Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PROBLEMA DE TODOS

Escritórios de contabilidade sofrem impactos da pandemia do coronavírus

Um problema de saúde que atinge a área econômica, os micro e grandes empresários começam a se ver em apuros
26/03/2020 13:50 - Camila Andrade Zanin


 

A gravidade do problema de saúde desencadeado pelo novo coronavírus está causando um efeito dominó em toda a sociedade. Um das peças que está caindo são os escritórios de contabilidade. Alguns dias após a medida preventiva da quarentena, estes já estão sofrendo os impactos gigantescos de um problema de saúde, na área econômica.  

Dono de um escritório particular de contabilidade, André Santos, conversou com o Correio do Estado na manhã de ontem (25), e explicou o porquê dos impactos serem intensos. “Estamos em um período do ano em que se concentram grande parte de obrigações acessórias anuais com prazo de entrega entre fevereiro e abril de cada ano, onde a falta de entrega ou até a entrega em atraso das mesmas, geram multas de valores consideravelmente altos que pode acarretar no fechamento do escritório por incapacidade de pagamento”.  

Declaração de Serviços Médicos e de Saúde (DMED), Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (DEFIS), Relação Anual de Informações Sociais (RAIS),   Declaração do Imposto De Renda Retido na Fonte (DIRF), Demonstrações Contábeis e Balanço Patrimonial, Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física são exemplos citados por André de algumas das inúmeras obrigações que os escritórios são obrigados a informar mensalmente e que se acumulam nesta época do ano.

Essa situação aumenta os riscos de aumento da inadimplência no recebimento dos honorários contábeis, como a consequência de seus clientes não terem faturamento suficiente para pagar os custos e despesas mensais de suas empresas. “Os contadores estão tensos com essa situação. Os micros e pequenos empresários que são responsáveis por empregar grande parte da população brasileira, começam a se ver em apuros e muito preocupados sobre a manutenção de empregos e continuidade de seus negócios”, explica o contador. 

Como não é possível ter certeza sobre quanto tempo a pandemia da Covid-19 pode durar, os escritórios contábeis já estão sobrecarregados. André contou que houve um aumento significativo de solicitações de clientes com relação à consultoria, orientações sobre o que fazer agora, muitas solicitações de demissões coletivas, férias antecipadas, férias coletivas, negociação e parcelamento de dívidas tributárias municipais, estaduais e federais.

Em um período complicado como este, os escritórios contábeis precisam aumentar seus custos operacionais, contratando funcionários temporários para conseguir atender a demanda, e ainda precisam liberar seus funcionários para trabalhar em home office, mesmo sem a estrutura necessária para realizar um bom trabalho. “Além dessas solicitações, também aparecem pessoas em busca de informações corretas sobre as medidas publicadas pelo governo, enfim uma preocupação generalizada e pertinente dos clientes, em não conseguir honrar seus compromissos pela falta de faturamento que a quarentena proporciona”. Completa André.

André espera que sejam apresentadas soluções para ajudarem seus clientes a minimizar ao máximo os prejuízos causados pela pandemia. “Esperamos sinceramente que os governos municipais, estaduais e federal prorroguem os prazos das obrigações acessórias citadas, para que nós contadores possamos, e assim consigamos diminuir as demissões em massa que já está começando a acontecer em nosso país”.

 

Felpuda


Dia desses, há quem tenha se lembrado de opositor ferrenho – em público –, contra governante da época, mas que não deixava de frequentar a fazenda de “sua vítima” sempre que possível e longe dos olhos populares. Por lá, dizem, riam que só do fictício enfrentamento de ambos, que atraía atenção e votos. E quem se lembrou da antiga história garantiu que hoje ela vem se repetindo, tendo duas figurinhas carimbadas nos papéis principais. Ô louco!