Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NA PALMA DA MÃO

Veja como usar documentos digitais para embarcar em voos dentro do Brasil

Basta ter os aplicativos e bateria no celular para comprovar identificação
16/11/2019 14:58 - FÁBIO ORUÊ


 

Mês de novembro está na metade e muitas pessoas já estão planejando a viagem de férias, seja no fim de ano, para aproveitar o período de festa de natal e véspera de ano-novo ou para o começo de 2020. É comum que com muitos objetos para organizar, algo acabe ficando para trás. E se caso os documentos de identificação forem esquecidos, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) liberou para todo o Brasil o uso de documentos digitais de identificação liberados pelo Governo. 

A Anac informou “que documentos de identificação em suporte eletrônico atualmente disponíveis podem ser apresentados pelos passageiros às empresas aéreas no momento do seu embarque em voos domésticos. Neste sentido, todas as companhias aéreas, bem como a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), foram notificadas sobre o tema, de forma que a Carteira Nacional de Habilitação Eletrônica (CNH-e), o Documento Nacional de Identidade (DNI) e o Título de Eleitor eletrônico (e-Título) devem ser aceitos como documentos de identificação.”

Segundo o portal Melhores Destinos, a Latam, GOL e Passaredo indicam, em seus respectivos sites, que aceitam a CNH-e, e-Título (com foto) e DNI. Já o site da Azul cita apenas a CNH-e, mas o cliente pode fazer valer o comunicado oficial da Anac.

Vale destacar que esses documentos digitais são válidos somente para voos dentro do Brasil. Se você for viajar para o exterior, precisará apresentar o RG ou passaporte, dependendo do destino.

Também não são aceitos prints ou imagens dos documentos digitais, é necessário abrir os o app na hora para mostrar ao atendente, tanto no check-in, quanto no embarque.

DOCUMENTOS 

E-Título: É um aplicativo para celulares que serve como uma versão digital para o documento de votação. Por ser mais fácil de emitir, ele deve ser sua primeira alternativa caso o pior aconteça e você chegue ao aeroporto sem nenhum documento.

Quem fez a biometria terá a foto exibida no E-título, mas caso você ainda não tenha feito o cadastramento biométrico, não haverá foto na sua versão do documento no aplicativo e ele não poderá ser utilizado para embarque nos aeroportos brasileiros.

CNH-e: É opcional e pode ser obtida sem custo adicional em Mato Grosso do Sul. No entanto, se seu documento for a versão antiga e não tiver o QR Code no verso, você precisará solicitar uma segunda via, que custa em torno de R$ 115 para ser emitido aqui no Estado.  

Depois disso, você precisará acessar ou criar uma conta de acesso única do Governo para poder acessar o app e adicionar sua CNH digital ou documento do veículo. O documento ficará disponível mesmo que você esteja sem internet.

DNI: O Documento Nacional de Identificação (DNI) já é usado por alguns servidores públicos como teste, mas só será liberado para o restante da população a partir de 1º de março de 2020. É o documento oficial digital que junta o CPF, a Certidão de nascimento e o Título de Eleitor. 

Para ter acesso bastará baixar o aplicativo quando estiver disponível, e com ele instalado, seguir pessoalmente até um dos postos de atendimento mais próximos, que estarão disponíveis no próprio aplicativo, e validar o cadastro pessoal.

Criado a partir da base de dados de cadastro eleitoral nacional, o DNI só poderá ser emitido e utilizado pelos brasileiros que já possuem o cadastramento biométrico, realizado a partir da coleta de foto pessoal e impressões digitais do eleitor no banco de dados da Justiça Eleitoral. Por isso, em um primeiro momento, apenas maiores de 16 anos terão acesso ao documento, assim como já ocorre com o e-Título.

Como o DNI usa o mesmo cadastro do TSE usado para gerar o e-título, e ainda exige validação presencial, ele não será a opção mais viável em casos emergenciais.

*Com informações do site Melhores Destinos 

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...