Cidades

Cidades

Palmeiras perde outro pênalti, mas consegue vencer

Palmeiras perde outro pênalti, mas consegue vencer

Redação

08/05/2010 - 20h46
Continue lendo...

     

        Da redação

        Depois de perder quatro penalidades e ser eliminado da Copa do Brasil pelo Atlético-GO no meio de semana, o Palmeiras sofreu do mesmo mal na estreia do Campeonato Brasileiro, neste sábado, mas conseguiu vencer. Jogando em casa, o time alviverde viu Robert desperdiçar uma penalidade, mas Lincoln garantiu o triunfo por 1 a 0 sobre o Vitória.

        Com o resultado, o time alviverde soma os primeiros três pontos no Campeonato Brasileiro e ameniza as críticas recebidas da torcida, que inclusive protestou antes do jogo deste sábado.

        O Palmeiras volta a campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo, quando enfrenta o Vasco, fora de casa, às 18h30 (de Brasília). No mesmo horário, mas um dia antes, o Vitória tem pela frente o Flamengo, em Salvador.

        Porém, antes de enfrentar o Flamengo pelo Brasileiro, o Vitória se concentra na Copa do Brasil. Na próxima quarta-feira, a equipe baiana pega o Atlético-GO, em Goiânia, pela partida de ida da semifinal.

        O jogo

        Eliminado da Copa do Brasil pelo Atlético-GO no meio de semana, o Palmeiras entrou no gramado do Palestra Itália e ouviu gritos de "time sem-vergonha" de uma torcida organizada. Já outros torcedores pediam "atitude" à equipe.

        Contudo, quando a bola rolou, os protestos não surtiram muito efeito. O time da casa apresentava poucas chances efetivas para abrir o placar. Nem mesmo o lateral direito Vítor, estreante da noite, conseguia resolver. Diante do futebol apático da equipe, o técnico Antônio Carlos se irritou e chegou a chutar uma garrafa para dentro do gramado.

        As poucas oportunidades do Palmeiras surgiam de jogadas de bola parada. Como aos 20min, quando Cleiton Xavier cobrou escanteio e Léo desviou de cabeça, levando perigo. Quatro minutos depois, Ewerthon arriscou de longe e a bola passou perto do gol de Viáfara.

        Jogando defensivamente, o Vitória só assustou o adversário aos 35min. Egídio cruzou e Júnior cabeceou, exigindo grande defesa de Marcos. Após o susto, o Palmeiras respondeu com Lincoln, que arriscou um chute para o gol que parou nas mãos de Viáfara.

        Segundo tempo: Palmeiras erra pênalti, mas triunfa

        O Palmeiras voltou melhor para a etapa final e logo ameaçou o gol do Vitória. Aos 8min, Lincoln lançou Armero, que cortou um adversário e bateu para fora. Um minuto depois, foi a vez de Lincoln mandar ao lado da trave direita de Viáfara.

        Já aos 11min, o time da casa perdeu um gol incrível. Ewerthon recebeu na área pela direita e rolou para Robert, totalmente livre, apenas tocar para as redes. Contudo, o chute do atacante passou ao lado da trave direita do Vitória. Apesar da chance desperdiçada, a torcida do Palmeiras passou a incentivar ainda mais a equipe.

        O apoio deu resultado aos 15min, quando Wallace derrubou Ewerthon na área, foi expulso e viu o árbitro marcar pênalti. O técnico Antônio Carlos deixou que Robert cobrasse a penalidades para que o atacante se redimisse da grande chance perdida.

        Robert, porém, não correspondeu. O atacante bateu à meia-altura no canto direito e Viáfara fez bela defesa. Desta vez, a torcida palmeirense não perdoou e chamou Antônio Carlos de "burro" por deixar Robert cobrar a penalidade.

        O cenário que já era ruim para o Palmeiras quase piorou aos 22min, mas Marcou salvou a equipe ao defender um forte chute de Júnior. Antônio Carlos, então, resolveu mudar: colocou Paulo Henrique na vaga de Robert (que saiu vaiado) e trocou Pierre por Vinícius.

        Até que aos 33min, Cleiton Xavier avançou com liberdade pelo meio campo e deu belo passe para Lincoln, que bateu cruzado e venceu o goleiro Viáfara. Na comemoração do gol, o camisa 99 foi ao banco de reservas abraçar Robert.

        Diante de um adversário sem pretensões na partida, o Palmeiras apenas administrou o resultado e pôde comemorar a estreia vitoriosa. (DO Terra)

BONITO

Som alto e festas eletrônicas duradouras devem acabar, recomenda MP

No Diário Oficial do órgão desta quarta-feira (17), justificativas como poluição sonora, cancelamento de reservas e diárias em hotéis e "tática de guerra" foram usadas para embasar tal recomendação

17/07/2024 10h30

MPMS recomendou o fim de festas duradouras e com som alto acima dos limites estabelecidos em Bonito

MPMS recomendou o fim de festas duradouras e com som alto acima dos limites estabelecidos em Bonito Foto: Reprodução

Continue Lendo...

