Cidades
CRIME AMBIENTAL

Onça encontrada morta no Rio Paraguai indica caça predatória no Estado

Crimes contra a fauna sul-mato-grossense cresceram 20% em relação ao primeiro semestre de 2021

Alison Silva

04/07/2022 17:48

 

Uma onça foi encontrada morta às margens do Rio Paraguai nesta segunda-feira (4) no município de Ladário, a 432 km de Campo Grande. O animal tinha marca de um ferimento à bala na cabeça, e conforme fontes ouvidas pelo Correio do Estado, tudo indica que foi morta por ação humana. 

Ao Correio do Estado, o Tenente Coronel da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Ednilson Queiroz, disse que caso a ação possua um culpado, este pode pegar entre seis meses e 1 ano e meio de reclusão, além de pagar uma multa de R$5 mil, pela espécie estar em extinção.

De acordo com a PMA, em casos como este, onde há a possibilidade de caça predatória, as infrações são conduzidas pela polícia civil e encaminhadas à Polícia Militar Ambiental e posteriormente julgadas (se necessário)  pela justiça criminal. 

“Nós trabalhamos na prevenção de casos como esse. Dada a região da morte, o animal pode ter sido morto por uma pessoa local, assim como indivíduos da Bolívia, região próxima de Ladário”, pontuou Queiroz.

Conforme o tenente, ações como estas em áreas de fronteira, naturalmente tendem a coibir posturas mais expressivas de denúncias, uma vez que segundo ele os denunciantes não querem se expor por medo de represálias. 

“Nestes casos, encontrar um culpado é muito difícil. Exige prova testemunhal, ou mesmo a localização do projétil balístico. Acredito que a onça esteja nestas condições entre cinco e sete dias, sendo identificada hoje”, concluiu Queiroz. 

 

Caça predatória

A Polícia Militar Ambiental (PMA-MS), identificou um buraco na cabeça da fêmea, ação que evidencia a possibilidade de caça predatória em Mato Grosso do Sul. 

De acordo com o balanço semestral divulgado pela Polícia Militar Ambiental de MS, a fauna do estado foi o único setor que apresentou aumento (54 infrações) em relação aos números divulgados pela pasta no primeiro semestre de 2021, período com 45 infrações, aumento de 20% no período.

Conforme a PMA, nos seis primeiros meses do ano foram arrecadados R$718,3 mil somente  em infrações contra a fauna estadual.  Até o fim de junho, a PMA indicou 571 infrações envolvendo a fauna, flora, pesca e a poluição no estado, arrecadando cerca de R$11,6 milhões de reais. 

Neste momento, os crimes cometidos contra a fauna sul-mato-grossense representam cerca de 50% de todas as infrações de 2021 no estado, ano com 114 crimes contra a vida animal.

Assine o Correio do Estado