Clique aqui e veja as últimas notícias!

AGRICULTURA

Na reta final, plantio da safra de soja chega a 92% em Mato Grosso do Sul

Segunda safra não deve ser prejudicada no próximo ano, aponta entidade
23/11/2020 10:00 - Súzan Benites


Produtores rurais de Mato Grosso do Sul avançam para a conclusão do plantio da soja. Conforme o boletim técnico publicado pela Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), 92,6% da área foi semeada até o fim da primeira quinzena de novembro.  

A área plantada de soja continua estimada em 3,645 milhões de hectares, aumento de 7,55% na comparação com a safra 2019/2020, que foi 3,389 milhões de hectares. 

A produtividade é estimada em 53 sacas por hectare, gerando a projeção de produção recorde com 11,591 milhões de toneladas – aumento de 2,35% ante os 11,325 milhões de toneladas na safra 2019/2020.

Segundo o boletim técnico, a segunda semana de novembro foi marcada pela superação da média plantada no mesmo período das últimas 5 safras. As chuvas no período variaram entre 5 mm e 100 mm.

“As condições climáticas favorecem o desenvolvimento da cultura, na grande maioria das lavouras pode-se observar plantas viçosas que demonstram um bom potencial produtivo”, informa a nota técnica.

Regiões

Entre as localidades, a região centro do Estado está com o plantio mais avançado, com média de 93,6% de área semeada, enquanto a região sul está com 93% e a região norte com 89,5% de média.  

A área plantada até o momento, conforme estimativa dodo Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga-MS), é de 3,375 milhões de hectares até o dia 13 de novembro.

A porcentagem de área semeada na safra 2020/2021 é 19,20% superior à safra 2019/2020.

Previsão

De acordo com o Sistema de Monitoramento Agro Meteorológico (Agritempo), há condições razoáveis para realizar o manejo do solo no Estado. 

O prognóstico de precipitação total para Mato Grosso do Sul nos meses de novembro, dezembro e janeiro apresenta irregularidade nas chuvas.  

Até o fim deste mês, a chuva será com maior intensidade nas regiões oeste, norte e nordeste, chegando no máximo a 400 mm. 

Em dezembro, as chuvas serão espalhadas no Estado, com tendência de pancadas isoladas; o acumulado será de no máximo 230 mm.  

Já no mês de janeiro de 2021, as chuvas serão concentradas nos municípios de fronteiras do Estado e o acumulado será de no máximo 260 mm.

Segunda safra

O atraso no plantio da soja reflete diretamente no desempenho do milho segunda safra. Segundo a Famasul, a expectativa é de que a produção da safrinha seja dentro da média dos últimos cinco anos.  

Conforme o boletim técnico da Famasul, não haverá problemas na semeadura da safrinha.

 “Para que não haja impacto, a soja tem de estar com pelo menos 60% da área implantada até o dia 6 de novembro. Como chegamos em 6 de novembro com 78,9% de área plantada de soja, superou-se a porcentagem mínima de plantio para esta data. Desde o dia 9 de outubro até 6 de novembro, foram plantados 2,876 milhões de hectares de soja. Sendo esse total de área disponível para semeadura do milho 2ª safra maior do que todas as últimas áreas plantadas de milho 2ª safra no Estado”, informa a nota técnica.

Valorização

Entre os dias 9 e 16 de novembro, a saca de soja teve ligeira desvalorização de 0,58% no Estado, sendo cotada a R$ 170,88. 

As cotações seguiam ritmo crescente nas últimas semanas, mas os preços internos da soja recuaram pressionados, especialmente pela desvalorização do dólar ante o real e as boas perspectivas para a safra 2020/2021.  

Mesmo diante da desvalorização, a saca de soja com 60 kg dobrou de preço em um ano. 

O preço médio do mês de novembro ficou em R$ 173,28, valorização de 115,68% na comparação com o mesmo mês do ano passado, quando a oleaginosa havia sido cotada, em média, a R$ 80,34/sc.

Segundo levantamento realizado pela Granos Corretora, até 9 de novembro, o Estado já havia comercializado 54,50% da safra 2020/2021, avanço de 12 pontos porcentuais quando comparado com o mesmo período de 2019.