Esportes

Depoimento

Convite a Lucas Paquetá é aprovado pela CPI das Apostas

Meia é investigado na Inglaterra por manipulação de jogos; por se tratar de convite, meia não é obrigado a comparecer

Continue lendo...

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Manipulação de Jogos e Apostas Esportivas aprovou nesta terça-feira (18) o convite ao meia Lucas Paquetá, do West Ham, para prestar depoimento sobre as acusações feitas pela Federação Inglesa contra o brasileiro.

Dois senadores fizeram requerimento para que Paquetá seja convidado: Jorge Kajuru e Eduardo Girão.

Por se tratar de convite, Paquetá tem o direito de negar. Mas as regras da CPI permitem que depois venha uma convocação, e persistindo a negativa, até condução coercitiva para depoimento.

Não há data prevista ainda para a formalização do convite ao jogador.
Paquetá neste momento está com a seleção brasileira, que se prepara para a Copa América nos Estados Unidos.

A JUSTIFICATIVA

No requerimento assinado por Kajuru, que preside a CPI, ele pontua que "se há evidências de uma relação direta entre apostadores brasileiros e o jogador, suspeita-se de que eventuais intermediários possam estar atuando também em partidas de futebol do Brasil, o que torna ainda mais importante o testemunho de Paquetá".

Paquetá é acusado pela Federação Inglesa de tomar cartões amarelos propositalmente em quatro partidas da Premier League para manipular o mercado de apostas. O jogador nega, mas foi formalmente acusado, após um período de investigação.


*Informações da Folhapress

BRASILEIRO SÉRIE D

Costa Rica conquista classificação para a 2ª fase da quarta divisão

O CREC se torna o primeiro clube do Mato Grosso do Sul a avançar da fase de grupos pela segunda vez na Série D

21/07/2024 16h30

O representante do futebol sul-mato-grossense terminou a 1ª fase na quarta colocação do seu grupo, seguindo na disputa da quarta divisão

O representante do futebol sul-mato-grossense terminou a 1ª fase na quarta colocação do seu grupo, seguindo na disputa da quarta divisão Foto: Gustavo Costa - Costa Rica EC

Continue Lendo...

Jogando diante do seu torcedor no estádio Laertão, o Costa Rica Esporte Clube garantiu a classificação para a segunda fase do Brasileiro Série D após empate contra o São José (SP) na última rodada da fase de grupos. 

A Cobra do Norte avançou com a quarta melhor campanha do grupo 7, com 21 pontos conquistados em 14 rodadas. Estando no considerado "grupo da morte" o representante do Estado enfrentou pelo caminho equipes do interior paulista, Minas Gerais e do Paraná.

Com a conquista da classificação, o Costa Rica se tornou o primeiro clube do Mato Grosso do Sul que avançou para a 2ª fase da competição em duas edições (2022-2024).

A classificação do CREC foi decidida na última rodada do grupo, mesmo podendo depender de sí mesmo para chegar na segunda fase, caso conseguisse uma vitória contra o São José, o Costa Rica ficou no empate sem gols (0x0) jogando em casa. O resultado foi o suficiente para a Cobra do Norte se manter na zona da classificação devido a derrota de 1 a 0 do 5º colocado Santo André, que necessitava vencer o líder do grupo, o Maringá (PR).

Nos 14 jogos disputados pelo Costa Rica na primeira fase, o CREC venceu seis jogos, empatou 3 e perdeu cinco partidas. 

A campanha também foi marcada pela troca de treinadores, pelo caminho, três técnicos comandaram o representante do Estado na 1ª fase. Apesar de iniciar a campanha sem vencer e marcar gols nas três primeiras rodadas, a saída do treinador Gian Rodrigues e chegada do Alan George colocou o Costa Rica no caminho das vitórias.

Com o Alan George a equipe venceu a maioria das partidas, sendo duas delas contra o Água Santa, 2 a 0 em Diadema (SP) e 2 a 1 no município de Costa Rica.

