Correio B

Diálogo

Confira a coluna Diálogo na íntegra, desta segunda-feira, 24 de junho de 2024

Por Ester Figueiredo ([email protected])

Continue lendo...

 

Martha Medeiros escritora brasileira
Solidão não se cura com o amor dos outros. Se cura com amor-próprio”.

FELPUDA


Conversas olhos nos olhos estariam ocorrendo em reuniões para poucos, segundo os bastidores, em que algumas lideranças partidárias estariam discutindo o presente e o futuro não muito distante, ou seja, 2026. No centro da mesa das conversações, o tabuleiro de xadrez político da sucessão à Prefeitura de Campo Grande e, do lado, uma bola de cristal. A maioria dos participantes, olhando para a esfera colorida, estaria mostrando certa preocupação com o que consegue ver no que se relaciona ao desempenho de certa candidatura. Vixe!

Números


Dados do Ministério do Turismo, da Embratur e da Polícia Federal mostram que o Brasil recebeu 3.264.765 de turistas de outros países, o que representa aumento de 8,6% no acumulado dos cinco primeiros meses, em comparação com a mesma época de 2023, quando o registro foi de 3.005.505.

Mais


Este é o terceiro melhor desempenho da série histórica, iniciada em 1995, ficando atrás apenas de 2017, com 3,3 milhões.  Um dos principais destaques foi a chegada de visitantes chilenos, que tiveram salto de 46,3% neste período.

Jucimara Palieraqui e Solange Gimenez

 

 Rafaela Furlanetto
 

Sete


O número de adiamentos do julgamento no Superior Tribunal de Justiça para tornar réu ou não o conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado Ronaldo Chadid é igual ao de integrantes daquele órgão: sete. Até comparecimento em missa de sétimo dia levou à mudança da data dos trabalhos dos magistrados. Com isso, a comissão criada na Assembleia Legislativa de MS para fazer o acompanhamento dos processos daquele e de outros dois conselheiros defenestrados temporariamente desuas cadeiras de malfeitos bateu às portas da Corregedoria do STJ.

Insegurança


A Assembleia Legislativa de MS é responsável por julgar as contas do TCE e vice-versa. A comissão encarregada de acompanhar a tramitação dos processos contra os conselheiros afirma em sua reclamação ao STJ que está havendo insegurança jurídica, pois os afastados estão sendo substituídos por auditores fiscais que, obviamente, não são conselheiros designados originariamente para a função. 

Composição


É óbvio, porém, que deputados estão de olho principalmente na cadeira ocupada por um dos conselheiros, que, na composição daquele órgão, é de indicação da Assembleia Legislativa de MS. As outras duas são para o Ministério Público de Contas e Auditoria. O quadro atual é composto por três integrantes 
da “cota” do Legislativo, e o quarto, de livre indicação do governador da época, conforme prevê a lei.

