Esportes

Comerário nos tribunais

Justiça Desportiva recebe denúncia sobre dívida de Petrallas vinculada à Liga de Futebol de MS

De acordo com os documentos, Estevão Petrallas esteve à frente da Liga em 2016, quando foi condenado por falta de prestação de contas.

Continue lendo...

Um dos maiores clássicos de Mato Grosso do Sul, entre Comercial e Operário, pode parar nos tribunais devido ao comando da entidade. Isto porque o presidente do Comercial, Cláudio Barbosa, enviou uma denúncia de irregulariedade fiscal ao Tribunal de Justiça Desportiva, relatando que Estevão Petrallas estaria inelegível como gestor interino da federação.

As justificativas relatadas pelo dirigente estão relacionadas à Lei Geral do Esporte e ao estatuto da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS).

De acordo com a Lei 14.597/2023, são inelegíveis para o desempenho de suas funções dirigentes aqueles que estiverem inadimplentes na prestação de contas de recursos públicos em decisão administrativa definitiva. Neste caso, o gestor estaria inelegível por 10 anos, assim como os dirigentes que estivessem inadimplentes ou nomeados para tal cargo. 

A reportagem do Correio do Estado também teve acesso ao estatuto da federação. No documento, relata-se que a entidade também proíbe a nomeação de inadimplentes na prestação de contas.

Debruçado sobre o estatuto da federação, o presidente do Comercial, Cláudio Barbosa, enviou os documentos para análise do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) e também da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), solicitando que seja determinada liminarmente a abstenção do denunciado em praticar qualquer ato na presidência da FFMS.

"Verifica-se irregularidades na presente nomeação, uma vez que o denunciado não pode ocupar o cargo de presidente da FFMS, por estar inelegível", aponta o Comercial, em documento entregue ao Tribunal de Justiça Desportiva.

Denúncia do Comercial contra Estevão Petrallás. Foto: Reprodução

Prestação de contas 

Nesses documentos aos quais a reportagem teve acesso, o processo de dívida nas prestações de contas é movido pela Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul). De acordo com os documentos, mostra-se que o atual interventor da federação, Estevão Petrallas, em 2016, presidiu a Liga de Futebol Profissional de Mato Grosso do Sul e que, em 2017, foi cobrada uma dívida de R$ 117.711 (valor atualizado até janeiro de 2023).

O processo contra o representante, Estevão Petrallas, chegou até a 4ª Vara da Fazenda Pública de Campo Grande na época.

Conforme os dados apresentados, a liga solicitou um convênio para a participação do Operário na edição de 2016 do Campeonato Sul-Mato-Grossense.

 Esses convênios foram solicitados diretamente à Fundesporte, sendo o dinheiro proveniente do FIE/MS (Fundo de Investimentos Esportivos), totalizando R$51.590. O restante dos valores destinava-se ao custeio de material esportivo, hospedagem, alimentação, transporte e transmissão dos jogos.

Em 2019, a sentença acabou transitando em julgamento, sem possibilidade de recurso, quando em 2023, a dívida foi protestada em cartório e esquecida por ambas as partes. 

 Foto: Reprodução

"Na pessoa do seu presidente, Sr. Estevão Antonio Petrallas, a pagar a quantia de R$ 40.878,97, corrigida monetariamente pelo INPC e com incidência de juros de mora de 1% ao mês, pela falta de prestação de contas do recurso financeiro destinado ao OPERÁRIO FUTEBOL CLUBE, conforme sentença anexada e entregue aos procuradores"

Em contato com o procurador-geral Adilson Viegas, os documentos estão sendo analisados. No entanto, se os documentos entregues pelo presidente do Comercial forem procedentes, Estevão Petrallas pode ficar inelegível por 10 anos, de acordo com a Lei Geral do Esporte, por improbidade administrativa.

