Veículos

Lançamento

A minivan grande Carnival volta ao portfólio brasileiro da Kia

Desembarca em versão única, com motor V6 a gasolina e preço de R$ 649.990

Continue lendo...

Praticamente sem concorrência, tanto a nível mundial quanto no mercado brasileiro, a minivan grande Carnival foi lançada em 1999, inclusive fazendo parte do portfólio nacional da Kia em algumas temporadas.

Agora, a marca sul-coreana pertencente ao grupo Hyundai traz a quarta geração da minivan de luxo com capacidade de transportar até sete passageiros, prometendo revisão em vários itens de equipamentos para continuar atraindo as famílias e tendo grande aplicabilidade corporativa.

A nova Carnival desembarca no Brasil em versão única e com preço de R$ 649.990. Com o lançamento da quarta geração da Carnival, a Kia abre uma trégua na sua nova filosofia de mercado – apresentada em 2021 – de ser a marca a capitanear a eletrificação veicular no grupo sul-coreano.

No mercado brasileiro, a Carnival 2025 traz um motor 3.5 V6 Lambda III MPi a gasolina, que gera 272 cavalos de potência a 6.400 rpm e 33,4 kgfm de torque a 5 mil giros, acoplado à transmissão automática de 8 marchas e à tração dianteira.

Com um linguagem de design chamada pela Kia de “opostos unidos”, a nova Carnival tem alguma ousadia nas linhas, mais afins às de um SUV. A minivan tem uma enorme grade, que domina a frente do carro, com os conjuntos ópticos nas extremidades.

As luzes dianteiras contam com desenho arrojado, com os faróis principais dispostos em quatro segmentos verticais de cada lado, serpenteados pelas luzes de circulação diurna, que invadem as laterais e boa parte de cima da grade.

A proposta de design das DRLs se repetem nas lanternas, tudo em leds – na frente e atrás. Ainda na parte traseira, a proposta da Kia foi pela simplificação, com a placa de identificação do veículo reposicionada na parte inferior da tampa do porta-malas, abaixo do novo logo da marca sul-coreana, também adotado em 2021.

As novas rodas são de 19 polegadas “Após um período de ruptura de oferta da Carnival no mercado brasileiro, estamos felizes em poder anunciar a normalização de sua comercialização.

Mais moderna e atualizada, a Carnival continuará atendendo aos clientes que necessitam de amplo espaço para até oito pessoas e mais bagagens. Não poupamos esforços em oferecer o máximo disponível em recursos de segurança, de tecnologia e de conforto”, garante José Luiz Gandini, presidente da Kia Brasil.

No interior, a Carnival também foi repensada. O assistente de saída SEA (Safe Exit Assist) faz parte do conjunto de tecnologias de segurança da sua quarta geração.

O SEA evita que as portas traseiras deslizantes se abram – prevenindo que crianças saiam do veículo sem autorização dos responsáveis – se o sistema detectar um carro se aproximando por trás em ambos os lados.

Os controles de entretenimento e climatização, agora com comandos comutáveis em tela sensível ao toque única, alinhados horizontalmente no painel central, têm um design minimalista, assim como o console central com porta-copos duplos.

Em posição de destaque está o conjunto de duas telas, em formato panorâmico e curvo, sendo o painel de instrumentos totalmente digital de 12,3 polegadas e a tela de infoentretenimento – com a mesma medida – integrados.

A multimídia tem espelhamento para Apple CarPlay e Android Auto sem fio (ou por USB). Há ainda duas portas USB tipo C no console dianteiro para carregamento de equipamentos eletrônicos, sendo uma para transmissão de dados, e outra USB C no encosto do banco dianteiro para os passageiros de trás.

Com 5,15 metros de comprimento, 1,99 metro de largura, 1,77 metro de altura e 3,09 metros de entre-eixos, a nova Carnival é tão grande que cabem 627 litros no porta-malas mesmo com a terceira fileira de bancos colocada. Com apenas os dois assentos da frente, a minivan pode levar até 2.827 litros.

A nova Carnival tem uma gama de sistemas de segurança passiva e ativa, além de oito airbags.

