Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Agosto começa com aumento da taxa de letalidade da Covid-19 em Mato Grosso do Sul

Em 24 horas, Estado confirmou 642 novos casos e 17 mortes pela doença
03/08/2020 11:31 - Glaucea Vaccari


Agosto começou com aumento na taxa de letalidade da Covid-19 em Mato Grosso do Sul. Em dois dias, 21 pessoas morreram da doença no Estado.

De acordo com boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira, apenas em 24 horas foram confirmados 642 novos casos e 17 mortes.

A taxa de letalidade, que encerrou o mês de julho em 1,5%, subiu para 1,6%.

Campo Grande continua com a curva ascendente e confirmou 332 casos em um dia, seguida por Aquidauana (54), Miranda (44), Corumbá (25) e Dois Irmãos do Buriti (25).

Quanto as 17 mortes, oito ocorreram em Campo Grande, sendo cinco homens, de 91, 82, 58, 74 e 64 anos; e três mulheres, de 58, 77 e 56 anos. Apenas uma vítima não tinha comorbidades.

Também morreram quatro pessoas em Corumbá, e nas cidades de Dourados, Terenos, Amambai, Nova Andradina e São Gabriel do Oeste, com uma vítima cada.

Desde o início da pandemia, são 26.645 casos confirmados em Mato Grosso do Sul. Deste total, 20.229 são considerados recuperados.  

Entre os casos ativos, 5.524 estão em isolamento domiciliar e 471 estão internados, com 281 internações em leitos clínicos e 195 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Quanto a ocupação de leitos, a macrorregião de Campo Grande continua na situação mais preocupante, com 90% ocupados. Dourados tem 57%, Três Lagoas 22% e a macro de Corumbá tem 72% de ocupação.

 
 

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!