Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PATRIMÔNIO ELEITORAL

Candidatos do Solidariedade e Avante são os mais ricos na corrida eleitoral

Justiça Eleitoral divulgou patrimônio dos 14 candidatos à prefeitura de Campo Grande
27/09/2020 17:34 - Ana Karla Flores


O Tribunal Superior Eleitoral divulgou a declaração de bens dos candidatos à prefeitura de Campo Grande. Na campanha para comandar o Executivo Municipal, os mais ricos são Marcelo Maglioli, Sérgio Harfouche e Paulo Matos. Dos 14 candidatos, apenas quatro declaram valor menor que R$ 1 milhão.

De acordo com a Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais de 2020 (Divulgacand), o candidato com maior volume de bens é Marcelo Miglioli, com R$ 5,358 milhões, do partido Solidariedade. Na lista de bens de Miglioli consta uma residência, uma fazenda e um terreno que totalizam R$ 3,615 milhões.

O segundo candidato mais rico é o promotor de Justiça Sérgio Harfouche, do Avante, que declarou R$ 4,902 milhões. O maior patrimônio informado é de R$ 3 milhões, referente a residência do candidato.

Em seguida no ranking estão, Paulo Matos, do Partido Social Cristão (PSC), com R$ 3,357 milhões; Dagoberto Nogueira, Partido Democratico Trabalhista (PDT), com R$ 3.079.721,17 e o candidato do partido Movimento Democrático Brasileiro (MDB), Márcio Fernandes, que registrou patrimônio de R$ 2,676 milhões.

O atual prefeito de Campo Grande, Marcos Trad, do Partido Social Democrático (PSD) declarou patrimônio de R$ 2.519 milhões. Entre os bens de Trad estão fundo de investimento de R$ 886 mil e terreno de R$ 440 mil.

O candidato de Partido dos Trabalhadores (PT), Pedro Kemp, informou possuir R$ 1.720 milhão em bens. O valor se distribui em duas casas, que totalizam R$ 427 mil e aplicação de renda fixa de R$ 901 mil.

Esacheu Nascimento, candidato do Progressistas (PP), informou possuir R$ 1,704 milhão. Na lista de bens com maior valor estão casa e terreno que somam R$ 871,3 mil.

O candidato do partido Novo, Guto Scarpanti, declarou à Justiça Eleitoral patrimônio de R$ 1,550 milhão. Dentre os maiores bens de Scarpanti estão dois apartamentos nos valores de R$ 700 mil e R$ 180 mil.

Marcelo Bluma, do partido Verde, possui patrimônio de R$ 1,455 milhão. O bem mais caro constatado pelo candidato é casa no valor de R$ 440 mil.

 
 

Segundo o Divulgacand, os candidatos Sidnéia Tobias, do Pode, João Henrique Miranda, do Partido Liberal (PL) e Loester Trutis, do Partido Social Liberal (PSL) declararam possuir menos de um milhão, com respectivamente, R$ 250 mil , R$166 mil e R$48 mil.

Na lista de candidatos divulgada, não consta o vereador Vinícius Siqueira, também do PSL, que lançou candidatura neste domingo (27) e está em disputa com Trutis

Cristiane Duarte, candidata pelo Partido Socialismo e Liberdade (Psol), não declarou o patrimônio contido à Justiça Eleitoral.

 

Felpuda


Candidato a vereador caiu em desgraça, pelo menos em um dos bairros de Campo Grande, ao promover comício em ginásio de esporte, com direito a ônibus lotados e espoucar de muitos fogos de artifício.

Aí dito-cujo foi alvo de muitas críticas, tanto pela zoeira causada, como por ter mandado às favas quaisquer cuidados na prevenção da Covid-19, ao promover grande aglomeração. Irresponsabilidade é pouco, hein?!