Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MATO GROSSO DO SUL

Nova fase de pesquisa sobre Covid-19 começa no domingo

Levantamento vai estimar proporção de casos do novo coronavírus
20/06/2020 11:15 - Adriel Mattos


Começa no domingo (21) a terceira fase de uma pesquisa nacional para determinar a real proporção de casos de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Em Mato Grosso do Sul, as entrevistas serão realizadas em Campo Grande, Dourados e Corumbá.

Financiada pelo Ministério da Saúde, a pesquisa é feita pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), no Rio Grande do Sul, em parceria com o instituto Ibope Inteligência. O método consiste na aplicação de um breve questionário sobre a existência de doenças preexistentes e possíveis sintomas de Covid-19, além da realização de um teste sanguíneo rápido que utiliza metodologia por punção digital.

Todo morador que aceitar participar da pesquisa terá que assinar um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido que informa sobre os objetivos, procedimentos, possíveis riscos, sigilo dos dados, voluntariedade da participação, entre outros aspectos. Os moradores menores de idade e/ou adultos legalmente incapazes receberão o Termo e terão que ser autorizados pelos pais e/ou responsável para participar.

As informações coletadas são absolutamente sigilosas, serão tratadas de forma anônima e os respondentes não serão identificados, de acordo com todas as normas éticas internacionais sobre pesquisas em saúde (com exceção da Vigilância Sanitária, caso o resultado do teste seja positivo). Os resultados dos estudos serão sempre tratados conjuntamente e nunca de forma individual.

Também convém ressaltar que todos os entrevistadores testaram negativo para a doença e usarão Equipamentos de Proteção Individual, como máscara e luvas. Eles estarão devidamente protegidos e identificados para a segurança dos moradores.

 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!