Clique aqui e veja as últimas notícias!

CAMPO GRANDE

População idosa da Capital corresponde a 11% do total de moradores

No total, 17 entidades realizam o atendimento e não conseguem atender a demanda
24/12/2017 18:00 - ALINE OLIVEIRA


 

A população idosa de Campo Grande soma 98 mil pessoas, representando mais de 11% da população total do município que é de 874.210 habitantes, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Ibge). Entretanto, existe um déficit no atendimento do público que exige cuidados especiais e o número de entidades que realizam o acolhimento é de 17 casas. 

O levantamento realizado em setembro deste ano pelo Conselho Regional de Economia (Corecon-MS), a pedido da Comissão Permanente de Assistência Social e do Idoso da Câmara Municipal , motivou a realização de uma audiência pública que apontou a urgência de promover políticas públicas para melhorar a qualidade do atendimento ao idoso campo-grandense. 

A presidente da comissão é a vereadora Enfermeira Cida Amaral (Podemos) que explica um dos principais problemas averiguados na pesquisa. "As entidades que realizam acolhimento recebem novos pacientes, de acordo com encaminhamento da Secretaria Municipal de Assistência Social. Entretanto, o convênio que possibilita auxílio de custo para os locais está muito defasado O valor repassado pela administração pública é de R$ 1,4 mil, porém, os custos necessários para atender cada um desses cidadãos é de R$ 4,9 mil", argumenta. 

Segundo a parlamentar, com o diagnóstico da situação local, o próximo passo é dar continuidade ao projeto de lei que pretende apresentar na Câmara de Campo Grande, ainda no primeiro trimestre de 2018:

"Nosso objetivo é criar a Frente Parlamentar dos Direitos da Pessoa Idosa e ainda, um projeto de lei em conjunto com a prefeitura, a fim de organizarmos um fórum de instituições conveniadas. Com a criação de uma rede própria de atendimento, o público e suas famílias sentirão-se mais amparados, pois há deficiência de profissionais como geriatras, neurologistas e odontólogos na rede municipal de saúde", conclui.

SOLIDARIEDADE E CUIDADOS

Uma das instituições em atividade na capital é o Lar do Idoso Sirpha, localizado no bairro Nova Lima, saída para Cuiabá. Fundado há mais de 40 anos, o local conta com apoio de grupos da sociedade civil para manter parte das despesas mensais. Segundo a assistente social responsável, Natália Rocha Grabowski, a capacidade de atendimento é de 80 leitos e atualmente estão todos ocupados. 

"A maioria dos idosos  necessita de cuidados especiais e por isso temos 65 funcionários que são contratados para o trabalho. A folha de pagamento absorve grande parte do repasse municipal e por isso, realizamos campanhas de doações frequentes para auxiliar na reposição de alimentos, leite, produtos de higiene pessoal e fraldas geriátricas. Todo apoio é muito bem-vindo para que possamos oferecer conforto e acolhimento ao grupo", argumenta. 

A equipe de colaboradores é composta por profissionais de fisioterapia, nutrição, psicologia, enfermagem, cuidadores, entre outros. Natália acrescenta que mensalmente são consumidos 1.200 litros de leite e 600 pacotes de fraldas. "Recentemente recebemos mais de duzentos pacotes de fraldas e três caixas de produtos de higiene pessoal de uma rede farmacêutica, o que ajuda bastante".

PARTICIPAÇÃO 

Interessados em contribuir com doações ou mesmo, realizar visitas no Lar do Idoso  Sirpha, podem entrar em contato pelo telefone: 3354-1878. O endereço é Rua Luxo, nº 125, bairro Nova Lima. Já o horário de visitas é das 13h às 16h, de segunda a sexta-feira. 
Fotos: Arquivo Lar do Idoso Sirpha