Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INCÊNDIO NO PANTANAL

Batendo recordes históricos, queimada no Pantanal pode ter origem criminosa

Governo enviou equipe e aeronaves para combate a incêndios
21/04/2020 15:47 - Fábio Oruê


 

Focos de queimadas acima do esperado para a época podem ter se originado de forma criminosa, segundo o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck. A suspeita se dá por conta de denúncias recebidas pela pasta, que serão investigadas pela Polícia Militar Ambiental (PMA). 

“Queimada é crime ambiental e algumas denúncias recebidas pela PMA serão devidamente apuradas. Importante lembrar que existe uma técnica, que é o manejo integrado do fogo, que pode ser devidamente aplicada pelo produtor rural, sob orientação e controle do Imasul”, revelou Verruck. 

O monitoramento feito pela Sala de Situação, que acompanha a evolução dos focos de incêndio em Mato Grosso do Sul, detectou uma série de fatores que estão acontecendo antes do período previsto. “O que aconteceu em março e vem acontecendo em abril é algo que nós esperávamos que só acontecesse a partir de junho. Nós estamos com indicadores que apontam quase dois meses de antecipação do tempo seco”, informou o secretário, que coordena o trabalho na região junto com o Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Ibama e Prevfogo.

De janeiro a abril de 2020, um número 40% maior de focos de queimadas na região em relação ao mesmo período do ano passado foi registrado. Por isso, o Governo do Estado enviou aeronaves e efetivo dos bombeiros para Corumbá nesta terça-feira (21), a fim de reforçar o trabalho das equipes de combate a incêndios no Pantanal. 

 
 

BATENDO RECORDES 

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Joilson Alves do Amaral, “todos os meses deste ano já estão com números de focos de calor acima da média. O mês de Março foi o maior da série histórica (desde 1999) e o mês de abril, até o momento, já tem o maior número de queimadas dos últimos 10 anos”.

Outro fator de preocupação, segundo o titular da Semagro, é referente às condições climáticas. “Temos um prognóstico que aponta um período sem chuvas nas próximas semanas. Por isso nós intensificamos as ações para reforçar o combate aos incêndios”, disse Verruck.

Dados do Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima (Cemtec) indicam que não há expectativa de chuva para Mato Grosso do Sul até dia 28 de abril. “Espera-se elevadas temperaturas e baixos índices de umidade relativa do ar. Segundo o modelo de previsão de numérica GFS/NOAA, preliminarmente as chuvas poderão retornar ao Estado no dia 29 de abril”, explicou a meteorologista Franciane Rodrigues.

 
 

ENFRENTAMENTO 

Nesta terça, de acordo com o Coronel Joilson, já estão à disposição no Aeroporto de Corumbá duas aeronaves Air Tractor, específicas de combate à incêndio florestal, enviadas pelo Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso (MT) e do Distrito Federal (DF). Cada uma delas tem capacidade para lançar até 3,2 mil litros de água. “Iremos utilizar o Aeroporto Internacional de Corumbá para abastecimento de QAv e Água, dentro do horário de funcionamento do local, que é das 7h às 17h”, contou.

A contratação de 30 brigadistas em caráter temporário também foi solicitada ao Ibama de Brasília. Para o combate aéreo, o órgão do DF está tentando recursos para disponibilizar um helicóptero e também foi solicitado outro junto ao Corpo de Bombeiros de Santa Catarina.

 

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.