"Neste caso, segundo a Lei nº 14.597 da Lei Geral do Esporte, acaba colocando a gestão de Petrallas em 2016 como irregular ou temerária por 10 anos em qualquer cargo eletivo ou organização esportiva", explicou. 

A reportagem do Correio do Estado tentou contato com a defesa de Estevão Petrallas para entender como serão os próximos passos, mas os contatos não foram atendidos. O canal segue aberto para a defesa.

 

 Foto: Reprodução


Operação Cartão Vermelho 

O ex-prefeito de Rio Negro e presidente da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul, Francisco Cezário, é um dos pelo menos cinco presos na manhã desta terça-feira (21) durante a Operação Cartão Vermelho, que aponta o desvio de mais de R$ 6 milhões da Federação, somente entre 2018 e o ano passado. Na casa dele foram apreendidos mais de 800 mil reais. 

A justiça emitiu sete mandados de prisão e 14 de busca e apreensão e até o fim da manhã pelo menos cinco pessoas haviam sido presas e levadas à Cepol, delegacia do bairro Tiradentes. Francisco Cezário é advogado e por isso a detenção foi acompanhada por representantes da OAB. 

Policiais e promotores passaram a manhã inteira na sede da Federação de Futebol recolhendo documentos que podem dar mais embasamento às investigações feitas até agora, que se estenderam por um período de 20 meses, segundo nota do Gaeco. 

Ele está à frente da Federação faz cerca de três décadas e seu sétimo mandato está previsto para acabar em 2027. Em nota divulgada na manhã desta terça-feira pela assessoria do Ministério Público, ele e outros integrantes da Federação são acusados fazer mais de 1.2 mil saques, sempre de até R$ 5 mil, para tentar driblar uma possível investigação nas contas da Federação. 

Parte do dinheiro desviado, segundo acreditam os investigadores, era repassado pelo governo estadual, que somente no ano passado liberou R$ 1,35 milhão para os campeonatos estaduais da Séria A, Série B e para o futebol feminino. Em 2023, somente para o estadual da Série A, foram R$ 1,2 milhão. 

Além disso, a Federação também recebia repasses da CBF, cujos valores não aparecem na prestação anual de contas. Esta prestação de contas, por sua vez, mostrou que no ano passado a entidade fechou com prejuízo superior a R$ 218 mil. No ano anterior, em 2022, o rombo foi de R$ 492 mil.

Assine o Correio do Estado 

INCENTIVO

Lula reajusta Bolsa Atleta em 10,86%

11/07/2024 21h00

Foto: Divulgação/ Agência Brasil

Continue Lendo...

Nesta quinta-feira (11), no Palácio do Planalto, em Brasília, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu atletas que representarão o Brasil nas Olimpíadas e Paralimpíadas de Paris, na França. Durante o encontro, Lula assinou um decreto que aumenta em 10,86% o Bolsa Atleta, programa que completa 20 anos em 2024 e estava há 14 anos sem reajuste.

Lula destacou a importância do programa, que visa apoiar atletas desde as etapas iniciais de suas carreiras, proporcionando condições para que possam se dedicar ao esporte. Ele enfatizou que o Estado brasileiro tem o dever de apoiar todos os atletas, especialmente aqueles com potencial para conquistar medalhas olímpicas e paralímpicas, mesmo em cidades pequenas do interior.

Medalha

O presidente lembrou emocionado sua participação na cerimônia que definiu o Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016 e expressou o desejo de que o Brasil tenha um desempenho destacado no quadro de medalhas. Ele ressaltou que, além das medalhas, o esforço e a dedicação dos atletas são fundamentais para inspirar a nação.

Os Jogos Olímpicos começam em 26 de julho e terminam em 11 de agosto, enquanto as Paralimpíadas ocorrerão de 28 de agosto a 8 de setembro. A delegação brasileira contará com 277 atletas, sendo 153 mulheres e 124 atletas paraolímpicos.

