Economia

Economia

Carnê do IPTU confunde os contribuintes

Carnê do IPTU confunde os contribuintes

CARLOS HENRIQUE BRAGA

27/01/2010 - 07h50
Continue lendo...

A falta de informações nos carnês sobre a forma parcelada do pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) confunde os contribuintes em Campo Grande. Os boletos chegam às casas com dois valores: o primeiro representa o valor total do imposto, com desconto de 20% para pagamento à vista e um cupom para sorteio de prêmios; o outro é para pagamento parcelado em até 10 vezes, com desconto de 10%. A primeira parcela, única especificada no boleto, é maior do que as outras e, ao fazer as contas, o campo-grandense pode pensar que vai pagar ainda mais se parcelar seus débitos. Um exemplo para ilustrar a confusão: a primeira parcela que consta em um carnê no valor total de R$ 2.001,48, com desconto de 10%, é de R$ 195,35. Ao bater o olho no valor, o contribuinte multiplica a primeira parcela por dez e imagina que pagará, no total parcelado, R$ 1.953,50. Porém, o valor desse carnê, com o desconto de parcelamento, é de R$ 1.801,33. A dúv id a só term i n a quando o atendente do disque IPTU (156) informa as demais parcelas no valor de R$ 178,45 que não estavam especificadas no boleto. No fim das contas, o desconto real é de 10%, se parcelado, mas a prefeitura quer que você ligue ou procure uma central de atendimento para saber o valor de suas parcelas. Segundo o secretário de Planejamento, Finanças e Controle de Campo Grande, Paulo Sérgio Nahas, a cobrança parcelada do IPTU – na qual a primeira parcela é mais alta que as demais – “é geralmente assim, o sistema que determina o valor das parcelas”. Questionado sobre se os valores das demais parcelas não poderiam constar no boleto, evitando a confusão – como os bancos fazem –, ele disse que “o envio de um boleto para cada parcela, sem saber se o contribuinte escolheria o pagamento à vista ou a prazo, traria gastos de impressão e envio desnecessários à prefeitura”. Aumento Confusos ou não, o fluxo de contribuintes cresceu nas centrais de recebimento do IPTU em comparação com 2009. Mais de 10 mil pessoas já estiveram nos locais desde o último dia 11, quando o recebimento da edição 2010 do IPTU começou. São mil pessoas por dia, em média, segundo o secretário, que estima em 5% o aumento no valor arrecadado. “As pessoas estão adiantando o pagamento, que deve ser feito dia 12 de fevereiro, porque querem colocar as contas em dia”, explica Nahas. Parte da expansão no recebimento do IPTU deve-se às renegociações de débitos, mais recorrentes nesse ano. Inadimplência baixa O governo municipal espera arrecadar entre R$ 95 milhões e R$ 98 milhões até o fim do ano, entre novos e velhos débitos. Na Capital, 82% dos carnês foram pagos em dia nos últimos anos, número que teve aumento depois que a atual administração reduziu juros e estendeu prazos para contribuintes inadimplentes. O prazo para parcelamento de débitos, por exemplo, saltou de 36 meses para até 96 meses – oito anos para se entender com a prefeitura. “Em 2005, no inicio dessa administração, a adimplência era de 55%, e tivemos de facilitar o pagamento, oferecer prêmios e isso teve efeito. A população quer pagar seu imposto em dia”, analisa o secretário. Imposto de peso O IPTU é a principal fonte de arrecadação municipal Brasil a fora. Estudo do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA) constatou, em 2002, que o imposto representou 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Mesmo assim, o valor arrecadado é mais baixo do que em países desenvolvidos, onde impostos da mesma natureza representaram até 4,5% do PIB. De acordo com o estudo, os contribuintes mais pobres comprometem uma parcela maior da sua renda com o pagamento do imposto que os mais ricos. O IPEA também mostra que existem prefeituras brasileiras que chegam a isentar os contribuintes do IPTU, em anos eleitorais, por temer a perda de votos. A medida eleitoreira enfraquece os caixas e, por consequência, o desenvolvimento dessas cidades.

