Cidades

Cidades

Paternidade de indústria vira guerra política

Paternidade de indústria vira guerra política

Redação

19/02/2010 - 08h21
Continue lendo...

PT e PMDB est ão em guerra pela paternidade do complexo industrial Fibria/ International Paper de Celulose e Papel de Três Lagoas e brigam para atrair a atenção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que visita a fábrica hoje. Os petistas são taxativos ao declarar que o empreendimento só saiu do papel graças ao empenho do ex-governador José Orcírio dos Santos (PT), que, segundo eles, viabilizou os incentivos fiscais para atrair os investidores para Mato Grosso do Sul. No entanto, os anfitriões políticos serão o governador André Puccinelli (PMDB) e a prefeita Simone Tebet (PMDB). O fato de os peemedebistas figurarem como estrelas, ao lado do presidente, irritou alguns petistas. José Orcírio não perdeu tempo e postou em seu twitter críticas, denunciando a suposta apropriação indébita da obra por parte de lideranças do PMDB. “Todos sabem que a inauguração do complexo industrial Fibria/International Paper de celulose e papel no município é graças ao governo do PT”, afirmou. “Não dá pra ficar ouvindo quem não moveu uma palha ‘cacarejar’, agora, que foi quem trouxe a empresa pra cá. Todos sabem que não é verdade”, completou. O vice-presidente do Diretório Municipal do PT, Gilmar Tosta, reforçou o discurso, acusando Simone Tebet de ingrata. “Quem construiu Três Lagoas foi o governo do presidente Lula. Lamento a ingratidão da prefeita, que avoca todas as obras para si”, acusou. Segundo ele, não faltam no município empreendimentos federais e, como exemplo, citou a revitalização do balneário municipal, a construção de clínicas de saúde e o asfaltamento de ruas. Sobre a viabilização do complexo industrial Fibria/ International Paper, Tosta deu o mérito ao ex-governador. “O Zeca (José Orcírio) foi para os Estados Unidos buscar a fábrica, oferecendo incentivos fiscais”, contou. No entanto, hoje, serão os peemedebistas que terão local de destaque ao lado do presidente. Como governador e como prefeita, respectivamente, Puccinelli e Simone vão dividir as atenções com Lula. Eles vão recepcioná-lo no aeroporto e seguir de helicóptero presidencial direto para a empresa. “O André e a Simone aproveitam os cargos políticos para dar a entender ao povo que eles são os responsáveis pela instalação da fábrica”, comentou Tosta. Demarcando espaço Para não ficarem por bai xo, os pet istas foram atrás de espaço no evento do presidente, em Três Lagoas, contudo, negam qualquer intenção de transformar a passagem da estrela do partido em ato político. José Orcírio vai encontrar-se com Lula na sala vip, montada na fábrica. Ele garante que só decidiu comparecer ao ato porque teria sido convidado pelo presidente. “Não estou preocupado em falar sobre política com ninguém, pois o momento é inadequado”, desconversou. A prefeita Simone Tebet também fez questão de ressaltar o esforço em não transformar o evento em palanque eleitoral e não quis entrar no mérito de quem é o responsável pela implantação da fábrica em Três Lagoas. Para ela, os políticos devem se empenhar e se unir, independentemente de bandeira partidária, para trazer recursos para os municípios de Mato Grosso do Sul e não se aterem em colher louros eleitoreiros. Mas o fato é que o PT e PMDB estão de olho nas eleições e devem tratar de política com Lula. Tudo caminha para Puccinelli e Orcírio polarizarem a disputa pelo Governo do Estado e, neste caso, o apoio de um presidente popular torna-se fundamental. O governador já avisou que só ficará do lado da candidatura da min istra Di lma Rousseff a presidente da República se o PT não enfrentá-lo na sucessão estadual. Hoje, ele deverá reforçar sua posição a Lula. Em contrapartida, José Orcírio vai marcar presença para endossar sua intenção do concorrer ao governo.

Veja o vídeo

Vazamento de combustível origina incêndio de grande proporção no Indubrasil

Combustível foi derramado na pista e rastro de fogo se formou no local, além de uma densa fumaça preta que pôde ser vista de várias regiões de Campo Grande

24/07/2024 18h31

Incêndio gerou fumaça preta que pode ser vista em várias regiões de Campo Grande

Incêndio gerou fumaça preta que pode ser vista em várias regiões de Campo Grande Foto: Reprodução

Continue Lendo...

Um incêndio de grandes proporções atingiu a área de empresa na região do Indubrasil, em Campo Grande, no fim da tarde desta quarta-feira (24).

Uma fumaça preta se formou no local e pôde ser vista de várias partes da Capital, chamando a atenção de moradores.

Conforme informações apuradas pelo Correio do Estado, equipes do Corpo de Bombeiros foram encaminhadas para o local e, até a publicação desta reportagem, não há informação se há feridos ou pessoas intoxicadas.

