CorreioPod

PODCAST CORREIO RURAL

A+ A-

O ganho milionário da biotecnologia para o agro

Ouça seu Podcast semanal do Correio rural na voz de Bruno Blecher

Continue lendo...

E quem tem medo? dos transgênicos durante muitos anos a biotecnologia foi demonizada como uma tecnologia que provoca danos ao meio ambiente e a saúde humana, a safra 2022 2023 de grãos, colhida esse ano, marcou 25 anos desde a data de aprovação do primeiro cultivo transgênico no Brasil e nesse período, a biotecnologia gerou uma receita adicional de R$143,5 Bilhões de reais ao setor agrícola repito, 143,5 bilhões. de reais ao setor agrícola, conforme estudo da COP Life Brasil em parceria com a consultoria Agroconsult, o valor foi calculado considerando o ganho de produtividade, o preço das commodities e a área plantada a cada ano desde a safra 1998/1999.

E até o momento pelo que se sabe, nenhuma pesquisa comprovou danos ao meio ambiente e à saúde manda provocada pelos transgênicos.

A FAMASUL informa que houve um atraso no plantio de soja nessa safra marcado pela falta de chuva na. região norte, com apenas 54% da área plantada até o dia 3 de novembro de comparação com 78%.

No mesmo período do ano passado está bem atrasado, esse atraso pode ter várias implicações segundo a FAMASUL, incluindo a possibilidade de impactar a janela de plantio do milho de segunda a safra.

Embora atraso no plantio da soja possa ter impacto ainda há um potencial para uma safra de milho bem sucedida.

Historicamente plantio se encerra na primeira semana de dezembro o plantio da soja para minimizar o impacto negativo desse atraso no plantio os produtores devem estar atentos ao monitoramento das condições climáticas e realizar ajustes nas estratégias, esses detalhes devem ser ajustados porque minimizam o impacto negativo do atraso, são informações da Famasul.

Ouça na íntegra!

 

PODCAST CORREIO RURAL

Produtor francês quer mais protecionismo

Ouça seu Podcast semanal do Correio rural na voz de Bruno Blecher

05/02/2024 05h00

PODCAST CORREIO 1920X1080

Continue Lendo...

Hoje nosso podcast é especial. Nós vamos falar sobre a revolta dos agricultores na França. Vamos tentar entender o que está acontecendo por lá, né? Não sei se devem ter visto na TV e deve ter lido jornais.

Que os produtores franceses estão em pé de guerra contra a política ambiental da união europeia e contra o próprio governo, né? do Macron, vocês viram aí os produtores franceses bloqueando com caminhões, tratores até blocos de fenos, que esses grandes blocos de fenos as estradas próximas a Paris e ameaçando interromper até o abastecimento de alimentos na capital. 

Esse movimento também é está acontecendo na Alemanha, na Itália, na Bélgica, na Polônia, na Romênia e na Lituânia a gente conversou com o professor Marco Janque, que é professor sem o de agronegócio do INSPER para ele, nos explicar o está por de trás desse levante do setor rural, é na Europa.

O primeiro ponto, o que serviu aí de estopim, foi o aumento dos custos dos combustíveis, aumentaram o imposto sobre o diesel, uma medida que visa redução do uso de combustíveis fósseis para cumprir metas ambientais da união europeia, né?

E isso elevou os custos de produção e deixou o produtor sem saída, porque não existe um substituto para o diesel nas propriedades rurais.

Segunda questão, a emissões, redução das emissões na agricultura, isso daí é uma medida que os ambientalistas estão tomando, né? Eles estão mandando na União Europeia e o campo vem perdendo cada vez mais terreno.

As novas leis obriga os produtores a reduzirem o uso de fertilizantes nitrogenados, pesticidas, antibióticos e até de água.

A ordem é cortar as emissões de gases e de efeito estufa, trocando insumos químicos por orgânicos e ou biológicos.

E o resultado disso muitas vezes é a queda da produtividade e o aumento dos custos.

Outra questão que o produtor da França e o europeu tá levantando é a chamada concorrência desleal.

O que é essa concorrência desleal, Hein? Isso mexe exatamente contra quem? Contra o Brasil, né? É o Brasil tá mira dos agricultores franceses, porque é o principal fornecedor de produtos agropecuários para a Europa.

Foram 25 bilhões de dólares em 2022 à frente dos Estados Unidos, que foi 20 bilhões, né? A união europeia, vale dizer, é o terceiro maior importador de produtos do agronegócio do mundo, atrás apenas da China.

Ouça na íntegra no Spotify:

 

 

podcast correio rural

Agronegócio Brasileiro Impulsiona Exportações em 2023

Soja enfrenta desafios climáticos, mas mantém forte contribuição econômica

29/01/2024 05h00

PODCAST CORREIO 1920X1080

Continue Lendo...

A safra de cana 2023 2024 se encerra como a mais produtiva em 15 anos, segundo o levantamento feito pelo CTC centro de tecnologia canavieira de abril a dezembro de 2023 a cana-de-açúcar na região centro-sul, registrou produtividade média de 87,6 t por hectare, 10 t a mais do que a média das últimas 15 safras, que foi de 77 t. por hectare, as altas produtividades são consequências da excelente condição climática nessa safra, com chuvas muito bem distribuídas e acima da média na maioria das regiões produtoras de cana.

No acumulado da safra, a qualidade da cana, chamada ATR se manteve dentro das médias das últimas 15 safras, em 134,5 kg por tonelada.

Os canaviais de Mato Grosso do Sul tiveram nessa safra uma produtividade de 14 t por hectares a mais do que na safra 2002/2023.

Passando de 69,9 t para 84,1 t a qualidade da cana em Mato Grosso do Sul subiu de 131,8 kg por tonelada para 135,1 kg por tonelada, 2,5 por cento a mais.

Ouça na íntegra no Spotify.

 

 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).