No auge da campanha, após uma vitória de 3 a 0 na Patrocinense (MG) que deixou o CREC na 3ª colocação do grupo, o técnico Alan George comunicou a diretoria do Costa Rica que deixaria o cargo, alegando problemas familiares.

Pensando em manter os bons resultados, o Costa Rica chamou de volta para uma segunda passagem no clube, o treinador Rogério Henrique. A escolha vem dado certo, já que o elenco manteve o bom desempenho vencendo dois jogos importantes nas últimas quatro rodadas.

Nesta longa caminhada o Costa Rica marcou e 16 gols e sofreu 17, o artilheiro da equipe na Série D é o meia Roberto Baggio com três gols, junto com os atacantes Joelson e Lopeu que têm dois gols cada.

PRÓXIMOS PASSOS

O adversário do Costa Rica na segunda fase da Série D será o primeiro colocado do grupo 8, o Cianorte, o time do Estado do Paraná terá a vantagem de decidir a classificação no seu mando de campo. O primeiro confronto acontece em Mato Grosso do Sul no próximo final de semana.

Na primeira fase, os 64 clubes foram divididos em oito grupos de oito participantes. Em cada uma das chaves, os quatro primeiros se classificaram para a segunda fase do torneio, que vai reunir 32 clubes. Depois, os 16 que avançarem vão para as oitavas de final.

A partir das quartas de final é disputado os jogos do acesso, quando os quatro clubes classificados desta fase vão para as semifinais e se garantem na Série C do Brasileiro de 2025. Depois das semifinais, as finais decidem o campeão do campeonato.

SAIBA

Em 2022 o Costa Rica disputou pela 1ª vez o Brasileiro Série D, conseguindo chegar na 2ª fase na 3ª colocação no grupo 5, que foi disputado contra equipes do centro-oeste do país.

Na 2ª fase o CREC foi eliminado na época pelo Bahia de Feira, empatando em 0 a 0 no primeiro confronto, e perdendo de 2 a 1 na partida de volta. 

F1

Norris tira o pé e entrega vitória para Piastri no GP da Hungria de Fórmula 1

Está é a primeira vitória do australiano em um grande prêmio da F1

21/07/2024 14h30

Oscar Piastri venceu GP da Hungria da F1 em 2024

Oscar Piastri venceu GP da Hungria da F1 em 2024 Foto: Peter Fox - Formula 1/Formula 1 via Getty Images

Continue Lendo...

Oscar Piastri obteve sua primeira vitória na F-1 neste domingo no GP da Hungria. O triunfo só veio após uma ordem da McLaren para que seu companheiro de equipe, Lando Norris, permitisse a ultrapassagem no final da prova em Budapeste. Lewis Hamilton foi o terceiro colocado após a dobradinha da McLaren.

A confusão aconteceu na segunda rodada de pit stop. A McLaren deu a Norris, que estava na segunda posição, a primeira parada, invertendo o que acontece normalmente, que é o líder receber tratamento preferencial. Piastri era o primeiro e foi informado que a estratégia foi adotada para proteger Norris de Hamilton que estava em terceiro lugar e que a situação seria "administrada".

A solução final só aconteceu no final da corrida, quando Norris tirou o pé do acelerador e deixou o companheiro ultrapassá-lo para conquistar a primeira vitória. Piastri já havia conquistado uma vitória em uma corrida sprint.

Líder da temporada, o tricampeão Max Verstappen foi bastante agressivo na largada. Saindo da terceira colocação, ele conseguiu emparelhar com Norris e Piastri, que largaram na primeira fila, na primeira curva.

Sem espaço para dois McLaren e um Red Bull, Verstapenn, que estava por fora, saiu da pista e no retorno ultrapassou Norris e ficou atrás de Piastri. Norris largou na pole, mas foi mal. Ficou preocupado com o companheiro de McLaren e abriu espaço na reta para o avanço de Verstappen. A direção de prova determinou que o piloto da Red Bull devolvesse a posição para Norris.

