Cidades

INTERIOR

Gigante chilena consegue Licença Prévia para fábrica de celulose em Inocência

Cerca de R$ 28 bilhões devem ser investidos no empreendimento, que deve empregar até 12 mil pessoas durante a obra

Continue lendo...

Analisado o Relatório de Impacto Ambiental, a gigante chilena, Arauco, conseguiu finalmente a emissão de Licença Prévia para a fábrica de papel e celulose que planeja implantar no município de Inocência. 

Conforme o Conselho Estadual de Controle Ambiental (CECA), o parecer que recomendava a emissão foi aprovado de forma unânime na tarde dessa quinta-feira (25). 

Inocência passará a abrigar a fábrica de papel e celulose, assim como uma termoelétrica, por isso a necessidade de Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) detalhados, que tragam um diagnóstico ambiental, avaliação das consequências e mais. 

Importante frisar que o Conselho, presidido pelo titular da de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Semadesc), é composto por 20 membros, sendo metade de instituições públicas e o restante representantes da sociedade civil.

“Tomamos todos os cuidados, tanto do ponto de vista ambiental, quanto de infraestrutura urbana para suportar esse crescimento repentino que terá Inocência”, afirmou o titular da pasta, Jaime Verruck, em nota. 

Prevendo investir cerca de R$ 28 bilhões, o empreendimento chileno estima a contratação de 12 mil pessoas durante as obras, gerando em torno de 1.070 empregos diretos e indiretos quando já estiver em atividade. 

Em quatro anos deve entrar em operação a 1ª fase desse projeto, sendo a segunda para 2032. Estima-se que as capacidades de produção devem girar em torno de 2,5 milhões de toneladas de celular anualmente. 

Operando sem parar, essa fábrica deverá elevar o Produto Interno Bruto (PIB) sul-mato-grossense e, inclusive, a Arauco já firmou intenções com o Executivo municipal, para melhorar a infraestrutura a ponto de suprir os impactos logísticos, populacionais, fiscais, entre outros. 

Como exemplo, o protocolo de intenções entre Inocência e a gigante chilena destaca a construção da 3ª pista na rodovia MS-377, além de apoiar a estruturação e implementação do Plano Diretor local a ações de demandas da gestão. 

Ainda, a Arauco trará energia elétrica através da termoelétrica, pela queima de raízes e galhos, produzindo até 420 MW e boa parte dessa energia será consumida pela própria fábrica, exportando o excedente. 

Vale lembrar que Mato Grosso do Sul foi pioneiro nesse modelo de termoelétrica, com a unidade Onça Pintada, da Eldorado Brasil, em Três Lagoas, que entrou em operação em 09 de abril de 2021. 

Cabe destacar que essa etapa conquistada ontem (25) junto ao CECA é o pontapé para materializar esse projeto, sendo que a Arauco precisa solicitar agora a Licença de Instalação (LI) ao Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) e depois uma Licença de Operação (LO). 

Arauco em MS.

Como já detalhou anteriormente Verruck, a fábrica de celulosa da Arauco trabalha com base florestal de aproximadamente 200 mil hectares de terra arrendada. 

“Haverá mais eucalipto para celulose e menos soja no cenário de exportação a partir de 2025. A mudança tornará Ribas do Rio Pardo a capital mundial do eucalipto”, pontuou à época. 

Há ainda a previsão, por parte da gigante chilena, de apostar em uma segunda linha de celulose, dobrando os valores investidos, além de mais US$ 1 bilhão em arrendamento de terras e no plantio de florestas. 

Em dezembro a Arauco, que possui cerca de 80 mil hectares de floresta cultivada em Mato Grosso do Sul, sinalizou a estimativa de somar outros 60 mil hectares a esse total, conforme o CEO, Carlos Altimaras, em entrevista à especializada Portal Celulose. 

 

Assine o Correio do Estado

Investigação

Quadrilha de MS traficava armas para facções do Rio de Janeiro

Grupo supostamente comandado pelos irmãos Martins era responsável pelo envio de armamento que saía de Ponta Porã para várias organizações criminosas, tanto do Sul quanto do Sudeste do País

25/05/2024 07h30

Pistolas e munições foram encontradas pela Polícia Federal o durante cumprimento dos mandados

Pistolas e munições foram encontradas pela Polícia Federal o durante cumprimento dos mandados Divulgação

Continue Lendo...

Além de traficar cocaína para estados da região Sul e Sudeste do Brasil, a organização criminosa que tinha como chefes, de acordo com investigação da Polícia Federal (PF), dois irmãos residentes em Dourados também enviava armamento ilegal para facções dessas regiões. Entre os clientes estariam grupos do Rio de Janeiro.

De acordo com a investigação da PF, que culminou na Operação Prime, realizada na semana passada, Marcel Martins Silva e Valter Ulisses Martins eram os líderes de organização criminosa que atuava no tráfico de armas e de cocaína.

Os dois residem em Dourados, porém, o mais novo, Valter, seria quem teria contato com traficantes de outros países e quem cuidava dos negócios ilícitos da família, enquanto Marcel passava uma fachada de empresário e cuidava da lavagem de dinheiro, de acordo com a PF.

Segundo o delegado da PF, Lucas Vilela, que coordenou tanto a Operação Prime quanto a Sordidum, deflagradas no mesmo dia, as armas vinham do Paraguai, mas a polícia ainda apura a origem do armamento.

“A chegada das armas, ao que tudo indica, era pelo Paraguai. A gente não conseguiu identificar os destinatários, os clientes do grupo, mas tem clientes no Rio de Janeiro, Curitiba (PR), Rio Grande do Sul e Santa Catarina”, declarou o delegado ao Correio do Estado.

