Clique aqui e veja as últimas notícias!

ASSEMBLEIA

Professores da UFMS ameaçam greve sanitária e discutem sobre volta às aulas

Assembleia geral nesta quarta-feira (3), discute sobre volta às aulas e possibilidade de greve
02/03/2021 19:30 - Bruna Pasche


Professores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), ameaçam greve sanitária e convocam Assembleia na tarde desta quarta-feira (3). A reunião vai discutir a possibilidade da greve, além da volta às aulas e aprovação de Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial.

A Assembleia foi convocada pela ADUFMS (Associação dos Docentes da UFMS) e de acordo com o presidente Marco Aurélio Stefanes, ele o único caminho é fortalecer a luta sindical e buscar esclarecer o máximo possível as informações para toda a classe.  

Últimas notícias

“Há muitos anos não enfrentamos um contexto tão grave e nefasto que se coloca para os professores e professoras da rede de ensino superior público. Não apenas no atuar do magistério, nos obstáculos absurdos para realizar nosso trabalho, mas também agora com o fato da imposição de colocarmos nossas vidas, de nossas famílias e alunos em risco, com o retorno às aulas presenciais contra todas as evidências científicas", afirmou em nota.  

Os professores irão discutir sobre o retorno às aulas presenciais mesmo sem vacinação de professores, técnicos e alunos, aprovação iminente da PEC Emergencial (186/2019) que prevê a redução em até 25% de salários e jornadas de trabalho dos servidores.

Além da chamada Reforma Administrativa (PEC 32/2020) que amplia a possibilidade de demissões por desempenho dos servidores na ativa. "Por critérios não-objetivos, inclusive de origem política; acaba com a estabilidade no emprego para futuros servidores; limita drasticamente a pesquisa científica e projetos de extensão, aumentando a carga de aulas já sobrecarregada; reduz as contratações para quais é exigido concurso público, ou seja, abre caminho para o famoso cabide de empregos, funcionários no “cabresto”, à mercê dos feitos e malfeitos do político que os empossar", descreve a Associação.

"Para os professores, representa o fim da liberdade de pensamento e uma alta possibilidade de aumento da perseguição política e ideológica, como já vem acontecendo pelas universidades do país", conclui.  

Ensino híbrido

Na última quinta-feira (25), a UFMS confirmou o ensino híbrido até o fim deste ano letivo para cursos de graduação e pós-graduação. Esta modalidade consiste em aulas presenciais e virtuais.

Aulas teóricas serão 100% ministradas à distância, enquanto aulas práticas estão permitidas de forma presencial, de acordo com protocolos de biossegurança e características dos cursos.

Projetos de ensino, pesquisa e extensão, inovação e empreendedorismo também poderão ser executados no modo presencial. 

De acordo com a universidade, autoridades estão em reunião com todas as 25 unidades (câmpus, faculdades, institutos e escolas) já nesta semana para discutir a respeito das atividades híbridas. 

As aulas começam em 15 de março.

Assine o Correio do Estado.