Esportes

PARIS 2024

A+ A-

Elite do vôlei nacional vê com otimismo a reta final para classificação às Olimpíadas

Para a Duda e Ana Patrícia, que venceram neste domingo (25) a 1ª etapa do circuito brasileiro, o país sempre chega com favoritismo nas olímpiadas

Continue lendo...

Em reta final de preparação para a classificação às Olimpíadas de Paris 2024, a elite nacional do vôlei de praia, que disputará as etapas do circuito mundial neste ano, buscando a vaga olímpica, vê com otimismo o nível do vôlei brasileiro para ir em buscar do pódio.

Destaque mundial na modalidade em 2023, a dupla Duda (SE) e Ana Patrícia (MG) lideram o ranking mundial do vôlei de praia, e estão por detalhes de conseguirem a classificação para as Olimpíadas. A vaga garantida por pontuação deve acontecer já na segunda etapa do circuito mundial, que será em Doha, no Catar, do dia 5 a 9 de de março.

Em entrevista para o Correio do Estado, Eduarda Santos Lisboa (Duda), afirmou que o vôlei brasileiro deve chegar muito forte para as Olimpíadas. "O mundo é muito forte, não é só a gente, todo mundo quer ganhar, não é só porque não pegamos pódio pela primeira vez na última olímpiada [Tóquio 2020] que isso não seja também merito dos outros paises, mas o brasil sempre vem forte, é o país do vôlei", declarou.

Perto de confirmarem a vaga olímpica, a dupla Duda e Ana Patrícia seguem focadas nas etapas do mundial neste ano olímpico. "O primeiro passo é se classificar para as Olimpíadas. Temos nosso primeiro campeonato em Doha para fechar as 12 etapas do nosso time. Ainda faltam várias etapas, e vai depender de nossa melhor performance e trabalho para buscar essa vaga nas Olimpíadas", acrescentou Duda.

Atual campeão do Circuito Brasileiro, o três-lagoense Arthur Mariano, comentou que houve uma evolução de investimento de outros países, oque acabou deixando a disputa do vôlei brasileiro com os demais, mas acirrada nas olimpíadas.

"Eu acho que a gente está em uma evolução grande, os outros países estão investindo muito no vôlei de praia, e também acho que a CBV [Confederação Brasileira de Vôlei] está tentando aumentar este investimento para ficar de igual para igual com os outros países. Ali na europa é mais facil para eles, porque conseguem treinar um contra o outro com mais facilidade, tendo um ritmo maior. Mas se deus quiser, quem for nos representar, vai representar muito bem", disse Arthur.

Campeão Olímpico no Rio de Janeiro em 2016, e medalhista de prata em Londres 2012, Alison Cerutti, que está com 37 anos, declarou ao Correio do Estado que o vôlei brasileiro neste ano será bem representado.

"O vôlei brasileiro sempre chega forte, os quatro times que forem representar o Brasil, vão representar muito bem, e graças a deus eu vou poder desta vez, estar ali torcendo para todo mundo". 

No circuito mundial de 2023, que soma pontos importantes para conseguir a vaga olímpica, a dupla Duda/Ana Patrícia venceu 5 das 47 etapas do circuito feminino, ajudando o Brasil a terminar o ano no topo geral do quadro de medalhas, com 12 medalhas de ouro, 8 de prata e 13 de bronze, totalizando 34 pódios.

CANDIDATOS A VAGA 

Com direto a quatro vagas nas Olimpíadas, duas no masculino e duas no feminino, além da dupla já mensionada na reportagem, no feminino, o Brasil deve ser representado pela dupla Carol (RJ) e Barbara Seixas (RJ), que está na quinta colocação do ranking mundial, com 14 etapas disputadas, sendo que, as primeiras 17 duplas do ranking, duas por país, se classificam para as Olimpíadas.

Pelo masculino as duplas George (PB) /André (ES), atuais campeões do Pan-americano de Santiago, no Chile e Evandro (RJ) / Arthur (PR), estão na 5ª e na 8ª colocação do ranking mundial de vôlei de praia, bem próximos da classificação para as olímpiadas.

CIRCUITO BRASILEIRO

Foto: Gerson Oliveira / Correio do Estado

Começando os trabalhos na temporada 2024 do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, o Top 16, elite do vôlei nacional, teve como os primeiros campeões do ano, em Campo Grande, as duplas Duda (SE) e Ana Patrícia (MG), no feminino, e Matheuzinho e Moisés no masculino.

Surpresa entre os finalistas, Matheuzinho e Moisés venceram a etapa disputada no Parque das Nações Indigenas em cima do campeão olímpico Alison Cerruti, e seu parceiro Igor Borges, por 2 sets a 1 (parciais de 21/13, 22/20 e 15/10)

Já no feminino a dupla Duda e Ana Patrícia conquistaram o primeiro lugar com uma vitória de 2 sets a 0 contra a dupla Hege e Vitória (parciais 21/18 e 21/15).

Na primeira etapa do aberto, que teve a sua final disputada no sábado (24), no masculino, Pedro(SE) e Gabriel Santiago (DF) conquistaram por 2 sets a 1, a medalha de ouro contra a dupla Manaus (AM) e Vilsomar (PR).

