Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

UTILITÁRIO

Lá vem ela: picape Alaskan

A Renault confirma o início da produção em Córdoba, na Argentina, no segundo semestre
27/05/2020 07:07 - Automotrix


 

por Luis Piedra Cueva, do “Airbag” 

No dia 15 de maio, a filial argentina da Renault emitiu um comunicado de que, no segundo semestre, começará a produção industrial da picape Alaskan na fábrica de Santa Isabel, que pertence à aliança Renault-Nissan, localizada em Córdoba. Assim, o acordo da marca francesa com a Nissan e a Mercedes-Benz para desenvolvimento de modelos utilitários avança em sua etapa regional. A nova picape sairá da mesma linha de montagem onde já é produzida, desde 2018, a Nissan Frontier, que abastece toda a América do Sul, inclusive o Brasil.  

“A nossa fábrica em Córdoba será convertida em referência da produção regional de veículos comerciais leves”, explica Pablo Sibilla, presidente da Renault Argentina. Da mesma fábrica e utilizando a mesma plataforma de Frontier e Alaskan também sairia a Mercedes-Benz Classe X. Todavia, no ano passado, a marca alemã desistiu de produzir a picape na América do Sul. Este ano, em meio à pandemia da Covid-19, a produção da Classe X foi encerrada na Espanha e o modelo foi precocemente aposentado, pouco mais de dois anos após o lançamento.

A vinda da Alaskan para o mercado brasileiro já se tornou uma história longa. A picape chegou a ser exibida ao público no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo em duas edições, em 2016 e 2018. Contudo, a grave crise econômica na Argentina atrapalhou os planos da Renault. A picape terá a tarefa de complementar a oferta na categoria de veículos utilitários na Renault na América do Sul, onde a marca tem bons resultados em alguns subsegmentos com modelos como os furgões Master e Kangoo – e sua versão elétrica Kangoo ZE – e a picape Duster Oroch.

A nova picape terá a mesma plataforma e carroceria da Frontier, com alterações somente na grade frontal, nos logos e na central multimídia. Chegará aos mercados latino-americanos com as mesmas opções de motorização para a picape da Nissan – o biturbo diesel dCi 2.3 de 190 cavalos, disponível com um câmbio manual de 6 marchas ou CVT, e sua derivação com turbo simples, que fornece 160 cavalos de potência. Serão disponibilizadas opções de tração simples e 4x4 para a Alaskan. Porém, a agenda da chegada do novo utilitário aos mercados regionais depende da evolução da pandemia da Covid-19 (sem este ‘na região’, já tá falando nela). No Brasil, a picape média da Renault enfrentará modelos como a Toyota Hilux, a Chevrolet S10, a Ford Ranger, a Volkswagen Amarok, a Mitsubishi L200 Triton Sport e a própria Frontier – Hilux, Amarok, Ranger e Frontier também são produzidas na Argentina. (colaborou Luiz Humberto Monteiro Pereira/AutoMotrix)

 
 

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!