O veículo oferece ainda novos sistemas avançados de assistência ao motorista (ADAS), incluindo assistente para prevenção de colisão frontal, assistente de colisão por ponto cego, monitor de ponto cego com visualização no painel de instrumentos, comutação de farol alto, piloto automático adaptativo, assistente de centralização na faixa de rodagem e de permanência na faixa de rodagem e câmeras de visão de 360 graus.

A suspensão dianteira é independente tipo MacPherson, com molas helicoidais e amortecedores a gás, enquanto a traseira é multilink.

Imersão ao novo mundo

O novo Mini Countryman SE desembarca no Brasil em duas versões

Maior modelo já produzido pela Mini, ele chega com preço a partir de R$ 294.990

08/07/2024 08h00

O Countryman SE é equipado com dois motores  um em cada eixo  tornando o carro um 4x4, com 306 cavalos de potência, 49,4 kgfm de torque e autonomia de até 320 quilômetros

O Countryman SE é equipado com dois motores um em cada eixo tornando o carro um 4x4, com 306 cavalos de potência, 49,4 kgfm de torque e autonomia de até 320 quilômetros Divulgação

Continue Lendo...

O mais longo modelo feito pela Mini acaba de chegar ao Brasil, em sua versão 100% elétrica. O Countryman SE ALL4 debuta no mercado brasileiro – produzido em Oxford, Inglaterra – em duas opções, a Exclusive, com preço de R$ 294.990, e a Top, a R$ 339.990. Ambas têm dez opções de cores para a carroceria (Cinza Melting, Vermelho Chili, Verde British, Preto Midnight, Branco Nanuq, Azul Sunset, Azul Blasing, Cinza Legend, Azul Slate e Verde Smokey). Em relação à cor do teto, a Exclusive tem três escolhas (branco, preto ou da cor do veículo) e a Top acrescenta uma quarta, em prata. Quanto ao revestimento interno, a Exclusive pode ter a combinação de Vescin e tecido em preto ou cinza. Na Top, há três possibilidades – preto e Vescin Dark Petrol, marrom e Vescin Vintage Brown ou apenas Vescin Beige.

O Countryman cresceu em relação à variante a combustão, medindo agora 4,43 metros de comprimento (13,6 centímetros maior), 1,84 metro de largura (dois centímetros a mais), 1,64 metro de altura (ante 1,57 metro da anterior) e 2,69 metros de entre-eixos (também dois centímetros a mais). Como consequência direta, o Countryman elétrico oferece mais espaço para todos os ocupantes. Na prática, o motorista e o passageiro da frente ganham quase três centímetros de largura para os ombros e cotovelos. Atrás, há mais 2,5 centímetros na largura para os ombros. O porta-malas passa a ter 460 litros de capacidade (55 litros a mais que a geração anterior), crescendo para 1.450 litros com o banco traseiro rebatido.

As rodas têm 18 ou 20 polegadas e variam de acordo com a configuração. Para ambas, o design é inédito, sendo aerodinamicamente otimizadas, reforçando o caráter esportivo do Countryman SE. Na lateral, o desenho da coluna “C” (a traseira), com o logotipo “ALL4” estampado, apoia a linha do teto na parte de trás do veículo e faz com que o modelo pareça mais curto, embora não sendo. A traseira tem linhas mais “limpas”, para-choque com design robusto e lanternas em leds em posição vertical. De acordo com a Mini, forma e função caminham lado a lado no novo Countryman elétrico. O modelo teve sua aerodinâmica aprimorada em túnel de vento para melhorar sua eficiência para cortar o vento, resultando em um coeficiente aerodinâmico de 0,26 cx, enquanto o carro a combustão tem 0,31 cx. A título de balizamento, a média do coeficiente de um carro de passeio fica em 0,30 cx, em 0,40 cx em picapes e em 0,49 cx no antigo Fusca.

