Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ORÇAMENTO 2021

Maioria das 242 emendas indicadas a LDO para 2021 são socioculturais

Resultado surpreendeu, já que todos os anos a maioria das emendas são para infraestrutura
19/05/2020 12:00 - Bruna Aquino


Diferente dos anos anteriores em que a maioria das emendas indicadas na Lei de Diretrizes Orçamentárias de Campo Grande (LDO) são destinadas à infraestrutura tanto urbana quanto rural, esse ano as emendas surpreenderam em outro setor. Isso porque 27% das 242 apresentadas foram para o setor sociocultural. 

Segundo parcial analisada pela equipe técnica e jurídica da Câmara Municipal, a infraestrutura ficou em segundo lugar em ranking com 24% das emendas. Para a educação e informação restaram 13% das emendas até agora, 12% para a saúde e 7% para o desenvolvimento econômico. 

De acordo com o relator do projeto, Eduardo Romero (Rede), as emendas ainda não estão totalmente aptas. “Ainda não estamos dizendo que as emendas estão aptas para compor o relatório, muitas delas vão ser agrupadas por ser similares a outras, e algumas também não possa compor por natureza de instrumento legal, mas é alegar que essa Casa tem neste momento de pandemia compreendido os rumos e os desafios do orçamento público para 2020”, disse. 

A LDO é usada para estabelecer metas da administração pública e como base para elaborar o orçamento, que é definido por meio da Lei Orçamentária Anual (LOA). 

O valor estimado para o ano que vem, tem um leve crescimento de 0,7% comparado a receita deste ano, mas os números são o reflexo da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. 

O montante consolidado do orçamento será encaminhado em outro projeto de lei do Executivo, baseado nessas diretrizes definidas, o qual deve chegar à Casa de Leis até 30 de setembro, mesmo prazo para envio de revisão do Plano Plurianual (PPA) caso haja necessidade. 

 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.