Colunistas

Giba Um

A+ A-

"Não se provou corrupção ou uso indevido dos meios de comunicação, considerando que o investigado",

tinha, já muito tempo, ampla exposição midiática", de LUCIANO CARRASCO FALAVINHA // relator do processo contra Sérgio Moro no TRE-PR.

Continue lendo...

A chamada “Operação recuo” da Vivara não se limita à desistência do acionista controlador Nelson Kaufman em ocupar o cargo de CEO. A empresa pisou no freio em seus planos de internacionalização. O projeto necessita ser melhor lapidado. 


Mais:  o mercado não digeriu bem a estratégia de Kaufman. Em 11 dias em que ele esteve na presidência da Vivara, a rede de joalherias perdeu um quinto de seu valor de mercado. Hoje, são 390 unidades espalhadas pelo país, fora quiosques. 


Como uma Fênix


A cantora e apresentadora Preta Gil, é uma das capas da revista Elle Brasil. Num ensaio bem divertido ela aparece em várias situações como uma noiva louca (e enfurecida), prestes a acertar as contas. Em outras fotos mostra seu lado sensual. A publicação diz que ela é como uma fênix, que ressurgiu das cinzas, depois de um ano de 2023 bem difícil (descoberta de um câncer, tratamento quimioterápico, infecções, traição, separação e várias outras cirurgias). Preta disse que o motivo do seu “renascimento” e exclusivamente porque Deus quis. “Não cuidei do meu corpo a vida inteira. Foi ele que cuidou de mim. Tenho gratidão por ele ter suportado, em um ano, mais de 12 procedimentos e cirurgias. Amo as minhas nove cicatrizes. São sinais da vitória. Assim como amo a minha menopausa, as estrias, as rugas e as manchas”. Sobre futuros relacionamentos é direta : “O par romântico é controle e limite. Entram na conta a noção de propriedade na mão do homem, a religião, a culpa católica. Feminismo é evolução. Vivemos teorias e práticas ainda sem completar a ruptura. Não fui criada no conservadorismo, mesmo assim caí na cilada. Descasquei a cebola para ir ao miolo. Quero chegar ao casamento não monogâmico”. E completa: “Na minha história, a metáfora é derrubar a codependência de um homem. Nunca é tarde. Mesmo aos 50 eu posso romper com os arquétipos de felicidade. O que é felicidade? Amor romântico? Não estou traumatizada, mas é melhor a mulher casar-se com a liberdade. Acabou, não tem mais amarra! Para mim, essa noiva loucona simboliza o amor-próprio. Ele é a chave da felicidade”.


Baioneta não cabe na Constituição


Em nenhuma hipótese, a Constituição submete o poder civil ao poder militar”. O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Supremo Tribunal Federal, resume a tentativa de arrancar da Carta Magna o que ela não diz como “terraplanismo constitucional”. Já o ministro Gilmar Mendes emenda: “A baioneta não cabe na Constituição”, alertando que se trata de uma ofensiva das cúpulas militares em busca de protagonismo político. Já Flávio Dino define: “Não existe, no nosso regime constitucional, um poder militar. O poder é apenas civil”. Todos contrariam a tese das Forças Armadas atuando como “poder moderador”, já encerrando leitura distorcida do Artigo 142. Traduzindo: as Forças Armadas não podem romper a legalidade a pretexto de defender a ordem ou arbitrar disputa entre os Poderes. Atrás de tudo, interpretações que visam tirar inquéritos de Jair Bolsonaro do Supremo e jogar na primeira instância do Rio de Janeiro.


“Poder de nada”


O julgamento dessa novela golpista do “poder moderador” termina dia 8 quando ocorre o julgamentos no plenário virtual. Nem André Mendonça, nomeado por Jair Bolsonaro, entrou nessa e o próprio comandante do Exército, general Tomás Paiva, concorda com o posicionamento do STF. Para ele, a decisão reforça que o texto da Constituição “está consolidado e não existe poder moderador no Brasil”. Resumo da ópera: as Forças Armadas não são poder de nada. Os ministros acham que a decisão deve ser enviada a quartéis, academias militares, escolas, igrejas e “a bolsões da extrema direita que sonham com uma quartelada”. 


