Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

QUEIMADAS PANTANAL

Chuvas recentes ajudam extinguir queimadas no Pantanal de Mato Grosso do Sul

Entre os dias 15 e 17 foram localizados apenas 32 focos de incêndio com risco mínimo em três municípios do Estado
18/10/2020 11:20 - Ana Karla Flores


Chuva que atingiu região do Pantanal durante a semana reduziram significativamente o número de focos de incêndio na região. Nos dias 15, 16 e 17 deste mês foram identificados 32 pontos de calor de risco mínimo e baixo em Mato Grosso do Sul.

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) identificou quatro pontos de calor neste sábado (17). Segundo o Instituto, todos os focos de queimadas localizadas foram em Corumbá, região mais afetada pelo fogo, que já registrou 7,936 mil focos no Pantanal desde o início deste ano. 

A partir do dia 15 deste mês os pontos de calor no Pantanal de Mato Grosso do Sul diminuíram grandemente, quando nenhum foco foi identificado pelo satélite de referência do Inpe. Neste dia, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registrou volume de 1,4 milímetros de chuva em Corumbá. 

Na última sexta-feira (16) o volume de chuva foi de 1,0 mm na município. O Inpe identificou 28 focos, em que 50% foi em Corumbá e 25% no município de Miranda. 

Antes da chuva, o total de focos de incêndios registrados foi de 370, entre os dia 11 e 14 de outubro. Cerca de 88% foram apenas em Corumbá e 27% em Aquidauana. 

Mesmo com fim de focos de incêndios significativos, bombeiros e brigadistas continuam no Pantanal para impedir reincidência das queimadas. Governo do Estado de Mato Grosso do Sul montou força-tarefa para redobrar vigilância em toda a área crítica para garantir a extinção do fogo. 

Durante live transmitida quinta-feira (16) pelo perfil oficial do Governo do Estado, secretário Estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, destacou que é preciso ficar atento a novos focos, devido à massa seca existente na região.

“São notícias que todos aguardavam, mas fica o alerta quanto à importância do monitoramento dos focos extintos, nos próximos dias, para evitarmos uma reincidência”, explicou o secretário.

Verruck ressaltou também a proibição de queimadas controladas por produtores, mesmo com autorização e com início do período de chuva no estado. 

 
 

Queimadas

Em 2020 foram registradas 20.846 mil focos de incêndio no Pantanal, aumento de 219% em comparação com o mesmo período de 2019. De acordo com Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Lasa-UFRJ), 26% do bioma foi consumido pelo fogo este ano. 

Área queimada representa 4.117 mil hectares em todo o bioma. No Pantanal de Mato Grosso do Sul, o total é de 1.902 hectares e em Mato Grosso foram 2.215 mil hectares destruídos pelo fogo.

 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...