Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FILMES

Nascidas para ser estrelas

Motocicletas já foram “protagonistas” de muitas produções de sucesso nos cinemas
20/04/2020 04:00 - Aldo Tizzani, Luiz Humberto Monteiro Pereira/AutoMotrix


Em tempos em que a pandemia da Covid-19 monopoliza conversas, noticiários e mídias sociais, é importante tentar, de vez em quando, relaxar e pensar em assuntos mais amenos. Para agradar aos fãs de motocicletas, nesses angustiantes dias de isolamento social nos quais não é recomendável sequer sair para um terapêutico passeio sobre duas rodas, existem diversas produções cinematográficas que envolvem o mundo das motos – algumas disponíveis via streaming, para baixar na internet. Certamente, o filme mais emblemático do gênero é o clássico “Sem Destino” (“Easy Rider”), uma produção de 1969 estrelada por Peter Fonda e Dennis Hopper. O site “MinutoMotor” elaborou uma lista diversificada de produções em que as motocicletas são praticamente protagonistas, incluindo documentários, comédias e “road movies”. Basta apagar a luz, pegar o balde de pipoca e acelerar – nem que seja sentado no sofá. Um bom ventilador pode ajudar a simular a sensação de “cabelos ao vento”. 

Cinco dicas de filmes imperdíveis sobre motocicletas

 

“Sem Destino” (“Easy Rider”)

No “road movie” de 1969, o hippies norte-americanos Wyatt e Billy – interpretados respectivamente por Peter Fonda e Dennis Hopper – saem de Los Angeles e atravessam infinitas “hi-ways” com suas motos customizadas na tentativa de chegar em Nova Orleans, na Luisiana, em tempo para o “Mardi Gras”, o famoso carnaval da terra do jazz. Na garupa, segue o hilariante George Hanson, interpretado pelo genial Jack Nicholson. O enredo mistura estrada, drogas, sexo e política, em um mergulho na contracultura dos anos 60, tudo ao som de uma trilha sonora com clássicos da época, com destaque para o rock visceral “Born To Be Wild”, do Steppenwolf. Pintada com a bandeira norte-americana no tanque, a Harley-Davidson customizada pilotada por Fonda no filme foi apelidada de “Capitão América” e é considerada um ícone pop. O único exemplar sobrevivente das quatro motocicletas idênticas usadas na produção tornou-se durante muitos anos o modelo mais procurado no Museu Nacional da Motocicleta, em Iowa, nos Estados Unidos. Em 2014, foi leiloada e arrematada por US$ 1 milhão – o equivalente hoje a R$ 5,3 milhões. “Sem Destino” está disponível no YouTube, no Google Play e na Netflix.

 
 

“Road”

Com cenas de ação impressionantes e narrado por Liam Neeson, este filme de 2014 é o relato comovente e cheio de adrenalina de uma família que domina as corridas de rua na Irlanda do Norte há mais de trinta anos. Robert e Joey Dunlop são homens calmos de uma vila rural, mas são também corredores que arriscaram tudo para ganhar. Os filhos de Robert, William e Michael se tornam dois dos principais corredores de estrada do mundo, ambos determinados a continuar a tradição familiar. O cenário principal é a Ilha de Man, que promove uma das corridas mais emocionantes e mortais, na qual os pilotos competem a velocidades de até 300 km/h em estradas rurais ladeadas de árvores, postes e muros de pedra. É uma competição que tirou muitas vidas ao longo dos anos – e continua a fazê-lo até hoje. Disponível no YouTube.

 
 

“Motoqueiros Selvagens” (“Wild Hogs”) 

Nada como uma boa comédia para alegrar os ânimos. O filme de 2007 narra a história de quatro velhos amigos que decidem rodar com suas Harleys até as praias do Pacífico. Doug Madsen (Tim Allen) é um dentista com complexo de inferioridade e que sempre se apresenta como médico. Woody Stevens (John Travolta) é um executivo rico que sofre com seus problemas pessoais. Bobby Davis (Martin Lawrence) é um encanador desempregado dominado pela esposa. Dudley Frank (William H. Macy) é um solteirão que tem dom de se meter em situações constrangedoras. Eles conseguem tirar uma folga de seus trabalhos e se preparam para a viagem, mas não têm a menor ideia do que está por vir. A película conta com três participações especiais: Peter Fonda, Paul Teutul Sr. e Paul Jr., da oficina Orange County Choppers, da série “American Choppers”. Impagável e garantia de boas risadas. Disponível no YouTube e no Google Play.

 
 

“Desafiando os Limites” (“The World's Fastest Indian”)

No final dos anos 60, em plena época de contracultura e contestação social, o neozelandês Burt Munro (Anthony Hopkins) toma a decisão de quebrar o recorde mundial de velocidade para motocicletas de motores até mil cilindradas montando uma Indian Scout dos anos 20. Ele embarca para uma competição em Bonneville Salt Flats, nos Estados Unidos, e lá enfrenta o descrédito por sua idade e também pela sua veterana motocicleta – ambos são considerados “peças de museu”. Baseado em fatos reais, a produção de 2005 é uma história comovente sobre a superação e a persistência de um homem que faz o possível e o impossível para dar a volta por cima de todas as adversidades. “Desafiando os Limites” está disponível no Looke e no YouTube.

 
 

Diários de Motocicleta

Com direção do brasileiro Walter Salles, o longa-metragem de 2004 narra a viagem pela América do Sul feita em 1952 pelo jovem estudante de Medicina argentino Ernesto “Che” Guevara (Gael García Bernal) e seu amigo Alberto Granado (Rodrigo de La Serna), anos antes de “Che” tornar-se um dos líderes da Revolução Cubana. A companheira de viagem de ambos foi uma velha Norton 500. De origem inglesa, a moto – apelidada de “La Poderosa” – acompanhou os dois jovens nos oito primeiros meses da épica travessia. “Diários” mostra a extrema pobreza da região, que faz a dupla começar a questionar o real valor do alardeado progresso econômico para os moradores locais. Disponível no YouTube.

 
 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.