Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PESQUISA

Aquidauana e Sidrolândia passam a compor epicentro da pandemia aponta estudo

Pesquisadores de Mato Grosso do Sul e da Bahia divulgaram relatório com dados da doença
25/08/2020 13:01 - Gabrielle Tavares


Pesquisadores que compõem a Rede Geográfica da Covid-19 em Mato Grosso do Sul mostram agravamento da pandemia em municípios que compõem a macrorregião de Campo Grande, principalmente Aquidauana e Sidrolândia.

As análises são resultados de uma rede de pesquisa multidisciplinar formada por acadêmicos e pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), e da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB).

“A microrregião de saúde de Aquidauana e Sidrolândia passaram a fazer parte do epicentro da pandemia no estado de Mato Grosso do Sul”, expõe a pesquisadora e professora Ana Paula Archanjo Batarce.

De acordo com o Relatório Técnico de Análise Geocartográfica da Covid-19 na Macrorregião de Campo Grande, o município de Aquidauana subiu para nível de alerta 5 e outros cinco municípios da região, como Sidrolândia, tiveram elevação para o nível de alerta 4.

Seis dos 34 municípios que possuem a Capital como principal fonte de leitos, concentram 88% dos novos casos de Covid-19.  

Os pesquisadores sugerem ainda medidas urgentes para conter a velocidade da disseminação do novo coronavírus na macrorregião de Campo Grande, em especial na microrregião de Aquidauana.

Indígenas

“Uma das grandes preocupações é com as populações vulneráveis, como os indígenas”, revelou a pesquisadora Eva Teixeira dos Santos.

Foram 23.299 casos confirmados até 15 de agosto, dos quais 6,56% correspondem a indígenas (1.529 casos).

Já em relação à mortalidade de indígenas, dos 370 óbitos no Estado, 40 foram de indígenas, o que representa 10,81% das notificações. Das 370, 40 óbitos.

 
 

Felpuda


Casal de políticos muito conhecido a-do-ra cargos públicos, e, assim, “um puxa o outro” na maratona política, que inclui disputa de mandatos, direção de órgãos e até mesmo nomeações com prerrogativa de não ter de bater ponto. A nova empreitada agora é conquistar uma das prefeituras do interior. Em caso de derrota, é quase certo que os nomes de ambos deverão aparecer no Diário Oficial antes mesmo do fim deste ano.