De volta ao pop

No próximo dia 11 Durval de Lima Junior, ou melhor Júnior (ex-Sandy & Junior) lançará oficialmente seu primeiro álbum solo, como cantor, voltando as raízes do pop. Depois que a dupla com sua irmã chegou ao fim, Junior  passou a se dedicar a produção e integrou três bandas – SoulFunk, Nove mil anjos, Dexterz – mas nenhuma como vocalista.  Para divulgação ele fez uma brincadeira de que uma foto sua, de como veio ao mundo, que faz parte do clipe Seus Planos, teria sido vazada. 11 músicas compõe o novo trabalho chamado Solo 1, e apesar das críticas, promete fazer sucesso junto aos órfãos da dupla. “Além de serem um retrato da minha alma, as músicas são também um presente para cada um de vocês! Só tenho a agradecer pelos meus fãs nunca terem deixado de acreditar no meu voo solo”.

In –  Espaço gourmet: churrasqueira a bafo
Out – Espaço gourmet: churrasqueira embutida


Quem diria

O ministro Alexandre de Moraes (STF), quem diria, desponta hoje como o principal interlocutor do comandante do Exército, general Tomás Paiva, na Alta Corte. Na maioria dos casos, os contatos partem do próprio militar, que busca Moraes para saber dados sobre integrantes da caserna investigados e tirar dúvidas em relação ao cumprimento de ordens judiciais. A última conversa foi sobre a movimentação de um militar dentro da Força – caso da nomeação do general Richard Nunes para a chefia do Estado Maior. Antes de bater o martelo, Paiva quis ouvir Moraes porque o nome do general surgiu durante o caso de Marielle Franco.

 

Doações


O presidente francês Emmanuel Macron já havia prometido, há algum tempo, despejar dinheiro na Amazônia. No ano passado, Catherine Colonna, então chanceler francesa, veio ao Brasil e acenou com nova contribuição ao Fundo Amazônia. Depois de 13 meses, nem um centavo. Agora, Macron e Lula anunciaram doação de R$ 5,3 bilhões. O presidente Joe Biden, que se diz “amigo do verde”, prometeu R$ 2,5 bilhões – e nada. Também prometeram e não deram nada Noruega, Reino Unido, União Europeia e Dinamarca. Só a Alemanha mandou e pouco para seus padrões, R$ 20 milhões. 

Pérola

“Não se provou corrupção ou uso indevido dos meios de comunicação, considerando que o investigado tinha, já muito tempo, ampla exposição midiática”, 
de LUCIANO CARRASCO FALAVINHA // relator do processo contra Sérgio Moro no TRE-PR.

DESCONTOS  INDEVIDOS

O INSS abriu apurações internas para investigar a conduta de seis entidades suspeitas de efetuarem descontos indevidos diretamente da folha de pagamentos das aposentadorias. Desde o ano passado, 29 entidades faturaram mais de R$ 2 bilhões cobrando mensalidades de aposentados em troca de suposto benefícios. São os “descontos de mensalidade associativa” no último ano enquanto são acusados de fraudes por aposentados que nunca assinaram ficha de filiação e o desconto automático. O número de filiados explodiu em janeiro de 2023 e a arrecadação mensal saltou de R$ 85 milhões para R$ 250 milhões e todas foram autorizadas pelo INSS. 

Crítica e repúdio

Na Sexta-Feira Santa (29) o MTST (Guilherme Boulos já foi um dos principais líderes), publicaram uma imagem em seu perfil no X (antigo Twitter) em que Jesus Cristo aparece sendo crucificado com a frase “Bandido bom é bandido morto”. A publicação recebeu repúdio por parte de influenciadores e políticos da direita. Para alguns da esquerda foi vista como uma crítica social que lembra ações policiais recentes e frases frequentemente dita por nomes de ideologia oposta. O deputado Nikolas Ferreira (PL-MG) disse que a candidatura de Boulos à prefeitura de São Paulo “já foi enterrada”. 

