Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ATUALIZAÇÃO QUEIMADAS

Área do Pantanal de MS tem sido a mais consumida pelo fogo desde o fim de setembro

O fogo na região da Serra do Amolar, principal preocupação dos combatentes, já foi controlado
13/10/2020 18:30 - Brenda Machado


No período de 03 a 11 de outubro, mais 140 mil hectares do Pantanal foram consumidos pelo fogo, segundo dados do Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais do Departamento de Meteorologia (LASA) da UFRJ.

Desse número, 55 mil hectares correspondem a área localizada em Mato Grosso, e 85 mil a região de Mato Grosso do Sul, que vem sendo a mais afetada pelas chamas, assim como mostra a contagem anterior.

Na última quinzena, 160 mil hectares devastadas pertencem a Mato Grosso, enquanto que 494 mil são apenas de MS.

Com mais essa alta, o Pantanal já soma 4.117 milhões de área destruída, o que corresponde a 27% do bioma nacional.

 
 

A Serra do Amolar, que se concentrava como uma das maiores preocupações dos combatentes, passou por um arrefecimento bem acentuado.

De acordo com o analista ambiental do Ibama Prevfogo, Alexandre Pereira, essa situação já representa um certo alívio.

"A gente conseguiu controlar as principais frentes de incêndio, que era o que mais nos preocupava, justamente porque essa é uma área cristina, importante pra conservação e diversidade biológica do Pantanal.", acrescentou.

Por causa dos bons resultados, parte das equipes atuantes puderam ser deslocadas para reforçar no combate às chamas no Parque Nacional do Pantanal, que fica no Mato Grosso.

Ainda segundo o ambientalista, as ações continuam na região do município de Corumbá. Entre a Fazenda Bodoquena e Porto Esperança as intervenções acontecem em forma de monitoramento. 

Também na Estrada Parque e ao longo da BR-262 o trabalho é de combate imediato e rondas preventivas, até no período noturno, para evitar a reemissão do fogo.

Combatentes

Mesmo com o apoio do Ibama Prevfogo e do ICMBio, que atua preferencialmente em áreas de conservação de Mato Grosso, os dois estados que abraçam o bioma precisaram de reforço para controlar as queimadas.

Só na linha de frente aos incêndios, o número de combatentes chega a 281.

Foram deslocadas equipes do Corpo de Bombeiros do Paraná, Santa Catarina e Distrito Federal, além da ajuda das Forças Armadas, Força Aérea, Marinha Brasileira e o Exército Nacional.

 
Divisa de MT com MS - Divulgação/ Ibama Prevfogo
 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...