O Ministério Público do Mato Grosso do Sul (MPMS), através do Diário Oficial da entidade desta quarta-feira (17), recomendou à Prefeitura Municipal de Bonito não autorizar a realização de festas duradouras e com som alto fora do horário e acima dos decibéis estabelecidos por lei.

Para justificar tal recomendação, o órgão estadual argumenta que as atividades barulhentas podem ser prejudiciais à saúde humana e de animais, que sofrem com sons acima dos 60 dB, além de sofrer consequências mais graves, como a possibilidade de ataque cardíaco com sons acima dos 70 dB.

Outro motivo seria o desconforto causado pelas “Tendas Eletrônicas”, que seriam armadas no gramado da Praça do Rádio, uma zona predominantemente urbana e “fora do perímetro geográfico oficial do Festival de Inverno de Bonito e do calendário oficial do evento”. Ainda sim, a de se considerar que a Praça do Rádio de Bonito é um espaço público localizado em área urbana residencial a 6 metros de distância de casas e sem qualquer barreira acústica, tendo a constante presença de idosos e crianças na região.

Ademais, ainda segundo a determinação, a tenda abrigou, por dois anos consecutivos (2022 e 2023), eventos do tipo “festa rave”, com duração de 14 horas ininterruptas, ou seja, sem intervalo de silêncio, começando meio-dia e terminando após a meia-noite. Consequentemente, isso acarretou no incômodo de moradores próximo ao local, já que os sons eram de caráter repetitivos, hipnóticos e torturante.

Além disso, o Ministério Público também reforça que os sons altos duradouros acarretaram no cancelamento de reservas e diárias em hotéis e pousadas próximas à região, trazendo malefícios à economia e turismo da cidade sul-mato-grossense. 

O MPMS ainda disponibilizou, como forma de exemplificar os “sons torturantes”, uma reportagem do jornal inglês BBC, do qual conta como os estado-unidenses usaram a música alta para torturar o líder panamenho Manuel Noriega, como uma “tática de guerra”.

Após essas considerações, o Ministério Público recomendou à Prefeitura Municipal de Bonito e suas respectivas secretarias a não concessão de alvará, licença ou qualquer tipo de autorização para a prática dessas atividades, com sons descritos como hipnóticos e psicodélicos, fora do horário e limites permitidos por lei (até 55 decibéis entre 7h e 20h e de 50 decibéis ou mais nos demais horários), além de não poderem ser de maneira ininterrupta (sem intervalos de silêncio em dias consecutivos) e em espaços públicos próximos à áreas residenciais.

Além disso, sugere-se a equipagem dos órgãos fiscalizadores responsáveis com aparelhos medidores de som, os chamados sonômetros, a fim de garantir a obediência aos limites impostos por lei, para que então os devidos “criminosos” sejam punidos. Por fim, o MPMS deu o prazo de 15 dias para a resposta do executivo municipal e das secretarias envolvidas, reforçando que, caso as autorizações sejam concedidas para a prática dessas atividades ilegais, os responsáveis serão notificados pelos “eventuais danos e prejuízos causados à população impactada”.

Em resposta, a Prefeitura de Bonito afirmou que irá analisar junto ao prefeito, Silvio Mauro Rodrigues Mota, e as devidas secretarias.

Assine o Correio do Estado

TRÂNSITO

PM autua 331 veículos trafegando em faixa exclusiva em um dia

Ação faz parte da Operação Faixas Exclusivas da PMMS, que começou na terça-feira (16) e vai até sexta-feira (19)

17/07/2024 09h55

Táxis transitando em sua faixa exclusiva

Táxis transitando em sua faixa exclusiva MARCELO VICTOR

Continue Lendo...

Batalhão de Polícia Militar de Trânsito (BPMTran) autuou 331 veículos por trafegarem na faixa exclusiva de ônibus, nesta terça-feira (16), nas avenidas Rui Barbosa, Duque de Caxias e Brilhante.

A ação faz parte da Operação Faixas Exclusivas da PMMS, que começou na terça-feira (16) e vai até sexta-feira (19), podendo se estender por mais dias. Com auxílio de drones, 30 militares participam da operação.

O objetivo é dar exclusividade aos veículos que necessitam desta faixa, como táxis, ônibus ou veículos de emergência.

A via dá mais agilidade e permite que veículos de urgência cheguem mais rápido no seu local de destino, levando em consideração de que dois minutos podem salvar a vida de uma pessoa.

É permitido utilizar a faixa apenas para conversões ou acessar imóveis do lado da via.

Segundo o artigo 184 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB),a multa para quem trafega na faixa ou via de trânsito exclusivo é de R$293,47, sendo infração gravíssima e penalidade de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

De acordo com o subcomandante do BPMTran, Everton Miller, faixas exclusivas auxiliam na redução de acidentes.

“A ideia é priorizar os veículos que necessitam dessa faixa, para prestar serviço a população em menor tempo, como veículos de emergência e também, prevenir acidentes pelo uso indevido da mesma pelos demais motoristas”, explicou o subcomandante.

Várias batidas, entre carro e ônibus, foram flagradas em corredores exclusivos. Veja:

 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).