Economia

Santander registra lucro de R$ 3,33 bilhões no segundo trimestre, com alta de 44%

Banco aumentou rentabilidade em meio a nova estratégia de crescimento da base de clientes.

24/07/2024 20h00

O Santander Brasil lucrou R$ 3,3 bilhões no segundo trimestre deste ano, informou o banco nesta quarta-feira (24).

O Santander Brasil lucrou R$ 3,3 bilhões no segundo trimestre deste ano, informou o banco nesta quarta-feira (24). Fotos: Divulgação- Metropóles

Continue Lendo...

O Santander Brasil lucrou R$ 3,3 bilhões no segundo trimestre deste ano, informou o banco nesta quarta-feira (24). O resultado representa uma alta de 44,3% na comparação com o mesmo período do ano passado e de 10,3% em relação ao primeiro trimestre deste ano.

O desempenho superou previsões do mercado -segundo a Reuters, analistas consultados pela Lseg previam um lucro de R$ 3,19 bilhões no trimestre. O Santander Brasil é o primeiro dos grandes bancos a divulgar seus resultados trimestrais. Bradesco e Itaú apresentaram seus balanços nos próximos dias.

O retorno sobre o patrimônio líquido (ROAE), indicador que mede a rentabilidade da operação, ficou em 15,5%, melhor do que o trimestre anterior, quando estava em 14,1% e os 11,2% do segundo trimestre de 2023.

O resultado do banco veio puxado pelo aumento de empréstimos e tarifas. A carteira de crédito ampliada cresceu 7,8% em junho deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado e foi a R$ 665 bilhões.

A provisão para perdas com empréstimos caiu 1,4%, para R$ 5,89 bilhões e a receita líquida de juros (NII) subiu 10,6%, para R$ 14,75 bilhões.
No segundo trimestre de 2024, a PDD (provisão para devedores duvidosos) somou R$ 6,631 bilhões, queda de 7,4% em relação ao segundo trimestre de 2023 e de 2,4% em relação aos três primeiros meses deste ano.

O custo do crédito cai 0,8 ponto percentual na comparação com o mesmo trimestre do ano passado e ficou em 3,7%.

O índice de inadimplência do banco, em que são considerados atrasos superiores a 90 dias, ficou praticamente estável na comparação com o segundo trimestre de 2023, em 3,2%, uma variação de 2 pontos percentuais, e também em relação ao primeiro trimestre.

A base de clientes cresceu 6% na comparação anual e foi a 67,2 milhões de clientes. O volume de clientes ativos, porém, segue estável, em 31,9 milhões, em relação ao período em 2023, mas está superior aos 31,1 milhões do primeiro trimestre.

O crescimento dessa base é um dos pontos centrais na nova estratégia do Santander, que no fim de abril colocou em ação um reposicionamento de marca para atrair clientes de renda menor, chamado de "free".

O novo produto posiciona o banco, segundo o CEO do Santander Brasil, de modo "mais potente do que o mais potente dos digitais." Os primeiros sinais do reposicionamento são bons, diz Leão, puxado pela reativação de clientes e com a venda do "free" para aqueles que eram usuários de apenas um tipo de produto.

O banco também zerou anuidade de cartões e mexeu nas agências, que passaram a ser tratadas como lojas. Os espaços foram reformulados para ficarem mais parecidos com o varejo tradicional.

No segundo trimestre deste ano, o fluxo das lojas do Santander caiu 16%, enquanto o faturamento cresceu 15% nos dois meses sob o novo modelo.

Outro ponto no centro da estratégia é o crescimento da principalidade, ou seja, que o cliente tenha o Santander como o banco principal e no qual ele usa mais de um tipo de serviço.

O presidente-executivo do banco, Mario Leão, disse nesta quarta após a divulgação do balanço que houve evolução e que está confiante de que a principalidade vai crescer. "O importante é deixar de perder principalidade especialmente na baixa renda e passar a ganhar."

