-candidatos que em outras eras cumpriram mandato e hoje sonham em voltar a ter uma cadeira para chamar de sua estão se esmerando em apresentar suas folhas de trabalho. O esforço é grande para mostrar os serviços prestados, mas estão se esquecendo que a cidade cresceu, os problemas aumentaram e aquilo que já foi tido como grande benefício hoje não passa da mais simples obrigação diante do progresso e das novas exigências legais. Assim sendo...