O primeiro entre os líderes da prova a parar no boxes foi Lewis Hamilton, que estava na quarta posição e parou na 17ª das 70 voltas. Norris trocou os pneus uma volta depois de Lewis e Piastri duas voltas. Verstappen ficou mais tempo na pista e só parou na 22ª.

Verstappen voltou atrás de Hamilton após a primeira parada nos boxes. O tricampeão foi tirando a vantagem paulatinamente e teve a chance e ultrapassar o piloto da Mercedes na 36ª volta. Após uma tentativa frustrada no final da reta de largada, Verstappen conseguiu a ultrapassagem, mas errou e saiu da pista. Hamilton retomou a terceira posição.

Na 41ª volta, Hamilton foi aos boxes pela segunda vez. Atrás dele, seguiu Charles Leclerc, da Ferrari, que estava em quinto, depois de Verstappen. Após a segunda rodada de parada nos boxes, houve mudança de posições na pista.

Norris assumiu a liderança, com Piastri em segundo, seguido por Hamilton, Leclerc e Verstappen. A McLaren deu a Norris o primeiro pit stop para protegê-lo de Hamilton, que vinha na terceira colocação.

Depois que voltou à pista na segunda posição, Piastri recebeu a mensagem da McLaren disse que assim que ele chegasse em Norris, haveria a troca de posições, mas a escuderia queria evitar que Norris perdesse muito tempo.

A 15 voltas do final, Verstappen se aproximou de Leclerc para poder acionar a asa móvel e tentar tomar o quarto lugar. A ultrapassagem aconteceu na 57ª volta. O próximo alvo de Verstappen foi Hamilton, que defendeu a posição com sucesso na 62ª volta. No giro seguinte, Hamilton e Verstappen se tocaram. O piloto da Red Bull saiu da pista, conseguiu voltar, mas ficou atrás de Leclerc.

A ordem da McLaren para Norris devolver a posição para Piastri só foi atendida na 68ª volta, quando a vantagem de mais de 6 segundos de Norris desapareceu, após uma longa discussão entre a escuderia e o piloto.

Verstappen, que pela terceira corrida seguida não saiu como vencedor, continua na liderança do Mundial com 265 pontos, seguido por Norris, com 189, e Leclerc, com 162. Vencedor neste domingo, Piastri é o quinto, com 149. Entre as escuderias, a Red Bull tem 389 pontos, com a McLaren na segunda posição com 338 e a Ferrari tem 322. A próxima etapa da F-1 acontece no dia 28 de julho, no GP da Bélgica.

Confira a classificação do GP da Hungria

1 º - Oscar Piastri (AUS/McLaren), em 1h38min01s989

2 º - Lando Norris (ING/McLaren), a 2s141

3 º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 14s880

4 º - Charles Leclerc (MON/Ferrari), a 19s686

5 º - Max Verstappen (HOL/Red Bull), a 21s349

6 º - Carlos Sainz (ESP/Ferrari), a 23s073

7 º - Sergio Perez (MEX/Red Bull), a 39s792

8 º - George Russell (ING/Mercedes), a 42s368

9 º - Yuki Tsunoda (JAP/RB), a 77s259

10 º - Lance Stroll (CAN/Aston Martin), a 77s796

11 º - Fernando Alonso (ESP/Aston Martin), a 82s460

12 º - Daniel Ricciardo (ITA/RB), a uma volta

13 º - Nico Hulkenberg (ALE/Haas), a uma volta

14 º - Alexander Albon (TAI/Williams), a uma volta

15 º - Kevin Magnussen (FIN/Haas), a uma volta

16 º - Valtteri Bottas (FIN/ Kick Sauber), a uma volta

17 º - Logan Sargeant (EUA/Williams), a uma volta

18 º - Esteban Ocon (FRA/Alpine), a uma volta

19 º - Guanyu Zhou (CHN/ Kick Sauber), a uma volta não completou a prova

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).