Teresa (DF) e Barbara (RJ) venceram o aberto no feminino, em cima da dupla Lúcilia Rosa (SP) e Mayara (SP) por 2 sets a 0.

 

 

Esportes

Carro que pertenceu a Senna é colocado à venda por R$ 3,2 milhões

Veículo do modelo Honda NSX 1991, na cor vermelha, está sob posse de um fã do ídolo brasileiro

23/04/2024 13h30

Ayrton Senna dirigindo seu Honda NSX Reprodução/Auto Trader

Continue Lendo...

Um carro antigo que já foi posse do ídolo da Fórmula 1 Ayrton Senna está à venda no Reino Unido.

O veículo é do modelo Honda NSX 1991. O carro vermelho atualmente está sob posse de Robert McFagan, um fã de Ayrton Senna, e disponível para compra no site Auto Trader.

O preço do automóvel é 500 mil libras (aproximadamente R$ 3,2 milhões na cotação atual). O veículo teve somente dois donos (Senna e McFagan) e possui 62,9 mil km rodados.

Senna foi presenteado com o veículo pela Honda em 1991. O piloto mantinha este exemplar em sua residência em Algarve, Portugal. Ele permaneceu lá até 2013, quando McFagan o adquiriu.

Senna ajudou a popularizar o NSX. O brasileiro ajudou a desenvolver a primeira geração do modelo. Ele possuía outros dois exemplares do veículo da Honda, ambos pretos, e um está sob posse da família no Brasil.

O NSX vermelho aparece no documentário Racing in my Blood, lançado em 1992. O mesmo veículo foi levado para Ímola em 2019, durante homenagem pelos 25 anos da morte de Senna, e pilotado por Giancarlo Minardi, ex-piloto e fundador da antiga escuderia Minardi.

"Tem sido um enorme prazer possuir o que é um dos carros mais famosos que pertenceu a uma verdadeira lenda do esporte, e a emoção de dirigir um carro de Senna nunca vai embora", disse McFagan, atual dono do carro, ao jornal The Sun.

Assine o Correio do Estado.

SÉRIE D

Costa Rica estreia na Série D do Brasileirão neste sábado contra o São José (SP)

CBF divulgou a tabela das sete primeiras rodadas nesta segunda-feira; saída precoce no estadual freia expectativas

23/04/2024 11h00

Costa Rica representa o futebol sul-mato-grossense na Série D 2024 Foto: Divulgação / Costa Rica

Continue Lendo...

O Costa Rica, campeão sul-mato-grossense em 2023, vai estrear na quarta divisão do campeonato brasileiro contra o São José (SP), neste sábado, às 18h, em São José dos Campos (SP).

Único representante do Mato Grosso do Sul na competição, o Costa Rica está presente no grupo A7, juntamente com outras sete equipes. São eles:

  • São José (SP)
  • Inter de Limeira (SP)
  • Santo André (SP) 
  • Água Santa (SP)
  • Patrocinense (MG)
  • Pouso Alegre (MG)
  • Maringá (PR)

Ao todo, a Série D é composta por 64 equipes, divididas em oito grupos com oito times cada. Os quatro primeiros colocados de cada grupo se classificam para a segunda fase, do qual, a partir deste ponto, é mata-mata. Os quatro semifinalistas garantem o acesso à Série C. 

A fase de grupos está prevista para ter sua última rodada no dia 21 de julho. A tabela detalhada das próximas fases deve sair após o término dessa primeira. O atual campeão é o Ferroviário, do Ceará. 

O ESTADO NA COMPETIÇÃO

Em 2022, o Costa Rica jogou pela primeira vez na sua história a quarta divisão nacional, e teve um ótimo desempenho na fase de grupos, ficando na terceira posição do grupo A5.

Após conquistar 21 pontos em 14 jogos, a segunda fase foi triste para o torcedor costarriquenho e acabou eliminado pelo Bahia de Feira (BA), com 2x1 no placar agregado.

Já no ano passado, o estado foi representado pelo Operário, campeão estadual em 2022, porém seu desempenho decepcionou os torcedores. 

Em 14 jogos, a equipe conquistou apenas oito pontos, com apenas uma vitória, cinco empates e oito derrotas, ficando na última colocação do grupo A7.

O Operário voltará ao cenário do futebol nacional em 2025, já que se consagrou como campeão sul-mato-grossense, no último domingo (21).

ESTADUAL FRACO DO COSTA RICA

O Costa Rica entrou na competição estadual de 2024 como atual campeão, os torcedores tinham altas expectativas, mas que não foram alcançadas

A equipe foi apenas o quarto colocado no Grupo A, com 11 pontos conquistados em oito jogos, mas que lhe rendeu a classificação para a próxima fase do torneio. 

Nas quartas de final, o Costa Rica enfrentou o Dourados (DAC) e, mesmo sendo considerado zebra diante no confronto, conseguiu dois empates e deixou a decisão para os pênaltis. Mas a estrela do goleiro adversário brilhou e a eliminação precoce veio. 

No dia 23 de fevereiro, foi anunciada a demissão do treinador Rodrigo Cascca, após uma reunião entre comissão técnica e diretoria do clube. No dia 1º de março, Gian Rodrigues é definido como substituto para comandar a equipe na competição nacional.

ASSINE O CORREIO DO ESTADO

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).