Polícia

corumba

A+ A-

Polícia de MS mata o 4º agressor de mulher em 70 dias

Homem foi filmado tentando enforcar mulher com a perna; ele também agredia, espancava e mantinha a mulher e mais três crianças incomunicáveis e sem alimentação

Continue lendo...

Um homem que agredia, espancava e mantinha a mulher e mais três crianças incomunicáveis e sem alimentação morreu em confronto com policiais civis e militares, neste domingo (11), na Fazenda Jaçanã, localizada no Pantanal de Corumbá. Ele foi o quatro agressor de mulher morto pela polícia de Mato Grosso do Sul em pouco mais de dois meses.

Um vídeo divulgado por familiares mostra ele enforcando a mulher com a perna. O caso chegou à policia de Corumbá e duas embarcações foram mobilizadas para atender a ocorrência e resgatar não apenas a vítima, mas também as três crianças que poderiam estar em perigo.

Conforme nota da Polícia Civil divulgada nesta segunda-feira, foram empenhados cinco agentes policiais, sendo um investigador de Polícia Civil e quatro policiais militares.

A equipe se deslocou até a fazenda e na porteira o autor já os esperava de braços cruzados sendo reconhecido pela equipe que verbalizou para que colocasse as mãos na cabeça, dando-lhe voz de prisão.

Mas, de acordo com a nota, ele desobedeceu todas as ordens. Após todas as tentativas, um sargento da PM se aproximou para tentar algemá-lo e imobilizá-lo.

No entanto, no momento da aproximação, o homem sacou uma faca pelas costas e para golpear o sargento.

Com isso, os outros policiais atiraram e desarmaram o agressor. Ele foi atendido pelos policias e encaminhado para a base do Exército Brasileiro em Forte Coimbra, mas não resistiu e faleceu no local.

Outros policiais fizeram a varredura no interior da residência em busca das vítimas (a mulher e três crianças). Ao avistarem a equipe expressaram gratidão pela presença da polícia, relatando que sofriam diversos tipos de agressões por parte de autor.

Foram encontrados na residência quatro cápsulas deflagradas de diferentes calibres, duas cápsulas de calibre 7.62, uma cápsula de calibre .22, um rádio comunicador modelo A-777S, um aparelho de celular marca Samsung, entre outros objetos.

O caso foi registrado como ameaça, sequestro e cárcere privado, resistência, desobediência, porte ilegal de arma de fogo de uso permitido, posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, lesão corporal dolosa, maus tratos, homicídio decorrente de intervenção policial e violência psicológica contra a mulher.

Depois de ser resgatada, a mulher passou por exames médicos e ficou internada durante a terde domingo, sendo liberada e ouvida na Delegacia. Depois, com ajuda das assistência social, ela e as crianças viajaram para Campo Grande, onde residem seus familiares.

Veja o vídeo do homem agredindo a mulher:

OUTROS CASOS

30 de novembro de 2023

Jean Carlos da Silva, de 31 anos, morreu em confronto com policiais militares do Batalhão de Choque (BPMChoque), em um apartamento localizado no Jardim Canguru, em Campo Grande.

Conforme apurado pela reportagem, o Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM) recebeu uma denúncia de violência doméstica via 190, na qual um homem, sob efeito de drogas, estava ameaçando a família com uma faca.

Equipes do BPMChoque se deslocaram para o local e encontraram uma senhora, identificada como mãe da vítima, que relatou aos policiais que sua filha estava correndo risco de vida. Neste momento, gritos de “eu vou te matar” foram escutados de dentro do apartamento.

De acordo com o boletim de ocorrência, os policiais arrombaram a porta e visualizaram o autor próximo a uma faca, completamente perturbado, como se estivesse sob efeito de algum estimulante.

Na casa, havia móveis quebrados, marcas de sangue, além de uma serra e uma faca usadas para ameaçar a esposa e filhos.