Aniversariantes


Renatha Camargo,
Luciana do Amaral Rabelo, 
Jane Serrou Camy Mandetta, 
Juliana de Oliveira Ayala, 
Cecília de Oliveira Bernardo,
João Romero de Lima,
Joana Ubalda Pereira de Sant’Ana,
Eneida Peixoto de Azevedo,
João Batista Bandeira Almeida,
Joana Paes de Almeida,
Joanita Rodrigues da Rosa,
Maria José Santos Fernandes,
Emanuel Ubirajara da Rocha Porfírio,
Nelson Fernando Dauer Júnior,
Roberto Shigueo Bando,
Hélio de Lima,
João Antônio de Marco,
João José Jallad,
Beatriz Barros Marinho,
Dr. Abadio Rezende,
Francieli Mascolli Benante Montalvão,
Marilene Moraes Coimbra, 
João Massatoshi Kawaguchi,
Dr. João Roberto de Lima,
Júlio Sacco,
Valterlina Pereira da Silva,
Wellington João Santiago Ramos,
Dr. Marcos Vinicius Vieira de Lima,
Dra. Auristela Machado Vidal,
Joana D’Arc Migliorini,
Dênis Renato Damaceno Lima,
João Batista de Cardoso,
Ângela Maria Costa,
João Lemes de Souza,
Túlio Alves Filho,
Sandra Elena Inocêncio,
Iracy Menezes Lourenço,
Sônia Aparecida Pereira,
José Roberto Tecchio,
Sandra Barberato Lobo,
Fábio Jun Capucho,
Vanessa Menezes Amorim,
Mário Gonda, 
Daniel Ramalheira, 
Gilberto Congro Bastos Filho, 
Alberto Duque Portugal,
Antonio Batista Sancevero,
Ana Lúcia Gomes dos Santos,
Fernando Silva Rocha,
Vicência Bezerra de Souza,
Elenir Rodrigues Pereira,
Fernando de Matos Wanderley Neto,
Thiago Luiz Morente,
Joana Aparecida Stiegler,
Jonia Salgado Schultze,
Aparecida Moura Queiroz,
Gilberto Hidetoshi Ianas,
Joana Lugo de Cáceres,
Bruna Viveiros Barros,
Juliana Gava Boin,
Dorotéa de Araujo Rodrigues,
João Pedro Gay, 
João Batista Dauria,
Hudson Garcia Moreira,
João Gonçalves, 
José Luiz Higa da Silva,
Luiz Batista Sguissardi da Rosa,
Elvira Pinto de Araújo Alarcon,
Dalva Ferreira Leite,
Maria Cristina Borges de Lara Campos,
Deyse Cristina da Silva Dias,
João Paulo Coimbra Neto,
Dulcelina Pereira Nantes,
Renan Fonseca,
Eliene Marta Breguedo 
do Nascimento,
Elisabeth Maria de Mendonça Silva,
João Batista Trindade Rodrigues,
Glauce Marla Arakaki,
Anaide da Silva Figueiredo,
Lhays Raquel Martins Regis,
André Luiz Fernandez de Moraes,
Fabiano Goes Nagata,
João Batista Ramos de Morais,
João Okogusiku,
Valéria Siqueira Jacini,
João Carlos Diaz Rodrigues,
Wilson João Bittencourt Bellincanta,
Jorge Luiz Godoy Gabinio,
Paulo Domingos Ribeiro Junior,
João Batista Pereira Lopes,
Paulo Douglas Almeida Moraes,
Armando Albuquerque,
Edilson de Alvarenga,
João Antonio Gusso,
Otávio Nascimento Prestes,
Elisângela de Paula Videgoi,
Scheilla Gauze,
Dilmara Monteiro Ferreira,
Ariadne Nobre de Oliveira Silva,
Rosely Debesa da Silva, 
Alessandra Paulino Matheus,
Joana Ramos da Silva Cruz,
Maria de Fátima da Silva Gomes,
Luiza Conci,
Rodrigo Santana,
João Magno Nogueira Porto,
Volnei Leandro Kottwitz.

 

Colaborou Tatyane Gameiro

Assine o Correio do Estado
 

Correio B+

Comportamento B+: Abandono afetivo: como a lei estabelece que o direito a proteção seja cumprido

Advogado especialista em Direito de Família esclarece as principais dúvidas sobre abandono afetivo e a importância do Estatuto da Criança e do Adolescente para a garantia do direito na assistência afetiva dos jovens

13/07/2024 19h00

Abandono afetivo: como a lei estabelece que o direito a proteção seja cumprido

Abandono afetivo: como a lei estabelece que o direito a proteção seja cumprido Foto: Divulgação

Continue Lendo...

O abandono afetivo é quando ocorre uma negligência emocional ou psicológica de uma pessoa em relação à outra, sendo muito comum entre pais e filhos. Nesses casos, pode gerar em traumas psicológicos aos filhos, além de diversos problemas enfrentados no dia a dia por milhões de mães e pais solos no Brasil.

Para garantir o direito a uma paternidade ou maternidade digna aos jovens, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) foi alterado através do Projeto de Lei 700/2007, caracterizando o abandono afetivo como ilícito civil e penal, conforme explica o Dr. Daniel Oliveira, especialista em Direito de Família.

“A relação familiar deveria ser de forma natural e não imposta. Porém, como muitos responsáveis não encaram dessa maneira, é necessário que a legislação tome algumas medidas, como as estabelecidas no ECA, a fim de incentivar, ainda que sob o julgo de leis e determinações judiciárias, o exercício dos direitos da criança e adolescente”, pontua o advogado.

1. O que é o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)?

O Estatuto da Criança e do Adolescente foca principalmente na proteção integral dos direitos das crianças e dos adolescentes, incluindo direitos à convivência familiar saudável, à educação, à saúde, entre outros aspectos fundamentais para o desenvolvimento.