Dois motores elétricos com uma potência total de 306 cavalos e torque de 49,4 kgfm (instantâneo, como em todo elétrico) movem o Countryman SE, justificando o “sobrenome” ALL4. Segundo a Mini, o novo Countryman acelera de zero a 100 km/h em 5,8 segundos e pode chegar à velocidade máxima de 180 km/h, limitada eletronicamente. A fabricante britânica garante ainda que o novo modelo mantém o Go-Kart Feeling (algo como “sensação de estar dirigindo um kart”), assegurando um bom comportamento especialmente nos contornos de curvas mais rápidas. A bateria do Countryman SE tem um conteúdo energético de 66,45 kWh e possibilita até 320 quilômetros de autonomia, conforme o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular do Inmetro. Com capacidade de carregamento rápido de até 130 kW, pouco menos de 30 minutos são suficientes para carregar a bateria de 10% a 80%.

Uma das características mais cativantes em um Mini é seu interior, principalmente no visual oferecido ao motorista. E a marca se inspirou em suas origens para conferir ao novo Countryman um interior ergonômico e uso inteligente de espaço. O modelo mantém como principal destaque o enorme display redondo de 24 centímetros de diâmetro. A tela OLED tem alta resolução e é a mesma utilizada nos smartphones mais modernos. Compatível com Apple CarPlay e Android Auto sem fio, ela é responsável por reunir todas as informações do veículo, desde o painel de instrumentos até os sistemas de assistência ao motorista e entretenimento. Equipada com o novo Mini Operating System 9, todas as funções do veículo podem ser operadas intuitivamente por meio de toque ou pelo assistente de voz. Há ainda animações para entreter os ocupantes, com o sistema de som da versão topo de linha assinado pela Harman-Kardon.

Já pelo Mini Experience Modes, os ocupantes do novo Countryman podem experimentar um visual completamente distinto em todo o interior do carro por meio de gráficos de iluminação especiais em diferentes cores e padrões, enquanto o Mini Driving Sounds cria um ambiente futurista para a cabine, mudando o som emitido nas acelerações de acordo com o modo de condução selecionado. O design minimalista do cockpit fica evidente em uma barra de controle, posicionada logo abaixo da tela OLED. Ela reúne quase todos os controles físicos necessários para o funcionamento do carro, incluindo os comandos de funções, como o “D” (de driving), o “R” (de ré) e o “P” (de parking). Isso elimina a necessidade de um seletor de marcha e cria espaço no console central para porta-objetos, com os smartphones podendo ser armazenados em um grande compartimento e carregados sem fios ao mesmo tempo.

Sistemas de assistência inéditos, como o Driving Assistant Plus e o Parking Assistant Plus, dão suporte ao motorista. Além do controle de velocidade adaptativo, o novo Countryman conta com o Steering and Lane Assistant, para manter o carro dentro da faixa de rodagem. Todas as opções oferecidas pelos sistemas avançados de assistência ao motorista são visualizadas em tempo real pelo Assisted View na tela OLED. O novo Mini soma as funções de estacionamento automático e do Parking View de 360 ??graus, e é capaz de identificar possíveis vagas de estacionamento graças a 12 sensores ultrassônicos e quatro câmeras.

100% ELÉTRICO

Scania apresenta o ônibus elétrico K 230E B4x2LB

O primeiro ônibus elétrico 100% da Scania no Brasil, será a novidade da marca na Lat.Bus 2024, em agosto, e chega às ruas em 2025

07/07/2024 10h00

O motor EMC 1-2 tem potência contínua de 230kW (equivalente a 310 cavalos) a 1.750 rpm e torque de 224,3 kgfm disponível a qualquer rotação

O motor EMC 1-2 tem potência contínua de 230kW (equivalente a 310 cavalos) a 1.750 rpm e torque de 224,3 kgfm disponível a qualquer rotação Divulgação

Continue Lendo...

A Scania já revelou sua principal novidade para a Lat.Bus 2024, a feira latino-americana do transporte coletivo rodoviário, que será realizada de 6 a 8 de agosto no Expo Imigrantes, em São Paulo. Trata-se do K 230E B4x2LB, o primeiro ônibus elétrico 100% da marca sueca no país e que será produzido na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. As vendas terão início na Lat.Bus 2024, e as primeiras unidades devem sair da linha de montagem no segundo trimestre de 2025. “Estamos vivendo um ano muito especial para a história da marca no país. Nas vésperas de comemorar nossos 67 anos de Brasil, iniciamos mais uma jornada de transformação. A modernidade da eletrificação estará materializada em nossa fábrica. A partir do início da produção do ônibus elétrico, em março de 2025, a Scania não será mais a mesma”, comemora Alex Nucci, diretor de Vendas de Soluções da Scania Operações Comerciais Brasil. 

