Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ATUALIZAÇÃO

A cada três testes de coronavírus, um é positivo em Mato Grosso do Sul

Estado registrou novos 638 casos e 15 mortes pela doença nas últimas 24 horas
29/09/2020 13:33 - Gabrielle Tavares


Dados são da Secretária de Estado de Saúde (SES), divulgados na manhã desta terça-feira (29) e mostram que a cada três sul-mato-grossenses que realizam o teste da doença, um é confirmado.

A taxa de contágio teve uma leve queda nas últimas 24 horas, de 1,4% passou para 1,2%. De acordo com o secretário da SES, Geraldo Resende, para o declínio acontecer é necessário que a queda seja maior e que a taxa fique abaixo de 1%.

“A doença ainda não está controlada. A desaceleração se deu em um patamar muito elevado, o que nos preocupa pela décima semana consecutiva da pandemia”, declarou Resende.

As novas máquinas operando no Lacen-MS permitiram queda relativa nas amostras em espera por análise. Hoje o número alcançou os 781, menor média já registrada de acordo com Resende.

Já os casos sem encerramento pelos municípios são 3.222. Foram 638 novos casos do coronavírus nas últimas 24h no Estado.

Das 68.963 notificações desde o início da pandemia, 62.106 estão recuperados; 5.102 em isolamento domiciliar; e 462 internados, 2 deles de outros estados e não contabilizados como casos de Mato Grosso do Sul.

Campo Grande, com novos 230 notificações, chega a 30.326 infectados.

Óbitos

A média móvel de óbitos aumentou, são 14,6 mortes por dia no Estado. No boletim epidemiológico de hoje, foram notificados mais 15 mortes, totalizando 1.293 vítimas.

Das 15, 8 foram em Campo Grande, com idades entre 57 e 85 anos. Bela Vista teve duas mortes, pacientes de 63 e 79 anos.

Dourados, Corumbá, Cassilândia, Cassilândia e Guia Lopes da Laguna tiveram uma morte cada, com idades entre 49 e 93 anos.

 
 

Felpuda


Comentários maldosos nos meios políticos dão conta que duas figurinhas que se rebelaram contra os próprios colegas poderão ficar no sereno político e, de forma indireta, serem personagens das próprias manifestações.

Um deles defendeu a redução do número de vereadores, e o outro disse ter vergonha de exercer o cargo. Agora enfrentam altos e baixos na campanha eleitoral.