Polícia

APREENSÃO

Caminhonete que ia de "cegonha" para SP tinha 126 kg de cocaína nas rodas

Vídeo feito pela Polícia Rodoviária Federal mostra cão farejador localizando as substâncias

Continue lendo...

Trabalho conjunto das delegacias especializadas de repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros (GARRAS) e Crimes de Fronteira (Defron) em Campo Grande resultou na localização de mais de 126 kg de cocaína, que estavam escondidos nas rodas de uma caminhonete que estava em caminhão cegonha com destino ao Estado de São Paulo. 

Contando também com o apoio das polícias Rodoviária Federal e Civil de Mato Grosso do Sul, a apuração desse crime de tráfico de drogas foi confirmada, inclusive, com a participação de equipe da PRF com cão farejador, que se deslocou até uma transportadora de veículos.

Ali, o animal fez sua inspeção e logo indicou a existência de drogas junto às rodas de uma caminhonete, de onde a polícia conseguiu extrair 125 tabletes de substância entorpecente análoga à pasta base de cocaína. 

Confira o trabalho: 

Apreensões

Antes disso, na quinta-feira (08) a PRF divulgou outra apreensão de cocaína em Mato Grosso do Sul, com 82 kg apreendidos em Ponta Porã. Após fuga em alta velocidade, os policiais alcançaram uma Chevrolet/S10, conduzida por um homem de 23 anos. 

Esse indivíduo chegou a tentar fugir a pé, abandonando a caminhonete carregada, porém foi alcançado e detido em seguida. As drogas estavam em um compartimento oculto e o motorista foi preso e encaminhado à Polícia Judiciária local. 

Porém, nenhuma dessas apreensões superaram as duas maiores deste ano, sendo 238 kg de cocaína apreendidos em Rio Verde de Mato Grosso em 18 de janeiro, e outros 242 kg no dia 30 desse primeiro mês, em Ivinhema. 

 

Assine o Correio do Estado

Crime passional

Mulher é presa no Paraná por ataque com ácido contra jovem em Jacarezinho

Suspeita confessou ter agido por ciúmes

24/05/2024 15h00

Câmeras de segurança flagaram a jovem pedindo socorro após o ataque

Câmeras de segurança flagaram a jovem pedindo socorro após o ataque Reprodução

Continue Lendo...

Na manhã desta sexta-feira (24), uma mulher foi presa sob suspeita de atirar ácido no rosto de Isabelly Aparecida Ferreira Moro, 23 anos, em Jacarezinho, Paraná. Segundo a Polícia Civil, a suspeita, cujo nome não foi divulgado, confessou o crime e afirmou ter agido por ciúme de seu companheiro, que supostamente trocava mensagens com a vítima.

A prisão ocorreu após a própria suspeita acionar a Polícia Militar, alegando estar sendo perseguida por quatro homens. Um vídeo divulgado pela Polícia Civil, mostrando a mulher de peruca loira, ajudou na sua identificação.

De acordo com a polícia, Isabelly estava saindo de uma academia no centro de Jacarezinho na tarde de quarta-feira (22) quando foi atacada com uma substância ácida, identificada pela suspeita como uma mistura de soda cáustica e água. Isabelly foi socorrida e está internada em estado grave na UTI do Hospital Universitário de Londrina.

Uma testemunha encontrou um copo e uma sacola preta, supostamente usados no crime, que foram encaminhados para análise pericial. Imagens de câmeras de segurança revelaram que a agressora vestia roupas largas, boné, camisa vermelha, calça preta e uma peruca loira.

A investigação avançou rapidamente após testemunhas e familiares afirmarem que Isabelly não tinha desentendimentos recentes, exceto com seu ex-namorado, que está preso preventivamente. Policiais civis confirmaram que a atual companheira do ex-namorado de Isabelly não retornou para casa nem buscou seu filho na creche na noite do crime.