DESVALORIZAÇÃO

A suspensão do atacante Gabigol, do Flamengo, por dois anos decorrentes de uma tentativa de fraude em um exame antidoping teve um super impacto no seu valor de mercado. Segundo o site Transfermarket, o mais respeitado em avaliação de atletas, o atacante teve seu valor de mercado reduzido em quase 1/3. No auge da carreira, há dois anos, Gabigol estava avaliado em 26 milhões de euros, equivalente a mais de R$ 134 milhões na cotação da época. A suspensão depreciou seu valor para 9 milhões de euros ou cerca de R$ 48,8 milhões, segundo cotação mais recente. Seu contrato não será renovado e Flamengo e potenciais interessados ficarão de olho em seu futuro.


Paraná, não

A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro (PL) não está disposta a concorrer ao Senado pelo estado do Paraná, caso o senador Sérgio Moro (União-PR) seja condenado à perda de mandato. Malgrado essa possibilidade seja vista com simpatia por Jair Bolsonaro (é um estado mais que bolsonarista), ela não deseja se mudar para Curitiba. Se decidir concorrer a algum cargo no Poder Legislativo, Michelle gostaria de fazê-lo pelo Distrito Federal, onde nasceu. Vitoriosa, ela estaria ao lado de sua amiga, a senadora Damares Alves. Nas pesquisas do Paraná, Michelle está em primeiro lugar. 

MAIS  ELEGANTES


Bolsonaristas ricas e fanáticas estão distribuindo nas redes sociais o resultado de uma lista das “10 mais elegantes do Brasil”, que inclui, entre outras, de Lalá Rudge a Fernanda Montenegro. No meio das eleitas, Michelle Bolsonaro, usando roupas criadas por suas costureiras favoritas e ganhando maior quantidade de votos do que as demais. A ex-primeira-dama, na legenda, ganha os maiores elogios. Quem cuida de seu visual é um faz-tudo e amigo chamado Agustin Fernandez.

MISTURA FINA

O EX-presidente Jair Bolsonaro não quer ver a ex-primeira-dama, Michelle disputando a eleição presidencial em 2026 (ela até gostaria, mas o maridão é radical). Agora, integrantes do Planalto já começa a afirmar que Lula já escolheu um sucessor quando deixar a Presidência: a primeira-dama Janja. Ele sempre repete que foi Janja que o dissuadiu a não decretar o GLO no 8 de janeiro, solução que ele achou das mais acertadas. Ela não esconde suas pretensões políticas, deixando claro que quer ressignificar o papel de primeira-dama – o que já começou. 

NA semana passada, Janja foi ao BNDES discutir com Aloizio Mercadante, presidente do banco e Tereza Campello, diretora socioambiental da instituição, dois projetos para aplicação de recursos do Fundo Amazônia. Em março, passou uma semana em Nova York, representando o Brasil num evento sobre a situação da mulher no mundo na ONU. O grande destaque de sua participação, contudo, foi o par de sapatos da grife Hermés, que custaram em torno de R$ 8,5 mil reais. 

A BOMBA  da Braskem vai acabar explodindo no colo do governo do Estado. O impasse em relação ao futuro da petroquímica deixou de ser assunto para a Petrobras, acionista da companhia e subiu para o governo. Planalto e Ministério de Minas e Energia já contemplam uma “estatização” à força da Braskem. Negociação sobre o controle se arrasta por dois anos. Nesse tempo, Unipar, J&F e o fundo norte-americanos Apollo entraram e saíram de cena. Agora, é a vez da Abu Dhabi National Oil Company (Adonoc). 

O MINISTRO do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, está batalhando na disputa de uma cadeira no STJ. Trabalha dentro do próprio Tribunal pela indicação do desembargador Carlos Brandão, do TRF-1, também piauiense. Detalhe: tramita na Corte uma ação que investiga a esposa de Wellington, Rejane Dias. Ela é suspeita de participar de um esquema de corrupção envolvendo transporte escolar no Piauí quando ocupava a Secretaria da Educação do estado. O suposto delito teria ocorrido durante a gestão de Wellington no governo do estado. 