O indivíduo gritou que dali ninguém sairia vivo e que não voltaria para a prisão, tentando cortar a tela de proteção da janela dizendo que iria pular e se suicidar.

Nesse momento, uma das vítimas interveio para tentar evitar o possível suicídio do agressor e a equipe precisou conter as vítimas.

Em certo momento, o autor agrediu e começou a lutar com um dos policiais, conseguindo quebrar o coldre e tomar a arma do militar.

Com isso, os outros policias balearam, desarmaram e algemaram o criminoso. Ele foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Universitário, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no local.

2 de dezembro de 2023

Ângela Maria Bonifácio dos Santos, de 47 anos, foi assassinada a facadas pelo ex-namorado, Flávio Ferreira Rodrigues, de 38 anos, na frente de familiares em uma conveniência no município de Nova Alvorada do Sul.

Horas depois do feminicídio, Flávio acabou sendo morto por policiais.

Conforme informações da Polícia Civil, a vítima estava em um bar consumindo bebida alcoólica quando por volta de meia noite, Flávio chegou no local pedindo uma bebida. Logo após, ele começou a discutir com a vítima.

Durante o bate-boca, a proprietária do bar pediu para que Ângela fosse embora do local, receosa que algo pudesse acontecer com ela, mas a mulher recusou o convite e ficou no estabelecimento.

Neste momento, Flávio tirou uma faca da cintura e atingiu a vítima com quatro golpes. Assustada e pedindo socorro, Ângela correu para a rua, mas foi novamente golpeada. A vítima caiu no chão e acabou morrendo no local.

Equipes da Polícia Militar foram acionadas e realizaram rondas pela cidade em busca do autor. Durante as diligências, os policiais encontraram Flávio escondido em um quarto na rua Raimundo Alves da Silva.

Ao perceber o cerco policial, ele saiu do imóvel e partiu para cima dos militares com uma faca em mãos.

Durante a ação, os policiais pediram para Flávio soltar a faca, mas foram ignorados e na tentativa de se defenderem, atiraram contra o indivíduo.

Ele foi encaminhado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no local.

24 de janeiro de 2024

Lucas Cáceres Kempener, de 24 anos, foi morto por policiais civis do Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras), após espancar, atear fogo e matar a filha de sua ex-namorada.

A menina, de 11 anos, permaneceu 64 dias seguidos internada, de 8 de dezembro de 2023 a 10 de fevereiro de 2024, quando morreu em decorrência dos ferimentos.

Ela teve cortes de 20 centímetros na cabeça, traumatismo craniano e queimaduras de 3º e 4º grau. No hospital, precisou amputar braço, perna e dedos devido aos graves ferimentos.

Lucas desobedeceu a abordagem policial, sacou a arma e atirou contra os policiais, que revidaram, balearam e desarmaram o criminoso. Ele foi encaminhado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no local.

L.C.K era acusado de tentativa de homicídio contra as duas crianças; estupro e lesão corporal grave, além do incêndio doloso.

DESDOBRAMENTOS

Polícia prende William pela morte de Wesner com mangueira de ar comprimido

Condenados a 12 anos, indivíduo se apresentou ontem (27) na Depac Cepol ao lado do advogado e policiais continuam "na cola" de Thiago Giovanni

28/02/2024 11h57

Dupla foi considerada foragida há cerca de uma semana e policiais agora seguem "na cola" de Thiago Marcelo Victor/ Correio do Estado

Continue Lendo...

Condenado pela morte de Wesner Moreira da Silva, de 17 anos - morto após uma ter uma mangueira de ar introduzida no ânus, em 3 de fevereiro de 2017 -, William Enrique Larrea se apresentou ao lado de advogado nesta terça-feira (28) e já foi conduzido ao sistema prisional. 

William Enrique Larrea, de 37 anos, há uma semana era considerado foragido e se apresentou na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Centro Integrado de Polícia Especializada (Cepol).  

