Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO VEÍCULOS

O preço da pressa: Virtus GTS

A Volkswagen apresenta a versão esportiva do sedã, que custa de R$ 104.940 a R$ 108.670
24/02/2020 09:17 - Daniel Dias/AutoMotrix


 

Como era previsível, o Volkswagen Virtus segue o caminho do Polo e acaba de ser apresentado em sua versão GTS. Assim como ocorreu com o lançamento da configuração GTS do hatch compacto, a nova versão esportiva do sedã chama a atenção pelo preço – a partir de R$ 104.940. O único opcional é o pacote Beats Sound, que custa R$ 2.160 e incorpora o sistema de ajuste do espaço do porta-malas, rede do compartimento de cargas e o sistema de som Beats, quatro alto-falantes, dois tweeters, amplificador e subwoofer. Com os extras do opcional e da pintura, dependendo da cor escolhida, o valor pode chegar a R$ 108.670. O Jetta importado do México, do qual o Virtus GTS herda o “powertrain” – como o Polo GTS – e que é um modelo de porte maior, tem preço inicial de R$ 99.990 em sua versão 250 TSI. 

Produzido na Fábrica Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP), sobre a Estratégia Modular MQB, o Virtus GTS é equipado com o motor 250 TSI (turbo) 1.4 com 150 cavalos de potência e 26 kgfm de torque, combinado com o câmbio automático de 6 marchas AQ 250. Segundo a marca alemã, o três volumes nessa configuração acelera de zero a 100 km/h em 8,7 segundos e pode atingir a velocidade de 210 km/h. O propulsor 250 TSI é da família EA211 e equipa, além do Polo GTS e do Jetta, o Tiguan e o T-Cross.

 
 

Externamente, o Virtus GTS traz diferenças no estilo em relação às versões Comfortline e Highline. Os faróis são novos, inteiramente em leds e identidade visual diferenciada, novo para-choque, grade do radiador tipo colmeia com o logotipo “GTS” e um filete vermelho ligando os dois conjuntos ópticos – característica dos veículos GT da Volkswagen em todo o mundo. As rodas de 17 polegadas são diamantadas, com pneus 205/50 R17. Conforme a Volkswagen, esse perfil colabora para o Virtus manter a qualidade de rodagem, ao mesmo tempo em que melhora seu desempenho em curvas e salienta o caráter esportivo da suspensão. A versão do sedã tem defletor traseiro pintado em preto brilhante sobre a tampa do porta-malas, e a parte inferior do para-choque foi desenhada para a configuração. As lanternas são escurecidas e as capas dos retrovisores são pintadas na cor preto brilhante.

 
 

O interior tem bancos e laterais das portas em preto. Para o motorista e o carona, há bancos esportivos quase tipo concha, com apoios de cabeça integrados. Como o Polo GTS, o Virtus tem acabamentos internos em couro e costuras vermelhas, cor presente também nas molduras das transferências de ar e na base da alavanca de câmbio. É de série o painel digital (Active Info Display) com iluminação vermelha e quatro opções de modos de condução, o “normal”, o “ecológico”, o “esportivo” e o “individual”. Quando o “esportivo” é selecionado, entra em ação um amplificador de som do motor. A versão esportiva do sedã acrescenta ainda o sistema Kessy de acesso ao veículo e partida do motor sem uso da chave, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros para auxílio ao estacionamento (usam a câmera de ré), sistema start-stop e o Discover Media, com tela colorida de 8 polegadas sensível ao toque e navegação, App-Connect e comando por voz. A configuração está disponível em duas cores sólidas (Preto e Branco Cristal) e três metálicas (Prata Sirius, Cinza Platina e Azul Biscaia, essa exclusiva da versão GTS). 

Felpuda


Embora embalada por vários “ex”, pré-candidatura a prefeito de esforçada figura não deslancha. É claro que ninguém ousa falar em voz alta que o apoio, em vez de alavancar os índices com o eleitorado, está é puxando para baixo. Uns dizem que o título do filme “Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” retrata bem a situação. Outros complementam: “... na primavera, no outono, no inverno...”. Como diria vovó: “Aqui você planta, aqui você colhe!”.