Com a autorização da avó da suspeita, a polícia realizou buscas na residência e encontrou uma peruca castanha, enquanto a peruca loira usada no ataque estava em posse da suspeita. A avó, ao ver as imagens das câmeras de segurança, reconheceu a neta como a agressora, levando a polícia a solicitar sua prisão preventiva, prontamente deferida pela Justiça.

Em depoimento, a suspeita alegou ter se escondido em um matagal e, ao sentir frio e temer ser perseguida, procurou ajuda em um hotel, onde o funcionário chamou a Polícia Militar. Na delegacia, ela confirmou ter atacado Isabelly por raiva e ciúmes, motivados por mensagens antigas no celular de seu companheiro.

A Polícia Civil informou que a suspeita indicou um matagal onde se desfez das roupas usadas no dia do crime. Ela foi indiciada por tentativa de homicídio qualificado, incluindo motivos fúteis, emboscada, meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima e uso de substância corrosiva.

8/1

Atos Golpistas: Homem é preso pela PRF em Naviraí tentando fugir para Argentina

Após realizar ultrapassagem em local proíbido, o condutor foi abordado pela PRF, na BR-163, e confessou que possui pendências com a Justiça, por ter participado da depredação em Brasília no dia 8/1

23/05/2024 15h45

A mãe do fugitivo confessou que o filho pretendia fugir para a Argentina temendo ser condenado

A mãe do fugitivo confessou que o filho pretendia fugir para a Argentina temendo ser condenado Divulgação PRF

Continue Lendo...

Com a mãe no veículo, ao realizar uma ultrapassagem indevida, um homem foi parado por agentes da Polícia Rodoviária Federal, na BR-163, em Naviraí. Enquanto conversava com os agentes acabou confessando que possuía pendências com a Justiça que o implicava no quebra-quebra em Brasília no dia (8/1) de 2023.

A reportagem do Correio do Estado apurou com a Polícia Rodoviária Federal que o homem preso tem 31 anos, é natural do interior de São Paulo, entretanto residia no interior do Mato Grosso (MT).

A prisão ocorreu na manhã desta quarta-feira (22), conforme levantado pela jornalista Andréia Sadi, no G1, no momento da abordagem ele confessou que rompeu a tornozeleira eletrônica no dia anterior e estava tentando sair do país e fugir na Argentina.

Durante a conversa, a mãe informou que estava acompanhando o filho que pretendia deixar o país para burlar uma possível condenação. Ao ser encaminhado para a delegacia, a polícia constatou que no nome do homem havia um mandado de prisão emito pelo Superior Tribunal Federal (STF).

Atos Golpistas

Segundo o Superior Tribunal Federal, mais de 1.400 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público após os atos de oito de janeiro, destes 216 pessoas foram condenadas em penas que variam de 3 a 17 anos, pelos seguintes crimes:

  • Abolição violenta do Estado Democrático de Direito,
  • Golpe de Estado,
  • Dano qualificado,
  • Associação criminosa,
  • Incitação ao crime,
  • Destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido.

27ª fase da operação lesa-pátria financiadores

Na manhã desta quinta-feira (23), a Polícia Federal deflagrou mais uma fase da operação com foco de identificar os financiadores dos atos golpistas do 8 de janeiro de 2023, em Brasília que teve o prédio dos Três Poderes invadido e depredado.

Mandados judiciais

  • 18 mandados de busca e apreensão;
  • 2 de monitoramento eletrônico )tornozeleira eletrônica), expedidos pelo Supremo Tribunal;

Nesta fase da operação a ação ocorreu no Paraná com 7 alvos, Mato Grosso com 1 alvo e Rondônia com 2 alvos. 

Outras fases

Em fases anteriores, conforme noticiado pelo Correio do Estado, empresários foram alvos em Mato Grosso do Sul, apontados como financiadores dos atos golpistas que culminaram com a invasão da sede dos Três Poderes em Brasília.

 

** Reportagem atualizada 16h01

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).