Ainda conforme a polícia, o indivíduo preso nessa terça-feira (27) permaneceu num primeiro momento na Depac/Cepol, sendo transferido na manhã desta quarta (28) para o Centro de Triagem do Sistema Prisional. 

Condenado ao lado de Thiago Giovanni Demarco Sena, de 27 anos, que é considerado foragido, a polícia também indica que segue "na cola" do segundo envolvido, com expectativa de que a prisão aconteça "nos próximos dias". 

Condenados

Há oito dias, Thiago Giovanni e William Enrique foram considerados foragidos por não se entregarem às autoridades até a data de 20 de fevereiro. Acusados de matar Wesner, a condenação de 12 anos de prisão saiu do júri popular realizado ainda em 30 de março de 2023. 

Ambos recorreram dessa decisão judicial e passaram todo esse tempo respondendo ao processo em liberdade. Tanto Thiago quanto William prestaram depoimento alguns dias após a morte de Wesner, sendo liberados em seguida. 

Esse caso aconteceu há sete anos, todos os três trabalhavam em um lava-jato, local que foi palco do crime cometido em 03 de fevereiro de 2017. Na ocasião, a vítima teria pedido que William, dono do empreendimento, comprasse uma coca-cola para que consumissem juntos. 

“De novo? Agora toda hora Coca-Cola!”, respondeu o patrão, apanhando um pano usado para limpar carros com o qual passou a bater na vítima "também de maneira lúdica [atitude de entretenimento]", como consta na denúncia movida pela 18ª Promotoria de Justiça da Capital. 

O que aconteceu em seguida, segundo a denúncia, foi uma tentativa de parar com a brincadeira, com a vítima correndo para se distanciar, sendo perseguido e imobilizado por William, que segurou Wesner pelos braços e tórax para que não escapasse. 

"Assim, logo após, o denunciado William carregou a vítima, ainda imobilizada, até o local em que se encontrava o denunciado Thiago... provam os Autos Inquisitoriais que o denunciado THIAGO, em conluio e unidade de desígnios com o denunciado WILLIAm - que ainda imobilizava a vítima -, muniu-se de uma mangueira de ar, utilizada para a limpeza de veículos no LAVA A JATO, retirou a bermuda e cueca da vítima e ligou o compressor de ar que alimentava a mangueira e introduziu-a no ânus daquela, que imediatamente passou mal e vomitou", acrescenta a denúncia. 

Crime

Ainda que descrito pelos condenados como uma "brincadeira", as consequências foram fatais para Wesner Moreira da Silva, que morreu aos 17 anos.

Após ter a mangueira introduzida no ânus em 03 de fevereiro, Wesner foi levado inicialmente para um hospital, na região do bairro Tiradentes. Ele alegava dores na barriga, além de quadros de vômito e também inchaço na região do abdômen. 

Wesner Moreira da Silva foi posteriormente levado até o Hospital Santa Casa de Campo Grande, permanecendo internado por cerca de 11 dias. Sua morte foi registrada em 14 de janeiro de 2017. 

 

Assine o Correio do Estado

EM DOIS MESES

PRF encontra 201 kg de cocaína em Terenos e apreensões federais já passam de 1 tonelada

Droga encontrada na BR-262 foi carregada em caminhão acoplado a dois reboques em Corumbá e iria até Minas Gerais

27/02/2024 11h29

Bastou uma busca minuciosa no veículo para que os policiais encontrassem um compartimento secreto, localizado na cabine do caminhão Reprodução/PRF

Continue Lendo...

Na BR-262 em Terenos, no fim da tarde desta segunda-feira (26), Policiais Rodoviários Federais (PRF) apreenderam 201 kg de pasta base de cocaína e, com isso, em menos de dois meses as forças policiais federais já ultrapassaram uma tonelada de apreensões da droga. 

Durante a fiscalização, conforme a PRF, um caminhão acoplado a dois reboques foi abordado e seu motorista se mostrava bastante nervoso, sem conseguir informar qualquer detalhe da viagem. 