A GOVERNADORA  de Pernambuco, Raquel Lyra (PSDB) vetou apoio à pré-candidatura de Tabata Amaral (PSB) e rejeita uma aliança com o prefeito Ricardo Nunes (MDB), que tenta a reeleição. Agora, procura outro nome para a eleição municipal de São Paulo. As alternativas estão sobre a mesa: José Luiz Datena (PSB), que estava contado para ser vice de Tabata e ainda não há nada decidido; Kim Kataguiri (União-Brasil) e Andrea Matarazzo (PSD), que deixou o PSDB em 2016.

Assine o Correio do Estado
 

ARTIGOS

Prejuízos fiscais (e base negativa da CSLL): ativos que valem ouro

24/04/2024 07h30

Continue Lendo...

A lógica estabelecida pela legislação do IRPJ (Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica) e da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) de permitir a compensação de saldos de prejuízo fiscal e base negativa da CSLL com lucros tributáveis futuros é bastante conhecida, e vem sendo utilizada pelas empresas brasileiras há muitos anos.

Em alguns breves (e pontuais) momentos históricos, foi também permitida a utilização desses saldos na compensação de dívidas tributárias parceladas em programas de anistia fiscal, como o REFIS da Copa, PAES, PAEX, entre outros.

O que parece ter vindo para ficar é a possibilidade de compensação desses saldos de prejuízo fiscal e base negativa da CSLL no contexto dos programas de transação tributária e autorregularização, novos modernos institutos que permitem aos contribuintes e a Fazenda Nacional se sentarem à mesa para negociar dívidas tributárias das empresas.

Nesse contexto, torna-se muito importante a confirmação da real existência desses saldos, além de sua correta informação nas obrigações acessórias entregues ao Fisco, em especial a ECF – Escrituração Contábil e Fiscal, mais conhecida como a Declaração de IR da Pessoa Jurídica.

Muitas vezes, a empresa em situação de prejuízo fiscal não dispensa a devida atenção a formação desses saldos, deixando de considerar o que prescreve a legislação em relação à formação da base de cálculo do IRPJ e CSLL, suas adições, exclusões, compensações e outras figuras fiscais relevantes.

Destaca-se ainda, a importância dos prejuízos fiscais na constituição de ativos fiscais diferidos, respeitados os critérios legais.

Note que a Receita Federal - atenta a quanto valem esses ativos relativos a saldos de prejuízo fiscal e base negativa da CSLL - incluiu em seu plano anual de fiscalização a priorização desse tema, com a aplicação de sistemas de controle visando a identificação de utilização indevida dos saldos de prejuízo fiscal.

Portanto, atenção especial aos saldos de prejuízo fiscal e base negativa da CSLL, pois esses ativos valem ouro.

ASSINE O CORREIO DO ESTADO

Giba Um

"Então, eu segui a orientação do Ministério da Justiça e vetei. Vamos ver o que vai acontecer",

e se o Congresso derrubar, é um problema do Congresso. Eu posso lamentar, mas eu tenho que acatar", de LULA // sobre a possível de derrubada do seu veto ao PL das "saidinhas".

24/04/2024 05h01

Giba Um Foto: Reprodução

Continue Lendo...

O conhecido chef e restaurateur Eric Jacquin, que tem seis restaurantes em São Paulo para cuidar, integrante do  Master Chef Brasil e participante de outros programa de TV de gastronomia, está aparecendo  em várias redes sociais de terno e gravata vermelha dentro de um lago ou saindo do mar. 


Mais:   é um protesto dele devido ao volume de clientes de suas casas que aparecem de regata, bermuda e chinelos em seus estabelecimentos, o que Jacquin, literalmente, não suporta. Acha que restaurantes elegantes são para serem frequentados por pessoas bem vestidas. “Não é preconceito não. Classe é uma questão de berço”. 


