Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ARTICULAÇÃO

Indicação de João Rocha como vice não é consenso na Câmara Municipal

Presidente pode ser indicado pela Casa para complementar chapa do prefeito Marcos Trad
11/05/2020 08:00 - Bruna Aquino, Yarima Mecchi


A indicação do presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, João Rocha (PSDB), para compor a chapa de reeleição do atual prefeito, Marcos Trad (PSD), não é consenso entre os vereadores. O tucano tem boa aceitação, mas ainda é preciso articulação para convencer todo o Legislativo.  

João Rocha foi escolhido pela Executiva Municipal do PSDB como o nome que será indicado para compor a chapa e cumprir o acordo de apoio à reeleição de Trad, feito entre o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e o prefeito. O partido espera que haja um consenso entre os vereadores para que a Casa faça a recomendação, mas, caso o prefeito não aceite, os tucanos não descartam lançar um candidato próprio para disputar o pleito previsto para outubro.  

Mais cauteloso do que em abril deste ano, o presidente municipal do PSDB, João César Mattogrosso, disse que ainda é preciso decidir entre o partido. “Primeiro, ainda não está certa a indicação. O partido vai decidir ainda, existe a possibilidade de a bancada ser a favor do João Rocha. Aqui, a grande maioria dos vereadores está indicando o presidente, mas esta é decisão do partido, mas ter o apoio da câmara é bastante importante”.

Em entrevista ao Correio do Estado no dia 15 de abril, Mattogrosso disse que o partido estava alinhado na indicação de João Rocha. “Estamos bem alinhados, mas será uma indicação da instituição. Já está bem organizado com a Casa, mas precisamos ter cautela antes de anunciar. O nome dele será trabalhado para esse sentido. Vamos nos reunir e conversar, será uma apresentação da bancada do PSBD para os demais vereadores”.  

O único vereador do PSL na Casa, Vinícius Siqueira, ao ser questionado pelo Correio do Estado se indicaria o nome do presidente, afirmou que não tem por que responder. “Como vou apoiar ou deixar de apoiar alguém da chapa que será adversária do meu partido? Não tem lógica responder isso. Nem opino”.

Representante do MDB, Dharleng Campos afirmou que estranha uma indicação pela Casa, mas considera o vereador João Rocha um nome forte. “Sendo, como sempre, bem sincera, eu acho muito estranho a Câmara Municipal de Campo Grande indicar um nome para vice do prefeito Marcos Trad. Porém, se a Câmara faz uma indicação como essa, eu apoio o nome do vereador João Rocha por entender que é um bom nome para a chapa. Mas continuo dizendo que acho bastante estranho esse tipo de indicação”.  

Epaminondas Neto, o Papy (Solidariedade), destacou que o partido tem um nome para o pleito. “Ele reúne todas as condições para ser vice em qualquer chapa, é um político experiente, tem uma vida que condiz com esse cargo, pessoalmente dizendo, ele poderia ser vice de qualquer um. Eu tenho outro projeto, estou em outro partido. A minha indicação ficaria prejudicada por conta disso, mas ele reúne todos os critérios”.  

Líder do prefeito, Chiquinho Telles (PSD) disse que apoia. “Eu não só apoio como indico, eu já falei para o prefeito que o presidente tem uma participação muito grande na atuação dos projetos”, destacou.

O PSDB tem oito representantes na Casa de Leis, seguido do PSD (5), MDB (3), Avante (2), Republicanos (2), PSB (2), PT (1), PP (1), DEM (1), Rede (1), Solidariedade (1), PSL (1) e PTB (1). 

 
 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!