Cidades

Cidades

TSE suspende eleição de Paraíso das Águas

TSE suspende eleição de Paraíso das Águas

Redação

13/02/2010 - 07h45
Continue lendo...

Ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) suspenderam a primeira eleição do recém-criado município de Paraíso das Águas, em Mato Grosso do Sul, que estava marcada para o dia 14 de março deste ano. A decisão foi tomada ontem, a pedido do Ministério Público Eleitoral (MPE). A eleição foi determinada por resolução do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul. O MPE argumentou que não caberia ao TRE-MS convocar a eleição e pede que o pleito seja realizado somente em 2012, com as eleições dos demais municípios. No TSE, o ministro Felix Fischer, relator, classificou como ímpar a situação, afirmando que como processo eleitoral é de competência legislativa da União, “não competiria ao estado legislar sobre o tema”. “E, da mesma forma, um órgão da Justiça Eleitoral não poderia fazêlo”, acrescentou. Em seu voto, Fischer destacou que a autorização para a criação de um município não está vinculada à sua imediata estruturação e funcionamento. Assim, a nova cidade poderia continuar funcionando com o prefeito do “município mãe” (no caso, Costa Rica) até as próximas eleições municipais. O voto foi acompanhado por unanimidade pelos demais ministros. Porém, a liminar concedida ontem apenas suspende a eleição até o julgamento do caso pelo plenário do TSE. Candidato único Para a primeira eleição do recém-criado município, oito partidos se uniram em apoio a chapa única para prefeito encabeçada por Ivan da Cruz Pereira, o Xixi (PDT), tendo como vice Edivaldo Alves Júnior, o Topete Júnior (PSC), filho do prefeito de Água Clara, de quem herdou nome e apelido. O acordo une siglas tradicionalmente adversárias no Estado, como o PT com o PSDB e o PMDB. O bloco inclui ainda o PDT, PR, PTB, PCdoB e DEM. O processo de emancipação de Paraíso das Águas começou em 2003 (com desmembramento do distrito de Costa Rica recebendo território também de Chapadão do Sul e de Água Clara) mas só foi autorizado no ano passado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). (ME)

Mercado online

Polícia acaba com esquema que desviava mercadorias compradas on-line

O esquema contava com participação de funcionários que desviavam compras feitas online; apenas uma funcionária furtou um total de R$ 10 mil no último mês

15/07/2024 17h20

Continue Lendo...

Funcionários de uma transportadora de entrega de produtos adquiridos pela internet, foram presos pelo desvio de mercadorias. Somente em junho "a mão leve" levou o equivalente a R$ 10 mil. 

A atividade do grupo foi encerrada na manhã desta segunda-feira (15), quando agentes da 2º Delegacia de Polícia prendeu o grupo de funcionários que agiam tanto em Campo Grande quanto no interior do Estado.

O levantamento das investigações indicou que os funcionários usavam o sistema da transportadora e davam baixa (marcando como se a mercadoria fosse entregue) nos produtos que terminavam desviando. O grupo tinha preferência pelas seguintes mercadorias:

  • Joias
  • Celulares
  • Roupas
  • Perfumaria
  • Itens alimentícios, entre outros.

Além disso, o foco dos criminosos estavam em produtos destinados a outros estados e por alguma inconsistência do sistema terminavam no depósito da empresa na Capital. Como ficavam meses sem destino o grupo acabava ludibriando o sistema e ficando com a encomenda. 

Conforme divulgado pela Policia Civil, uma das funcionárias que participava do esquema confessou que desviou aparelhos celulares e joias revendidas de joalherias de marcas conhecidas que por fim terminaram sendo derretidas.

Apenas essa funcionária desviou um total de R$ 10 mil reais em furtos referentes ao mês de junho. No sistema ela ainda repassava os valores das notas fiscais por metade do preço. 

Os agentes seguem com a investigação para recuperar os objetos furtados. Como não houve flagrante da ação criminosa alguns dos envolvidos seguem soltos para responder ao processo em liberdade.

Com relação a transportadora os suspeitos tiveram o  contrato de trabalho rescindido.

Assine o Correio do Estado

 

Estelionato

Mulher alega dívida em jogo do Tigrinho, pede cartão a idoso e saca R$ 100 mil

Ao relatar aos policiais, o idoso disse que a mulher pediu ajuda porque precisava sacar dinheiro do jogo, afirmando que estava sem o aplicativo do banco

15/07/2024 17h00

Imagem ilustração

Imagem ilustração Reprodução/

Continue Lendo...

Um idoso de 66 anos procurou a polícia nesta segunda-feira (15) após ser vítima de estelionato em Campo Grande. De acordo com a polícia, a vítima estaria devendo quase R$ 100 mil em empréstimos bancários feitos por outra pessoa, que foram utilizados para jogos de cassino online sem sua permissão.

Conforme informações do boletim de ocorrência, o idoso relatou que a vizinha de 27 anos pediu o cartão emprestado, alegando estar com problemas no aplicativo bancário e precisando sacar dinheiro que havia ganhado no jogo do Tigrinho, conhecido popularmente como jogo de cassino online. 

Como a jovem morava no local há três anos, o idoso disse à polícia que confiou nela e resolveu emprestar seu cartão bancário. Em depoimento, o idoso afirmou que descobriu o estelionato depois que sua filha verificou o extrato bancário e encontrou um saque de R$ 7 mil.

Em depoimento à polícia, a filha do idoso disse que foi até a residência da mulher para tirar satisfações sobre o saque, mas foi surpreendida ao descobrir que a suspeita não estava mais morando no local.

Preocupados com o alto valor sacado, o idoso e sua filha foram até a Polícia Civil registrar a ocorrência por estelionato contra idoso. De acordo com a polícia, há câmeras de segurança em locais onde a mulher teria sacado o dinheiro, o que pode ajudar na identificação da suspeita.

 

Assine o Correio do Estado 

 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).