Um dia de cada vez


A cantora e compositora Céline Dion, 55 anos, está pela primeira vez na capa da revista Vogue France e se disse honrada com o fato. Aprendendo a viver, como ela mesmo diz, conta com o apoio da família para conviver com a síndrome da pessoa rígida (stiff-person syndrome) desde 2022. Em entrevista desabafa: “Não lutei contra a doença, ela ainda está em mim e para sempre. Encontraremos, espero, um milagre, uma forma de curá-la com investigação científica, mas tenho de aprender a conviver com isso. Cinco dias por semana faço terapia atlética, física e vocal. Essa é a condição com a qual devo aprender a conviver agora, parando de me questionar, por que eu? O que eu fiz? A vida não lhe dá respostas. Você simplesmente tem que vivê-la! Eu tenho essa doença por algum motivo desconhecido. Eu tenho duas escolhas. Ou treino como um atleta e trabalho muito ou me desconecto e acabou, fico em casa, ouço minhas músicas, fico na frente do espelho e canto para mim mesma. Optei por trabalhar com todo o corpo e com toda a alma, da cabeça aos pés com uma equipe médica. Eu quero ser o meu melhor. Meu objetivo é ver a Torre Eiffel novamente!”. E completa: “Meu sonho é viver no presente. Um dia de cada vez. Eu realmente tenho muita sorte. E tenho a honra de fazer um ensaio fotográfico para a Vogue França. Porque quando eu estava no meu melhor físico e beleza, aos 30 anos, ninguém nunca me convidou. Tenho muito orgulho de que, aos 55, me peçam para revelar minha beleza. Mas o que é beleza? A beleza é você, sou eu, é o interior, são os nossos sonhos, é o hoje. A beleza é o que nos rodeia, está aí. Hoje sou uma mulher que se sente muito forte para seguir em frente. Um dia de cada vez”. E disse que a fama a ensinou a nunca querer desistir. 

Lula procura um bode expiatório


No lançamento do programa ‘Acredita’ para financiar pequenas empresas, Lula resolveu cobrar do ministro Fernando Haddad (Fazenda) que converse mais com o Congresso, em vez de ficar lendo livros. “O Haddad tem de, sabe, ao invés de ficar lendo livros, ele tem de perder algumas horas conversando no Senado e na Câmara”. O trabalho de Haddad está dando resultado, há novos números na economia, a Faria Lima gosta dele, que conversa com empresários, parlamentares e até com Arthur Lira. Só que os percentuais da popularidade não sobem – e não é exatamente culpa do titular da Fazenda. Nos bastidores, alguém sugeriu a Haddad que revidasse ao presidente: “E porque o senhor não lê mais livros, artigos, em vez de falar tanta bobagem na economia e na política externa”. Ele não falaria, mas é o que mais fala pelo governo e acaba convencendo um opositor. Já brindou o ministro da Fazenda com elogios, só que o presidente fica irritado quando querem lhe corrigir. Ele acha que sabe tudo e é o maior culpado por sua baixa popularidade.  


Alckmin também

Desde a campanha e depois, pelo período de transição, ninguém foi mais útil e competente a Lula que seu vice e ministro do Desenvolvimento do que Geraldo Alckmin, que também levou um pito público: “O Alckmin tem de ser mais ágil, tem de conversar mais”. O vice tem estilo próprio, é respeitado pelos ministros, políticos e empresários, trabalha muito e sua presença na chapa na condição de candidato a vice deu maior dignidade a Lula na disputa pelo Planalto. O presidente tem memória curta e quer mostrar que “também quer dar lições” a Alckmin. 


Aniversário triplo


A atriz, modelo e apresentadora Fernanda Lima, compartilhou em suas redes sociais, momentos em família. Fernanda que de uma certa maneira é bem reservada em sua vida pessoal e ainda superando a morte de pouco mais de um mês da mãe, Maria que faleceu aos 80 anos, 25 dias após receber o diagnóstico de câncer pancreático mostrou fotos da comemoração de 16 anos dos filhos João e Francisco e do marido Rodrigo Hilbert. Os gêmeos chegaram a mais uma primavera no dia 18 de abril e Hilbert chegou aos 44 anos no dia 22. “E por aqui a gente segue celebrando cada segundo de nossa existência. Em uma semana três aniversários! Dois carneiros e um touro. Amo esses homens !Tenho esperança nos homens. Por aqui, diálogos delicados, lagrimas, sensibilidade, abraços e vulnerabilidades são mais que bem vindos! PS: no niver do papai “ casa de ferreiro , bolo improvisado”.

