Clique aqui e veja as últimas notícias!

ROMANCE MADURO

Com a pandemia e o distanciamento social, pessoas com idade acima de 40 anos buscam companhia na internet

Segundo o idealizador do site Coroa Metade, já foram contabilizados 585 mil cadastros e 87 casamentos realizados
28/12/2020 11:30 - Naiane Mesquita


A pandemia do novo coronavírus trouxe na bagagem um tanto de solidão. 

Com o distanciamento social se tornando uma das melhores opções para evitar a contaminação pela Covid-19, muitas pessoas, principalmente os idosos que integram o grupo de risco para a doença, perderam uma parte do convívio diário com os amigos e a possibilidade de ter novas experiências.

“O isolamento faz com que as pessoas busquem alternativas para se relacionar”, explica Airton Gontow, idealizador e diretor do site de relacionamento para pessoas com idade acima de 40 anos, o Coroa Metade.

Últimas notícias

Criado há oito anos, o site foi pioneiro na construção de uma ponte entre pessoas maduras que buscam um novo relacionamento. Segundo o idealizador, já foram contabilizados 585 mil cadastros e 87 casamentos realizados a partir das uniões do site.

“Somos seres sociáveis. Para a grande maioria das pessoas é difícil ser feliz sozinha. Interessante observar que no site a maior procura é por quem vive na própria região, já que os usuários e usuárias desejam o encontro pessoal”, explica Gontow. Com a pandemia, o cenário mudou. 

“Aumentou muito a quantidade de pessoas que conversam com quem vive em outros estados, já que o objetivo se tornou também fazer amizades”, frisa.

De abril a novembro, o aumento de novos cadastros foi de 17%, em relação aos últimos seis meses antes da pandemia, de setembro de 2019 a fevereiro de 2020.

 
 

“Nos primeiros três meses, o aumento havia sido ainda maior, chegando a 25%, mas com a flexibilização a taxa de crescimento diminuiu um pouco. Com as novas restrições e o aumento do número de casos e de mortes por Covid-19, a taxa de aumento está voltando ao patamar de abril, maio e junho”, relata o criador do site.  

Seguindo a tendência nacional, em Mato Grosso do Sul, a maioria dos cadastros é de mulheres, com 56% do total de participantes do Estado no site. Já entre os homens o número é um pouco menor, chegando a 44%.

Segundo o idealizador, desde o início a participação das mulheres foi maior. 

“Os números gerais são de 57% de mulheres e 43% de homens. A mulher é autêntica, assumida e corajosa. Quando gosta do site, conta para uma, duas, 10, 30 amigas. Já o homem, quando gosta, não conta para ninguém. Morre de medo de que o amigo diga: ‘Cara, você é um banana? Precisa de um site para conhecer uma mulher? Deixa que eu te ensino como se chega em uma mulher...’. 

A proporção de mulheres só não é ainda maior porque em todos os programas de rádio e de televisão em que vou sempre procuro falar mais com público masculino, mostrando as vantagens de entrar no site”, ressalta.

Com a pandemia, segundo Gontow, de abril ao fim de novembro deste ano, a quantidade de homens aumentou: dos novos usuários, 48% são homens e 52%, mulheres.

Já em relação à idade dos cadastrados no site em Mato Grosso do Sul, 44% são de homens com idade entre 40 e 49 anos. O índice é semelhante (41%) nos homens de 50 a 59 anos. Apenas 14% são de cadastrados com idade entre 60 e 69 anos.

Já entre as mulheres os dados se invertem, a maioria (44%) é de participantes de 50 a 59 anos e 36% são mulheres de 40 a 49 anos.

CUIDADO  

Apesar dos benefícios do site, o criador não nega que encontros pela internet, assim como os presenciais, podem ser arriscados. Para assegurar que tudo ocorra bem, o ideal é evitar repassar informações pessoais, como endereço, e enviar fotos comprometedoras.

“Como em todas as situações da vida, preste atenção nos pequenos detalhes. Se a pessoa que está se interessando por você perguntar três vezes, ainda que em dias diferentes, qual é a sua profissão ou quantos filhos você tem, é um forte indício de que o interesse não é real ou que ela está flertando ao mesmo tempo com várias pessoas”, explica.  

Se o encontro evoluir para o presencial, sempre escolha locais movimentados. 

“Quando marcar o primeiro encontro, faça sempre em um lugar público, como um shopping center. Não deixe a pessoa buscar você em casa. Vá por conta própria. Peça para alguém telefonar para você e responda algo do tipo: ‘Cheguei, sim, está tudo bem. Estou aqui no shopping center tal...’, para deixar claro que seus amigos e parentes sabem que você foi encontrar uma pessoa que conheceu no site”, frisa.

 

Na hora de retornar para casa, também não aceite carona. “A maioria das pessoas têm boas intenções, mas é preciso tomar os mesmos procedimentos que você teria, por exemplo, em um barzinho, quando alguém olha para você e inicia uma conversa. Em muitos lugares, como hotéis, restaurantes, bares, festas, navios, praias e até mesmo templos religiosos, você pode encontrar pessoas maravilhosas, boas e corretas, mas também há pessoas desonestas e aproveitadoras”, pontua.  

Além disso, não confie se a paquera solicitar dinheiro. 

“Nunca, em hipótese alguma, envie dinheiro para a pessoa de quem você está se aproximando. E denuncie aos organizadores do site se alguém pedir dinheiro. Não mande fotos comprometedoras nem se exponha em vídeos. Estas imagens podem ser mais tarde utilizadas contra você. Não dê seu e-mail, Facebook, WhatsApp ou outros dados pessoais no início do relacionamento virtual. Como os golpistas sabem que podem ser rapidamente eliminados do site, fazem de tudo para conseguir essas informações logo de início, para depois permanecerem em contato”, explica.  

Segundo o especialista, não repasse as contas de redes sociais. 

“Proteja suas redes sociais, já que nelas os golpistas podem encontrar informações importantes sobre sua vida, o que pode facilitar a ação. Os sites de namoro foram desenvolvidos para que você se comunique com segurança por dentro do site, sem que seja necessário enviar informações pessoais”, frisa.

Assine o Correio do Estado