Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MODELOS INÉDITOS

Mais e melhores: linha de ônibus rodoviários O 500

A Mercedes-Benz amplia portfólio de ônibus rodoviários e apresenta novidades
19/05/2020 03:00 - Luiz Humberto Monteiro Pereira/AutoMotrix


 

O mercado automotivo brasileiro, como em boa parte do mundo, permanece estagnado por conta da pandemia da Covid-19. Mas a Mercedes-Benz resolveu não esperar mais para atender às demandas dos clientes de ônibus rodoviários e apresentou um pacote de novidades para sua linha O 500. O portfólio da marca líder nas vendas de ônibus no Brasil ganha novos itens voltados ao desempenho, à economia e à eficiência no transporte de passageiros, assim como para a segurança ativa. Com um motor mais potente, de 430 cavalos, a Mercedes apresenta os inéditos modelos O 500 RSD 2443 6x2 e O 500 RSDD 2743 8x2, que asseguram alto padrão de desempenho e eficiência. O 500 RSDD é o primeiro ônibus rodoviário 8x2 do mercado a ter o piloto automático adaptativo (ACC), o sistema de frenagem de emergência (AEBS) e o sistema de aviso de faixa (LDWS) como itens de série.  

O aumento de potência do motor OM 457 LA deve-se a uma nova parametrização dos módulos eletrônicos, com novas curvas de potência e de torque, chegando-se em 430 cavalos a 2 mil giros e a 214 kgfm a 1.100 rpm. “O mercado estava solicitando um ônibus mais potente, especialmente para carroçarias DD (Double Decker) e HD (High Decker) de 14 e de 15 metros. Esse motor de 430 cavalos no chassi OM 457 LA da linha O 500 passa a ser o mais potente da nossa marca para ônibus no país”, explica Walter Barbosa, diretor de Vendas e Marketing de Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. Com o novo motor, a empresa traz para o mercado os inéditos modelos O 500 RSD 2443 6x2 e O 500 RSDD 2743 8x2. “A maior potência traz um ganho de eficiência nos motores de ônibus mais pesados, levando a um melhor desempenho em topografias mais severas. Com o pacote Fuel Efficiency, dependendo do estilo de condução do motorista, pode-se chegar até 10% de economia no consumo de combustível, reduzindo custo operacional para as empresas de transporte. E nós temos outro lançamento para o segmento rodoviário, o O 500 RS com PBT de 19.600 quilos, que permite a instalação de carroçarias de 14 metros, atendendo à nova legislação do Contran”, complementa Barbosa.  

 
 

Outra novidade da marca para o segmento rodoviário está voltada ao O 500 RSDD, que se torna o primeiro ônibus rodoviário 8x2 do mercado brasileiro a vir equipado com piloto automático adaptativo (ACC), sistema de frenagem de emergência (AEBS) e sistema de aviso de faixa (LDWS) como itens de série. Essas avançadas tecnologias, já conhecidas e disponíveis para outros modelos da Linha O 500, podem ser requisitadas pelos clientes também em ônibus com freio a tambor, proporcionando maior segurança às operações de sua frota. “Ao estender para vários modelos o leque das tecnologias de segurança ativa, como ACC, AEBS e LDWS, nós reafirmamos o posicionamento do O 500 como o ônibus rodoviário mais seguro do país”, ressalta o diretor de Vendas e Marketing de Ônibus da Mercedes-Benz. Além das diferentes variações de potência dos ônibus O 500, o portfólio da marca oferece três versões de caixas de mudanças: mecânica, automatizada e automática, exclusividade da Mercedes-Benz. Com isso, os clientes podem escolher a melhor combinação de motor e câmbio para a aplicação rodoviária de sua frota. 

A partir de julho deste ano, o top de linha da Mercedes-Benz entre os ônibus rodoviários – o modelo O 500 RSDD 8x2 – estará equipado, de série, com piloto automático adaptativo (ACC), sistema de frenagem de emergência (AEBS) e sistema de aviso de faixa (LDWS). Estas soluções foram apresentadas ao mercado em 2018, como itens opcionais, primeiramente para os chassis O 500 RS 1836 4x2 e RSD 2436 6x2 com freio a disco. Em 2019, alcançou o RS 4x2 e o RSD 6x2 com freio a tambor. A partir de 2020, também está disponível para o O 500 RSDD 8x2 com freio a tambor. “O ACC e o AEBS mantêm uma distância segura do ônibus em relação ao veículo à frente. O próprio sistema acelera e freia o veículo automaticamente. Com isso, reduz o risco de acidentes, alivia o stress do motorista e oferece mais segurança em situação de neblina”, finaliza Barbosa.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.