Apesar de ter sido convidado pelo presidente francês, Emmanuel Macron, Lula não estará presente nos jogos em Paris. O governo brasileiro será representado pelo ministro do Esporte, André Fufuca, enquanto a primeira-dama, Janja Lula da Silva, acompanhará o evento em nome do presidente.

Bolsa Atleta

O Bolsa Atleta, que atualmente beneficia mais de nove mil esportistas com valores que variam de R$ 370 a R$ 15 mil, terá os novos valores com reajuste aplicados a partir de agosto, abrangendo todas as categorias do programa: Estudantil, Base, Nacional, Internacional e Olímpica/Paralímpica.

*Com infomrações Agência Brasil

À beira do abismo

Veja as chances de Fluminense e Corinthians serem rebaixados

Tricolor e Timão têm alta probabilidade de cair para a segunda divisão no Brasileirão deste ano

09/07/2024 15h01

Fluminense e Corinthians têm mais chances de queda para a Série B

Fluminense e Corinthians têm mais chances de queda para a Série B Arquivo

Continue Lendo...

Após 15 rodadas do Brasileirão, o Fluminense enfrenta uma situação crítica, com quase 90% de probabilidade de rebaixamento, segundo o Departamento de Matemática da UFMG.

Com apenas sete pontos conquistados até agora, o Tricolor carioca lidera a lista dos times mais ameaçados, seguido de perto por Atlético-GO, com 67% de risco, e Corinthians, com 57,4%, ambos na zona da degola com 11 e 12 pontos, respectivamente.

O Grêmio, apesar de ter menos pontos que o Corinthians, aparece como o quarto time mais ameaçado, com 45,3% de chance de queda, beneficiado pela vantagem de ter dois jogos a menos na temporada.

Cuiabá e Vitória, fora da zona de perigo imediato, não estão totalmente seguros, com riscos calculados em 37% e 31,6%, respectivamente. Já o Vasco, em ascensão após duas vitórias consecutivas, diminuiu sua probabilidade de queda para 18,3%.

Riscos de Rebaixamento:

  • Fluminense: 87,8%
  • Atlético-GO: 67%
  • Corinthians: 57,4%
  • Grêmio: 45,3%
  • Cuiabá: 37%
  • Vitória: 31,6%
  • Vasco: 18,3%
  • Criciúma: 16,8%
  • Atlético-MG: 12,5%
  • Inter: 8,4%
  • Juventude: 8,2%
  • Bragantino: 3,7%
  • Fortaleza: 2,2%
  • Cruzeiro: 1,6%
  • Athletico-PR: 1%
  • Bahia: 0,45%
  • São Paulo: 0,42%
  • Palmeiras: 0,07%
  • Botafogo: 0,06%
  • Flamengo: 0,03%

Enquanto isso, na outra ponta da tabela, o Flamengo desponta como favorito ao título, com 24,2% de chances calculadas pelo mesmo departamento. O Botafogo vem logo atrás, com 20,4%, seguido pelo Palmeiras, com 19,3%.

Chances de Título:

  • Flamengo: 24,2%
  • Botafogo: 20,4%
  • Palmeiras: 19,3%
  • São Paulo: 9,1%
  • Bahia: 8,5%
  • Cruzeiro: 5,4%
  • Athletico-PR: 4,6%
  • Fortaleza: 3%
  • Bragantino: 1,8%
  • Inter: 1,1%
  • Juventude: 1%
  • Atlético-MG: 0,52%
  • Criciúma: 0,46%
  • Vasco: 0,29%
  • Vitória: 0,12%
  • Cuiabá: 0,053%
  • Grêmio: 0,046%
  • Corinthians: 0,008%
  • Atlético-GO: 0,005%
  • Fluminense: 0,001%
  •  

Com metade do campeonato ainda por jogar, as emoções e as disputas por posição prometem esquentar, tanto na briga pelo título quanto na luta contra o rebaixamento, onde Fluminense e Corinthians tentarão reverter suas situações críticas para evitar o pior.

Assine o Correio do Estado
 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).