A partir disso, bastou uma busca minuciosa no veículo para que os policiais encontrassem um compartimento secreto, localizado na cabine do caminhão. 

Dali, saíram vários tabletes que totalizaram 201 kg de cocaína. Em apuração, os policiais descobriram que a substância foi carregada na Cidade Branca de Corumbá, sendo que o carregamento tinha como destino o interior de Minas Gerais. 

Apreensões de 2024

Ainda que a primeira ação de apreensão a chamar atenção em 2024 tenha sido os 62 kg de cocaína encontrados em uma ambulância, em 09 de janeiro, na BR-262, outras duas apreensões realizadas nessa primeira semana de 2024 já somavam 76 kg, totalizando 138 kg só nos primeiros 10 dias do ano. 

Já em 19 de janeiro, a PRF localizou e apreendeu mais 238 kg de cocaína, em Rio Verde de Mato Grosso, no interior do Estado, considerada a primeira grande apreensão de 2024, superada cerca de 11 dias depois. 

Em 30 de janeiro, no município de Ivinhema, a fiscalização da PRF na BR-376 encontrou 242 kg de cocaína em um caminhão Volvo/FH12. Nessa ocasião o motorista fazia zigue-zague pela pista e, por isso, foi abordado. 

Já em 02 de fevereiro, outros 107 kg da droga foram encontrados em um caminhão carregado de eucalipto. O curioso desse caso é que, após os policiais pararem o caminhão, enquanto retiravam os estepes por estranharem o peso das rodas, o motorista fugiu e não foi mais localizado. 

Em seu lugar, a mulher que viajava com ele, vinda de Chapadão do Sul com destino à Minas Gerais, foi presa em flagrante após a localização das substâncias. 

Na sequência de casos inusitados, uma caminhonete transportada em um caminhão cegonha com destino para São Paulo carregava 126 kg de cocaína nas rodas, localizada por um cão farejador da Polícia Rodoviária Federal em 10 de fevereiro. 

Antes disso, em 08 de fevereiro, equipes da PRF localizaram mais 82 kg dessa mesma substância transportada em uma S/10 pela BR-463. Os policiais só conseguiram fazer a apreensão após alcançarem o motorista de 23 anos, que não obedeceu à parada e empreendeu fuga. 

Ainda, no intervalo de cinco dias, entre 14 e 19 de fevereiro, a PRF em Corumbá apreendeu mais 33,2 kg de cocaína em três ocasiões diferentes. 

Já na última semana, uma perseguição iniciada em Brasilândia e encerrada em São Paulo resultou na apreensão de 234 kg de cocaína. Nesse caso, um comboio de três veículos iniciou fuga na divisão com o Estado paulista.

Para além das apreensões da PRF, até mesmo o Exército Brasileiro conseguiu uma grande apreensão de cocaína na fronteira da Bolívia. Na chamada parte alta de Corumbá, 163 kg foram encontrados pela 18ª brigada de Infantaria de Pantanal, em 19 de fevereiro. 

Também a Polícia Federal mostrou bons resultados de apreensões em Mato Grosso do Sul neste 2024 até então, sendo a primeira em 11 de janeiro, em Corumbá, encontrando 9,5 kg da droga em fiscalização nas rodovias. 

Depois disso, a PF em MS localizou mais 50 kg de pasta base de cocaína em Ponta Porã, em 20 de janeiro; 3,6 kg da droga em Campo Grande, com uma mulher que embarcava no aeroporto com destino à São Luiz (MA), além de outros 20 kg em Ponta Porã, na BR-463, antes mesmo do fim de janeiro. 

Ainda assim, a maior apreensão dessa força policial em Mato Grosso do Sul aconteceu na última semana, quando a Polícia Federal localizou em Bataguassu quase meia tonelada de cloridrato de cocaína, que tinha como destino o porto do Santos (SP), o que indica que essa substância deixaria o País rumo ao exterior. 

 

Assine o Correio do Estado

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).