O banco tem avaliado como definir o percentual de clientes que o tem como instituição financeira principal, mas Leão estima que esteja abaixo de 50%.

No balanço do segundo trimestre, o Santander também informou ter feito uma provisão adicional de R$ 1,9 bilhão, a que o presidente-executivo chamou de coisa pontual e de uma escolha prudente, decorrente da conclusão da negociação com a Pluxee (ex-Sodexo).

O banco vendeu sua empresa de benefícios, a Ben, para a companhia de origem francesa, e passa a ter 20% dela. "A gente valora isso em R$ 2 bilhões. Poderíamos fluir pelo resultado, mas preferimos fazer reforço de balanço. Eu não precisava disso, tivemos mais um trimestre limpo."

O CEO do Santander Brasil também disse que o banco mantém a confiança na agenda fiscal do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT), apesar do que chamou de "ruídos" e da influência do ambiente externo sobre o mercado. Ressaltou, porém, considerar que "o componente interno tem tido peso além do que deveria."

RAIO-X | SANTANDER BRASIL NO 2º TRIMESTRE DE 2024

Clientes: 67,2 milhões
Funcionários: 55.091
Lucro líquido: R$ 3,3 bilhões
Roae: 15,5%
Agências e pontos de atendimento: 2.507
Fundação: em atividade no mercado local desde 1982
Principais concorrentes: Itaú Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa, Nubank

 

*Informações da Folhapress 

Loteria

Resultado da Lotofácil 3163 de hoje, quarta-feira (24/07); veja os números

Prêmio estava estimado em R$ 1,7 milhão; confira se você foi sortudo

24/07/2024 19h27

Confira o resultado do sorteio da Lotofácil

Confira o resultado do sorteio da Lotofácil Foto: Arquivo

Continue Lendo...

A Caixa Econômica Federal sorteou as 15 dezenas do concurso 3163 da Lotofácil na noite desta quarta-feira (24), no Espaço da Sorte, em São Paulo.

O prêmio estava estimado em R$ 1,7 milhão.

Números sorteados no concurso 3163: Confira o resultado

  • 23 - 15 - 25 - 21 - 05 - 06 - 07 - 19 - 13 - 09 - 22 - 24 - 18 - 10 - 17 

Verifique sua aposta e veja se você foi um dos sortudos deste concurso.

O rateio, que é o número de acertadores e o valor que cada acertador irá receber, será divulgado em breve pela Caixa Econômica Federal.

Os sorteios são transmitidos ao vivo pelo canal do Youtube da Caixa.

Como jogar na Lotofácil

Os sorteios da Lotofácil são realizados diariamente, às segundas, terças, quartas, quintas, sextas-feiras e sábados, sempre às 19h (horário de MS).

O apostador marca entre 15 e 20 números, dentre os 25 disponíveis no volante, e fatura prêmio se acertar 11, 12, 13, 14 ou 15 números.

Há a possibilidade de deixar que o sistema escolha os números para você por meio da Surpresinha, ou concorrer com a mesma aposta por 3, 6, 12, 18 ou 24 concursos consecutivos através da Teimosinha.

A aposta mínima, de 15 números, custa R$ 3,00.

Os prêmios prescrevem 90 dias após a data do sorteio. Após esse prazo, os valores são repassados ao Tesouro Nacional para aplicação no FIES - Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior.

É possível marcar mais números. No entanto, quanto mais números marcar, maior o preço da aposta.

Premiação

Caso não haja acertador em qualquer faixa, o valor acumula para o concurso seguinte, na respectiva faixa de premiação.

Os prêmios prescrevem 90 dias após a data do sorteio. Após esse prazo, os valores são repassados ao tesouro nacional para aplicação no FIES - Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior.

Não deixe de conferir o seu bilhete de aposta.

A quantidade de ganhadores da Lotofácil e o rateio podem ser conferidos aqui.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).