Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MUDANÇAS

Reestilização da Classe E

Iniciada em março deste ano com o sedã, a Mercedes-Benz completa as apresentações do cupê e do conversível
09/06/2020 10:52 - Daniel Dias/AutoMotrix


 

Após mostrar a reestilização da versão sedã em março deste ano, a Mercedes-Benz promove as atualizações das configurações cupê e cabriolet (conversível) da Classe E. Na parte externa, as principais mudanças do cupê e do conversível da Classe E estão na dianteira, com novos faróis full-led, as luzes de circulação diurna localizadas em cima e a grade do radiador em peça única com detalhes cromados. Na traseira, as novas lanternas – bipartidas e em leds – têm linhas mais retas em comparação às do sedã. Elegantemente, a câmera de ré fica “escondida” atrás do logotipo da estrela de três pontas. O interior da cabine é todo do sedã, com duas telas, de 10,25 ou 12,3 polegadas, como quadro de instrumentos e a já famosa multimídia MBUX (Mercedes-Benz User Experience) afixada no console central. Os bancos têm formato de competição com o devido conforto para um carro de rua de luxo e contam com ajuste elétrico adaptativo segundo o gosto pré-estabelecido do motorista. No cabriolet, existe a possibilidade de opcionais Aircap – para diminuir a turbulência dentro do carro com a capota recolhida – e o Aircarf, saídas de ar localizadas no encosto de cabeça para conferir aquecimento no pescoço de todos os ocupantes. As vendas no Velho Continente do cupê e do conversível se iniciam no final deste ano, com chegada ao Brasil prevista para 2021.

No coração dos dois modelos da Classe E estão sete opções de motorização, sendo três a diesel e quatro a gasolina, com auxílio do sistema híbrido leve EQ Boost, composto por um motor elétrico de 14,2 cavalos e 15,3 kgfm de torque nos propulsores de quatro cilindros e de 22,3 cavalos e 25,5 kgfm nos de seis cilindros. Nos E200 a gasolina, que interessam para o mercado brasileiro, o motor é um 2.0 turbo de quatro cilindros. Com a ajuda do EQ Boost, ganha uma potência combinada de 224 cavalos e torque total de 47,9 kgfm. O mesmo propulsor recebe uma cavalaria extra nos E300, subindo para 276 cavalos e 53 kgfm de torque, enquanto nos E450, de seis cilindros em linha, o motor é um 3.0 com 394 cavalos e 76,4 kgfm, ou seja, um “canhão” teleguiado e bem direcionado. Nas configurações a diesel – sem auxiliar elétrico –, são três opções. O E220d tem um 2.0 de 197 cavalos e torque de 40,7 kgfm, com tração traseira ou integral. Na terceira opção, o E400d conta com um motor de seis cilindros em linha 3.0 com 345 cavalos e 71,3 kgfm de torque. Todas as versões tem a mesma transmissão, a automática 9G-Tronic.

 
 

O novo Classe E tem a última geração de sistemas de assistência à direção da Mercedes-Benz, fornecendo suporte cooperativo aos motoristas. Isso resulta em um nível especialmente alto de segurança ativa: o cupê e o cabriolet são capazes de reagir de maneira rápida e inteligente se o condutor não puder fazê-lo. O recurso de detecção de “hands-off” (em livre tradução, sem as mãos) ao volante agora funciona de forma capacitiva, melhorando assim a facilidade de uso ao dirigir no modo semiautomático. O torque de direção – ou um leve movimento do volante – era anteriormente necessário como “feedback” para que isso acontecesse.

O novo volante tem um bloco com os sensores apropriados no aro. Eles registram se o motorista está segurando a direção. Se o sistema verificar que o motorista não está as mãos no volante por um certo tempo, um “festival” de avisos luminosos e sonoros é iniciado, e, por fim, ativa o Emergency Brake Assist (assistente de frenagem de emergência). O sistema “anjo da guarda” é oferecido de série nas três versões do Classe E. Em muitas situações, é capaz de usar a frenagem autônoma para evitar uma colisão ou reduzir sua gravidade. O sistema também é capaz de monitorar veículos estacionados nas proximidades e observar um “movimento errático” de um pedestre. Uma variedade de outras funções do Intelligent Drive pode opcionalmente ser adicionada ao pacote de assistência à direção.

Os Classe E Coupé e Cabriolet estão equipados com a última geração do sistema multimídia MBUX, que saúda a chegada do motorista e interage com ele. Inclui duas telas de 10,25 polegadas dispostas lado a lado para uma aparência panorâmica. As informações no painel de instrumentos e no visor de mídia são facilmente legíveis nas telas de alta resolução. Uma exclusividade das duas configurações do Classe E apresentadas agora é o chamado “Energizing Coach”. A função é baseada em um algoritmo inteligente e recomenda o uso de um ou outro dos programas incorporados à mídia, dependendo da situação. Dados pessoais pré-definidos, como nível de estresse ou situação de um possível sono e cansaço do motorista, colocam todo o sistema em alerta. Conforme a Mercedes, o objetivo é garantir que o condutor se sinta bem e seguro, mesmo durante viagens exigentes ou monótonas.  

 

Felpuda


Mesmo sem ter, até onde se sabe, combinado com o eleitor, candidato a prefeito começou a apresentar nomes do seu ainda hipotético secretariado, pois parece estar convicto de que conseguirá vencer a disputa.

Os adversários dizem por aí que ele está muito distante de “ser um Jair Bolsonaro”, que, ainda na campanha eleitoral para presidente da República, já falava em Paulo Guedes para ser seu ministro de Economia. Como sonhar é permitido