In –  Estreia no cinema: Garfield: Fora de Casa
Out – Estreia no cinema: Ursinho Pooh: Sangue e Mel 2


Ainda Haddad

Muitos ministros de Lula acham que o ministro Fernando Haddad (Fazenda) foi o mais eficiente da articulação política do governo Lula que não deve ter a mesma opinião. Guerreou sobre gastos, déficit zero, tributação e soube engolir os habituais disparates do presidente. Tem engolido também (embora esteja irritado com isso) as fofocas de Rui Costa e Gleisi Hoffmann. Desta vez, está achando que Lula quer transformá-lo em bode expiatório. Só escapa se as pesquisas de popularidade do chefe do Executivo subirem. Haddad é professor, mas Lula  é “um aluno enganador”.

 

 

 

 

Não  existe

Pode-se criticar ações do Judiciário, modo de agir do ministro Alexandre de Moraes e eventual outra leitura da Constituição (ou adaptação), só que não se pode afirmar, o que Jair Bolsonaro fez no Rio, que o Brasil tem “uma ditadura no Judiciário”. Nesses dias de inelegibilidade, o ex-presidente fala qualquer coisa, como sempre: voltou a falar das urnas eletrônicas, de fraude na eleição de Lula e, mais uma vez, negar a existência da “minuta de golpe”, embora confirmada até por graduados oficiais das Forças Armadas. Seu aliado Silas Malafaia agora quer “derrubar os comandantes militares”, o que Bolsonaro também gostaria que acontecesse. 

Pérola

“Então, eu segui a orientação do Ministério da Justiça e vetei. Vamos ver o que vai acontecer e se o Congresso derrubar, é um problema do Congresso. Eu posso lamentar, mas eu tenho que acatar”, 
de LULA // sobre a possível de derrubada do seu veto ao PL das “saidinhas”.

QUEM VIAJA MAIS 1

Entre a posse em janeiro e o dia 27 de março deste ano, uma análise sobre 1.758 viagens realizadas por ministros do governo federal, aponta que dois deles fizeram mais de uma viagem por semana, nas 68 semanas de trabalho que tiveram. Mesmo com voos de trabalho, nas asas de jatinhos da Força Aérea Brasileira, a maior parte levou-os a seus redutos eleitorais e residenciais no fim de semana. o campeão foi Paulo Teixeira (Desenvolvimento Agrário) com 82 viagens registradas. Em segundo, Nísia Andrade (Saúde) com 73 deslocamentos e Camilo Santana (Educação) que voou pela FAB em 67 oportunidades. 


Quem viaja mais 2
 

O vice-presidente Geraldo Alckmin aparece apenas com três viagens na pasta de Desenvolvimento, que não computa as viagens a serviço. A maior parte das viagens ministeriais é para eventos fora de Brasília, a maior parte para São Paulo (309 viagens), Rio de Janeiro (190) e Recife (75). Para fora do Brasil, 13 para Buenos Aires e Nova York, mas há viagens para Xangai (China), Dubai (Emirados Árabes) e Phnom Penh (Camboja). Em um mês e meio, André Fufuca (Esportes) foi cinco vezes a São Luiz, seu reduto político em finais de semana. 

NO RADAR DO TCU

A renegociação do contrato do Aeroporto do Galeão aterrissou no TCU, mais precisamente na Secretaria de Controle Externo de Solução Consensual e Prevenção de Conflitos, uma espécie de câmara de arbitragem da Corte. O Ministério de Portos e Aeroportos já deu aval para que a redução do valor anual da outorga, de R$ 1,3 bilhão, e pela flexibilização dos prazos e valores dos investimentos obrigatórios. São algumas contrapartidas exigidas pela Changi Airport, de Cingapura, para permanecer à frente da concessionária Rio-Galeão.