O K 230E B4x2LB tem autonomia de 250 a 300 quilômetros (já dimensionado em uma condição severa, com ar-condicionado ligado e topografia irregular), e opções de quatro ou cinco pacotes de baterias. O propulsor é chamado de EMC 1-2, tem potência contínua de 230 kW (equivalente a 310 cavalos) a 1.750 rpm, torque de 224,3 kgfm disponível a qualquer rotação (curva plana em regime contínuo) e potência de pico de 300 kW (equivalente a 407,8 cavalos) a 1.400 rpm. Ligado a um câmbio com duas marchas, desenvolvido para trazer maior conforto e eficiência em aclives e estradas irregulares, sua vocação principal é a aplicação urbana. Tem tração 4x2 e comporta carrocerias de 12 a 14 metros – capacidade média para 80 passageiros –, na configuração de piso baixo ou normal. 

A produção do K 230E B4x2LB não interfere na parceria firmada em 2022 entre a Scania e a encarroçadora paulista Caio para a produção do ônibus urbano eMillennium, com tração elétrica Eletra e motor e bateria WEG, que segue normalmente. “Naquele formato de negócio, a Scania fornece apenas o chassi. Já o K 230E B4x2LB é 100% Scania. São veículos completamente diferentes”, esclarece Nucci.  “O K 230E B4x2LB tem motor elétrico Scania, câmbio Scania de duas marchas e bateria Scania-Northvolt, importados. O motor tem design simples, para facilitar a manutenção, e entregar um custo de manutenção mais baixo comparado aos motores de combustão interna. No motor a combustão tradicional, o torque máximo é obtido após a aceleração contínua. Um elétrico já desenvolve o pico de torque em zero rotação, ou seja, assim que sair da imobilidade”, complementa Marcelo Gallao, diretor de Desenvolvimento de Negócios da Scania Operações Comerciais Brasil. 

As baterias do ônibus elétrico da Scania serão de NMC (lítio-níquel-manganês-cobalto), diferentes da maioria das usadas atualmente no mercado, que são de LFP (lítio-ferro-fosfato), importadas da Suécia. As baterias de NMC dispõem de uma maior densidade de carga, o que significa menos peso total do veículo e, consequentemente, mais capacidade para transportar passageiros. As baterias serão modulares, facilitando a distribuição de carga, com pacotes de 104 kW. “Daremos a escolha ao cliente de equipar o produto com quatro ou cinco pacotes de baterias. Dessa forma, poderemos configurar as baterias em opções de três pacotes no teto e uma no fundo do ônibus, ou quatro baterias no teto e uma na posição traseira. O ônibus tem um carregador de 130 kW, em uma capacidade de carregamento de 150 a 170 minutos”, explica Gallao.

O momento de mercado da Scania, no acumulado deste ano – de janeiro a maio –, está positivo tanto em caminhões (liderança no segmento de pesados) quanto em ônibus (alta de 137%). A fabricante vendeu 235 chassis de ônibus no acumulado do ano entre urbanos e rodoviários (segmento em que conquistou 13,6 de participação). “Daremos uma condição especial de preço de lançamento na Lat.Bus 2024. O Scania Banco oferecerá um financiamento via funding verde, o mesmo usado para o modelo a gás, com taxa de juros referencial de 0,79%, muito competitiva. E nossa linha a diesel continuará disponível e entregando o menor custo total de operação, além da gama a gás. O produto elétrico reforça o portfólio e não substitui outra matriz energética atualmente comercializada. Nossas soluções de produtos, serviços e alternativas financeiras estão oferecendo a máxima rentabilidade e disponibilidade ao cliente”, salienta Nucci.  

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).