Clique aqui e veja as últimas notícias!

ENFRENTAMENTO A COVID-19

Comércio e toque de recolher tem horários alterados e passe de ônibus é cortado

Prefeitura determinou série de medidas restritivas para tentar frear o contágio da Covid-19
04/12/2020 11:42 - Gabrielle Tavares, Glaucea Vaccari


Devido ao aumento dos casos e, principalmente da taxa de ocupação dos leitos de UTI da Covid-19, Prefeitura de Campo Grande decidiu por medidas restritivas na Capital, que devem começar na segunda-feira (7).

Entre as medidas, está a alteração do toque de recolher, que começará duas horas mais cedo, com vigência das 22h às 5h. Atualmente, o horário é de meia-noite até 5h.

O horário especial do comércio para o fim de ano, que seria estendido para até 22h, foi cancelado.

Acompanhe as últimas notícias

Reunião foi realizada nesta manhã com representantes da prefeitura, governo e representantes de hospitais públicos e privados do Estado, para tentar encontrar medidas para evitar o colapso do sistema de saúde diante do agravamento da pandemia.

 "O objetivo maior é evitar aglomeração e a gente tem tentado fazer isso de maneira educativa e de conscientização, como não surtiu resultado, nós tivemos que apelar para o decreto", disse o prefeito Marcos Trad (PSD).

Além do toque de recolher, ficou decidido que o transporte coletivo também terá novas restrições. Os passes do estudante e o de gratuidade dos idosos será suspenso.

Terminais ficarão abertos até às 23h e ônibus devem circular com capacidade de lotação de 70%.

O comércio está autorizado a abrir das 8h às 21h, com 40% da capacidade máxima de clientes. Shoppings funcionarão das 10h às 22h.

Durante o toque de recolher, os estabelecimentos comerciais devem fechar as portas, mas é permitida a venda por delivery.

Realização de festas e campeonatos esportivos também a volta a ser proibida na Capital.

Equipes de fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur) e Vigilância Sanitária serão ampliadas, com consequente aumento de blitz de prevenção e orientação, principalmente para evitar a mistura álcool e direção, responsável por vários acidentes em que as vítimas também podem ocupar leitos de UTI.

Conforme o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, atualmente a Capital tem 395 leitos, com 357 deles já ocupados. Para os próximos dias, expectativa é de ampliar esse quantitativo, com a contratação de mais 68 leitos de UTI em hospitais públicos e privados.

Conforme boletim divulgado hoje, Campo Grande tem 47.619 casos confirmados de Covid-19 e 797 mortes pela doença.

"Conseguimos construir uma medida que possa levar em questão as atividades públicas, da parte da saúde e financeira", disse o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende. 

Decreto com todas as restrições sera publicado em Diário Oficial nesta sexta-feira (4).