A região concentra várias empresas, no Polo Industrial Oeste, e informações de testemunhas é de que as chamas teriam iniciado em uma carreta bitrem que transporta combustíveis, ainda dentro do pátio de uma empresa de produção de derivados de nafta petroquímica e solventes especiais.

Uma testemunha afirma que o motorista da carreta conseguiu conter o vazamento e tirou o veículo do pátio, para evitar que houvesse alastramento das chamas para o prédio.

No entanto, houve vazamento de combustível em um trecho da via por onde a carreta passou.

Em vídeo encaminhado ao Correio do Estado, é possível ver o rastro de chamas. Nas imagens também é possível ver a densa fumaça preta que se formou no local.

Informações preliminares são de que o motorista não sofreu ferimentos.

O Corpo de Bombeiros trabalha no combate às chamas e atendendo possíveis vítimas que possam ter se intoxicado com a fumaça.

As causas e circunstâncias do incêndio serão apuradas.

 

Mato Grosso do Sul

Bombeiros de sete estados reforçam combate ao fogo no Pantanal

Especialistas em incêndios florestais de Goiás estão atuando desde quarta-feira (24) no Pantanal sul-mato-grossense; militares de outros estados devem chegar até o fim de semana

24/07/2024 18h20

Divulgação/CBM

Continue Lendo...

Com focos de incêndios ativos no Pantanal de Mato Grosso do Sul, bombeiros do Goiás e Paraná chegaram para reforçar a frente de combate. A ação vem para tentar evitar a propagação do fogo diante das condições climáticas propícias.

O estado de Goiás enviou oito militares que fazem parte da Guarnição de Combate a Incêndios Florestais (GCIF), que iniciaram os trabalhos, nesta terça-feira (23) na região de Maracangalha, localizada aproximadamente a 50km de Corumbá.

Conforme conticiado pelo Correio do Estado, somente nos últimos dois dias nesta semana  9,7 mil hectares foram consumidos pelo fogo

Reforço

Ainda, estão previstos a chegada de 12 bombeiros do Paraná que estão no trecho e devem chegar na quinta-feira (25), em Corumbá. 

Outro grupo, com 12 bombeiros do Paraná, já está em deslocamento para Corumbá, com previsão de chegada amanhã (25).

"A previsão é de que todos sigam direto para Corumbá. O pessoal do Paraná confirmou que dia 26 estará disponível para a operação", explicou a tenente-coronel Tatiane Inoue, diretora de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros Militar, responsável pelo monitoramento e ações de combate aos incêndios florestais em Mato Grosso do Sul. 

A diretora de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros Militar, que comanda as ações,  Tatiane Inoue relatou que até o dia 26 de junho os paranaenses somam esforços contra o fogo na região. 

Ao todo virão bombeiros dos seguintes estados:

  • São Paulo;
  • Sergipe;
  • Pará;
  • Rondônia;
  • Paraíba.

 

O Corpo de Bombeiros Militar do Paraná enviou ao Estado, quatro guarnições, e equipamentos específicos, para colaborar nas ações de controle e extinção do fogo no Pantanal. "Neste momento estamos na rodovia, deslocando até o Pantanal, com previsão de chegada no fim da tarde de amanhã (25). Estamos levando diversos equipamentos de combate a incêndio florestal, material de comunicação, EPI, para podermos auxiliar", disse o capitão do Corpo de Bombeiros do Paraná, Alexandre Cavalca.

Condições climáticas

A Cidade Branca padece com altas temperaturas como nesta quarta-feira (24) em que os termômetros no meio da tarde atingiram 36 °C com sensação térmica de 40°C, segundo informou ao Correio do Estado, meteorologista Natálio Abrahão.

Além disso, o município ficou entre os mais secos do Estado com a umidade relativa do ar em 14%, o que favorece a expansão das queimadas no Pantanal.

No dia anterior 23 de julho, a temperatura seguiu severa com o termômetro indicando 33°C, e rajadas de vento que atingiram  30 km/h, condições propícias para que aumentem os focos de incêndio. 

Para evitar o alastramento os bombeiros intensificaram as ações de combate juntamente com andamento na parte de monitorar e manter rescaldo de áreas que foram atingidas anteriormente. 

Neste momento, os militates trabalham nas proximidades da Fazenda Caimã, região localizada nas proximidades do Porto da Manga e as seguintes localidades:

  • área de adestramento do Rabicho;
  • região da Maracangalha.

114 dias de combate

A Operação Pantanal completou nesta quarta-feira (24) 114 dias de atuação de combate aos incêndios florestais. Ao todo atuaram 500 militares durante este período.

O fogo começou no Pantanal em abril, juntamente com aquele período são mais de 1 mil bombeiros envolvidos.

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).