A PF não informou quais são as armas que entram ilegalmente e que são repassadas para as quadrilhas. No entanto, durante as operações realizadas na semana passada, foram apreendidas duas submetralhadoras, uma espingarda calibre 12, um revólver e cinco pistolas, além de munições.

FACÇÕES

No Rio de Janeiro, de acordo com mapeamento feito pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, pelo menos cinco grupos criminosas atuam dentro e fora dos presídios, sendo elas: Comando Vermelho (CV), Amigo dos Amigos, Terceiro Comando Puro, milícias (apesar de serem várias, elas se classificam como um grupo só) e Povo de Israel.

Já no Paraná, há a presença do CV, do Primeiro Comando da Capital (PCC), do Primeiro Grupo Catarinense, do Cartel do Sul, do Ferro Velho e da Máfia Paranaense.

Outro estado para o qual os irmãos forneciam armamentos, segundo a PF, é Santa Catarina, onde há atuação das seguintes facções: CV, PCC, Bala na Cara, Primeiro Grupo Catarinense, Os Mano, Comando Leal, Primeiro Crime Revolucionário Catarinense.

Já o Rio Grande do Sul é o estado brasileiro onde há o maior número de organizações criminosas atuando dentro e fora dos presídios, de acordo com o levantamento – ao todo, são 15.

INVESTIGAÇÃO

Faz uma semana que o Correio do Estado vem trazendo uma série de matérias a respeito das três quadrilhas que foram alvo das operações Prime e Sordidum.

No caso desse grupo de Dourados, a ação deles foi “dedurada”, por conta do relacionamento de amizade que os líderes da facção tinham com o chefe de outra organização criminosa.

Segundo matéria publicada na sexta-feira pelo Correio do Estado, a investigação começou após uma empresa de fechada localizada em Ponta Porã ter ganhos altíssimos. Os policiais descobriram que o local servia de lavagem para quadrilha que traficava cocaína para países da América Central e que, possivelmente, seguia para os Estados Unidos.

A partir da identificação desse grupo, a PF chegou a uma segunda organização criminosa, também voltada à prática de tráfico de cocaína e que tinha como chefão um traficante que já havia sido alvo de outra operação no ano passado, a Downfall.

“O chefe do primeiro grupo tinha um relacionamento com o chefe do segundo grupo. Eles trocavam mensagens pessoais, eles tinham uma relação de amizade”, contou o delegado.

A partir desse momento, a polícia chegou a essa terceira quadrilha, que seria comandada pelos irmãos Martins, já que eles também eram amigos do chefão da segunda facção.

“O segundo grupo, no caso, é o elo comum entre o primeiro e o terceiro. A partir da identificação do primeiro grupo, como um dos contatos dele era o chefe do segundo grupo, a gente chegou nessa quadrilha, e ele também tinha uma relação próxima com o chefe do terceiro grupo”, relatou Vilela, que relatou ainda que o traficante era chamado de compadre tanto pelo líder do primeiro grupo, Ronildo Chaves Rodrigues, quanto pelos irmãos Martins.

Ainda de acordo com a investigação, outro ponto em comum das organizações é o fato de que todas elas usavam doleiros paraguaios para lavar o dinheiro fruto do tráfico de drogas. Juntas, as quadrilhas tinham patrimônio estimado em R$ 100 milhões.

Saiba

Ao todo, as operações Prime e Sordidum da Polícia Federal tinham o objetivo de cumprir 64 mandados de busca e apreensão, 25 mandados de prisão preventiva, 11 mandados de prisão temporária, sequestro de cerca de 90 imóveis e bloqueio de bens e valores de cerca de 80 pessoas e empresas supostamente envolvidas nos esquemas.

Assine o Correio do Estado

Previsão do tempo

Confira a previsão do tempo para hoje (25) em Campo Grande e demais regiões de Mato Grosso do Sul

Sábado será de frio em todo o estado

25/05/2024 04h30

Pessoas agasalhadas durante frio em Campo Grande

Pessoas agasalhadas durante frio em Campo Grande Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado

Continue Lendo...

Neste sábado (25), há previsão de muitas nuvens e possibilidade de chuvas, as amplitudes térmicas serão pequenas, ou seja, pequena diferença entre a temperatura máxima e a mínima. A sensação de frio
será reforçada devido ao tempo fechado.

Os locais com maior probabilidade de chuvas são as regiões centro-sul, sudoeste e oeste do estado, com
acumulados previstos entre 20 mm e 30 mm.

Os ventos atuam do quadrante sul com valores entre 30km/h e 50 km/h. Pontualmente, podem ocorrer rajadas de vento acima de 50 km/h.

Confira abaixo a previsão do tempo para cada região do estado:

Para Campo Grande, estão previstas temperatura mínima de 14°C e máxima de 16°C.

A região do Pantanal deve registrar temperaturas entre 14°C e 17°C.

Em Porto Murtinho é esperada a mínima de 12°C e a máxima de 14°C.

O Norte do estado deve registrar temperatura mínima de 16°C e máxima de 22°C.

As cidades da região do Bolsão, no leste do estado, terão temperaturas entre 17°C e 25°C.

Anaurilândia terá mínima de 14°C e máxima de 18°C.

A região da Grande Dourados deve registrar mínima de 11°C e máxima de 15°C.

Estão previstas para Ponta Porã temperaturas entre 9°C e 12°C.

Já a região de Iguatemi terá temperatura mínima de 11°C e máxima de 15°C.

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).