Clique aqui e veja as últimas notícias!

EM PAZ COM A NATUREZA

Conheça os lugares de Campo Grande para ficar em contato com a natureza

Mesmo com o desenvolvimento, Campo Grande ainda tem redutos de tranquilidade e de belezas naturais
01/01/2021 14:00 - Naiane Mesquita


Campo Grande, de terra vermelha e pôr do sol deslumbrante, é local onde há um ode à natureza, um dos pontos mais encantadores do município.  

Capital de Mato Grosso do Sul, Estado que guarda belezas turísticas suficientes para impressionar qualquer um, Campo Grande também tem seus atrativos na redondeza. 

Basta olhar um pouco o céu no fim da tarde para observar um casal de araras, quem sabe até um tucano ou vários periquitos na árvore frutífera mais próxima.  

O Correio do Estado elencou alguns atrativos turísticos que podem contribuir para que os moradores de Campo Grande se apaixonem ainda mais pela Cidade Morena.  

O primeiro ponto de partida é um dos mais conhecidos na Capital, mas constantemente redescoberto, o Vale do Inferninho, saída para Rochedo, distante 5 km de Campo Grande, a partir da sede do Detran-MS.  

Acompanhe as últimas notícias

De acordo com uma das proprietárias do Trilha Extrema, operadora de turismo de aventura, Mellanie Freire, a região é perfeita para quem deseja entrar em contato com a natureza, mas sem precisar se ausentar muito de casa. 

“Hoje, por exemplo, nós temos uma trilha no Vale do Inferninho. Esse local se chama Inferninho por causa do rio que leva o mesmo nome e percorre todo o vale, que é onde nós realizamos as trilhas”, explica Mellanie.  

A trilha tem 5 km de percurso, com cascatas e uma cachoeira de 30 metros no caminho.  

“Além de trilha, nós temos o rapel também, que é feito na Cachoeira do Inferninho, com 30 metros de altura”, explica. 

 
 

Ceroula  

Outro ponto que ficou conhecido em Campo Grande é a Trilha da Usina Abandona do Córrego Ceroula. “Ela fica na região da APA do Ceroula. 

É um pouquinho antes do Inferninho, na saída para Rochedo, distante cerca de 3 km, a partir do Detran.

É a mesma região, só que essa comporta o Córrego Ceroula, que é um dos afluentes do Rio Aquidauana. 

Já o Inferninho, que é mais para frente, desagua alguns quilômetros mais tarde, também no Ceroula”, frisa.  

A trilha da Usina Abandona guarda, além das belezas naturais, um pouco da história de Campo Grande. 

As terras, segundo Mellanie, já pertenceram à família de Vespasiano Martins, intendente e prefeito de Campo Grande por três mandatos, além de governador e senador no Mato Grosso do Sul.  

“A trilha da usina é histórica, ela conta um pouco da trajetória do político Vespasiano Martins, por exemplo, de quem foi as terras no início. 

As ruínas da Usina também são parte da trajetória de Campo Grande e foram construídas na década de 1920”, reforça.  

 
 

Morro do Ernesto

Na lista de queridinhos de Campo Grande ainda está o Morro do Ernesto. 

Localizado na fazenda, Córrego Limpo, propriedade privada na região do Inferninho, o local é um dos morros para se aventurar na Cidade, com direito a trilha e vista do pôr do sol lá no alto. 

Para completar a aventura, quem quiser ainda pode saltar de parapente.

O morro fica a 20 km de Campo Grande e para chegar basta optar pela saída de Rochedo, em sentido à MS-080. 

Logo na entrada, na estrada de chão, o turista encontrará placa indicativa que o levará até a sede da fazenda.

O local é aberto à visitação mediante pagamento de uma pequena taxa. 

O trajeto é de 8km passando por uma cachoeira de quatro metros e duas corredeiras. O trajeto pode ser feito a pé ou bicicleta e o diferencial é a permissão para animais de estimação participarem do passeio.

 
 

Sítio Harmonia  

Quem sente falta da tranquilidade da fazenda pode optar por um café da manhã no Sítio Harmonia. 

O local funciona aos feriados – mas hoje está com todas as vagas ocupadas –, aos sábados, com grupo fechado de 35 pessoas, e domingo, apenas com reservas.  

Antigamente, o local recebia 120 pessoas, mas agora, por causa da pandemia, aceita 75 visitantes. 

No sítio há o famoso quebra-torto pantaneiro, com arroz de carreteiro e ovo frito; sopa paraguaia; chipa; pão caseiro; geleias de morango e goiaba; doces; queijos; e leite fresco. 

O horário de atendimento é das 8h às 12h, sendo o café regional servido das 8h30min às 10h30min.

 
 

Interior

Trilha da Conquista - Sidrolândia

Distante 40 km de Campo Grande, o trajeto é de 4,5 km em meio à mata nativa onde existem duas nascentes. O passeio passa por uma cachoeira de dois metros e termina com duas corredeiras.

A trilha é na fazenda Conquista. No trajeto, há três cachoeiras, uma nascente e um mirante onde é possível ter uma vista ampliada do lugar.

Além da trilha, o turismo tem opções como rapel, rafting, escalada e cavalgada.

Trilha da Pintura Rupestre - Rio Negro

Temporariamente desativada, possui cerca de 10 quilômetros incluindo ida e volta e abriga um sítio arqueológico. 

Situada em propriedade privada, oferece opção de rapel na cachoeira Rio do Peixe.

Trilha do Córrego Rico - Rio Negro

Com caminhada sobre pedras, apresenta nível de dificuldade médio por exigir equilíbrio. Também exige conhecimento prévio do local devido ao risco de enchente repentina. 

Mas tomados os devidos cuidados, recompensa os visitantes com duas cachoeiras sobrepostas e um pequeno cânion de um quilômetro.

Trilha do Los Pagos - São Gabriel do Oeste

Com uma cachoeira de 70 metros em propriedade particular, tem fácil acesso e é um dos pontos turísticos mais visitados do município.

Piraputanga

Caminho das Antas - Trilha contemplativa sobre um dos morros da Serra de Maracaju.

Trilha dos Mirantes  – Situada em uma propriedade rural chamada Chácara dos Mirantes, possui sítio arqueológico e trilha com acesso a quatro mirantes, além de outras trilhas secundárias.

Morro do Paxixi – Com acesso pela Estrada Parque de Piraputanga, a trilha leva a vários mirantes e em sua maior parte oferece opção de acesso com motocicleta.