Não lê

Outros analistas de plantão, enquanto ele chama a atenção de Fernando Haddad para ler menos livros, lembra que o presidente Lula nunca foi amigo dos livros. Nos seus dois governos de largada, mandou reformar toda a biblioteca do Planalto e jamais colocou os pés lá, nem mesmo para conferir se o resultado foi bom. Na presidência, até hoje, logo cedo, recebe um resumo dos principais acontecimentos retirados dos jornais ainda pela madrugada. De vez em quando, é Janja que leva a ele algum veículo com matéria muito importante. Ou seja: ironia sobre livros para Haddad, virou chacota. Mais: quando estava preso, no prédio da Polícia Federal em Curitiba, leu dois livros, ambas de biografias. 

NADA  DISSO

A frase de Lula pedindo a Fernando Haddad que “leia menos livros” e andar mais pelo Congresso revela bem como o presidente se relaciona com a leitura. Para ele, quem lê deixa de fazer alguma coisa. Ou seja: é um conceito negativo, depende do que outra coisa não aconteça. A leitura nunca é vista como algo que tem um fim em sim mesmo, que tem uma contribuição positiva para dar. O uso de “ao invés” mostra bem seu raciocínio: quem lê um livro deixa de fazer algo importante: conversar no Congresso.


MISTURA FINA


LULA continua o mesmo, terceirizando responsabilidades pelos próprios erros, como acontecia em seus dois primeiros mandatos, incluindo os escândalos de corrupção. Segundo analistas, sua gestão é pífia e reprovada pela população. Chegou até a humilhar o vice-presidente Geraldo Alckmin, cobrando empenho. Detalhe: os analistas garantem que foi ele que até agora não arregaçou as mangas. Ainda caça adversários em vez de conquistar eleitores. Janja discorda: garante que o maridão trabalha muito e à noite até dorme no sofá. 

NA manhã da terça-feira (23) o presidente Lula resolveu explicar o que havia vetado no Projeto de Leis das “saidinhas”, justificando que acha injusto, algumas proibições para a saída de detentos não perigosos: “Nós vetamos a proibição de o cidadão ou a cidadã que não tenha cometido crime hediondo, que não tenha cometido estupro, que não tenha cometido crime de pedofilia, sabe, possa visitar os parentes. É uma coisa de família, família é uma coisa sagrada. Família é a base principal, sabe, da organização de uma sociedade”. 

A MIGRAÇÃO dos clientes da Unimed-Rio para a Unimed-Ferj, anunciada como uma espécie de ‘Nova Unimed’, está na mira da Agência Nacional de Saúde (ANS). Os clientes da antiga carteira de pessoa física da Golden Cross, comprada pela cooperativa há 11 anos, ainda não teriam sido integralmente transferidos para a nova empresa. A ANS acumula mais de 1,5 mil reclamações sobre o caso. O órgão regulador deverá abrir um procedimento administrativo contra a Unimed. A Unimed-Ferj avisa que “está trabalhando para que a regularização dos atendimentos seja normalizada, tão logo ocorra a transferência da carteira”. 

A TEMU plataforma de e-commerce chinesa, está chegando ao Brasil, com armas de alto calibre apontadas para a concorrência. Está cooptando vendedores da Shopee e da Shein e sondou dois executivos da mesma Shein, colocando um caminhão de dinheiro na mesa. A Temu deve iniciar sua operação no segundo semestre. Nos Estados Unidos, tem 155 milhões de consumidores em dois anos. Atrás da Temu, está um dos maiores conglomerados do mundo no comercio eletrônico: o Grupo Pinduoduo, como valor de mercado de US$ 150 bilhões. 

FUNDADO no dia 7 de setembro de 1895 o Museu do Ipiranga sempre foi um dos pontos turísticos da cidade de São Paulo, que mais atraiu o público. Depois de passar por uma reforma que durou 9 anos foi reinaugurado no mesmo dia e mês no ano passado. Contendo cerca de 450 mil obras já atingiu a marca de 1 milhão de visitantes com pouco mais de 7 meses de sua reabertura. 

 

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).