2. Como caracterizar um caso de abandono afetivo?

Provar a relação parental: mostrar a relação de parentesco entre o genitor e o filho. Demonstrar o abandono: apresentar evidências que confirmem o descumprimento das obrigações emocionais e de cuidado. Comprovar danos: apresentar provas dos danos emocionais sofridos pela criança ou adolescente devido ao abandono.

3. A pensão alimentícia já não garante os direitos dos filhos?

A pensão alimentícia não esgota os deveres dos pais em relação a seus filhos. Os cuidados devidos às crianças e adolescentes compreendem atenção, presença e orientação. Reduzir a atenção apenas à assistência financeira é fazer uma leitura muito superficial da legislação e um prejuízo muito grande para os filhos.

4. Após o divórcio e a fixação de visita, pais que deixam de visitar os filhos podem ser penalizados pela justiça?

Sim. A visitação não é apenas um direito dos pais, mas um dever a ser cumprido com os filhos, cujo descumprimento consiste em infração administrativa.

No Brasil, só em 2023, foram registradas mais de 172,2 mil crianças sem nome do pai, segundo dados do Portal da Transparência do Registro Civil. A maior proporção de pais ausentes foi registrada no Norte do país: 10% do total, ou 29.323 deles, seguida do Nordeste, com 8% de pais ausentes do total de nascimentos, ou 52.352. “É dever dos pais ou responsáveis assegurar esses direitos e quando há negligência afetiva grave por parte dos pais ou responsáveis”, finaliza o advogado.

Correio B+

Destaque B+: Mila Carmo, de Família é Tudo, celebra carreira e cita suas referências

Ela contou que é uma admiradora do trabalho da Cassia Kiss e Marília Pera

13/07/2024 17h00

Mila Carmo, de Família é Tudo, celebra carreira e cita suas referências

Mila Carmo, de Família é Tudo, celebra carreira e cita suas referências Foto: Divulgação

Continue Lendo...

A atriz Mila Carmo, que ganhou destaque em "Sétimo Guardião" e "Salve-se Quem Puder", agora brilha em "Família é Tudo", novela exibida às 19h na TV Globo. Em entrevista recente, ela compartilha sua trajetória, inspirações e sonhos no universo da atuação.

Mila avalia sua carreira como estando em uma fase muito bonita, onde as coisas estão começando a acontecer. "Sei que ainda tenho muita estrada pela frente, mas já consigo olhar pra trás e sentir orgulho da minha trajetória e das coisas que eu estou construindo. Me sinto abençoada por ter a chance de aprender e mostrar um pouco do meu trabalho. Esse é o grande desafio da vida do ator, se sentir inexperiente, mas não ter a oportunidade de ganhar experiência exercendo, porque a gente sabe que é fazendo que se aprende. A Chantal pra mim é um presente, tenho fé de que ela ainda vai me abrir muitas portas profissionais."

Quanto às suas principais referências de atuação, Mila revela sua admiração pelas veteranas Marília Pêra e Cássia Kiss. "Atrizes impecáveis, que fazem a arte de atuar parecer algo fácil e dominam com maestria. Mas também acho que estamos diante de uma nova geração bastante potente, temos ótimas referências atuais como Marjorie Estiano, Alice Carvalho, Letícia Colin… A verdade é que estamos em ótimas mãos. São mulheres que me inspiram bastante!"

Sobre interpretar vilãs, Mila admite que sempre achou as antagonistas mais interessantes do que as próprias protagonistas. "São personagens ricas, cheias de camadas e motivações internas. Vou amar viver essa experiência."

Em relação aos remakes, Mila acredita que a novela brasileira faz parte da história do brasileiro. "Temos novelas incríveis que marcaram e ainda estão bastante vivas na memória do nosso povo. Remontar essas histórias e dar a oportunidade pra essa nova geração também se apaixonar por essas obras de arte é um privilégio. Adoraria fazer parte disso um dia. A viúva Porcina é um personagem delicioso, que eu adoraria fazer, mas quem em sã consciência iria ter coragem de interpretá-la depois de Regina Duarte? (Risos) Personagens assim ainda estão bastante vivos no nosso imaginário, a comparação é inevitável!"

Mila Carmo demonstra não apenas talento, mas também uma visão clara de sua carreira e um profundo respeito por suas referências e o legado da televisão brasileira. Sua trajetória promete muitas realizações e personagens inesquecíveis.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).