Cidades

NOVIDADE

UEMS terá restaurante universitário em Campo Grande, Dourados, Aquidauana e Paranaíba

Restaurantes serão entregues em quatro anos; investimento será de R$ 2,3 milhões

Continue lendo...

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) terá restaurante universitário (RU) nas unidades de Campo Grande, Dourados, Aquidauana e Paranaíba.

Restaurante universitário, também conhecido como “bandejão”, estão instalados dentro da universidade e oferecem almoço e jantar para acadêmicos, com preço justo e acessível.

O objetivo é que estudantes tenham uma alimentação equilibrada, balanceada, nutritiva, com preço justo e acessível, garantindo a segurança e a qualidade dos alimentos servidos, como forma de atender às necessidades nutricionais básicas da comunidade universitária.

O investimento será de R$ 2,3 milhões. A implementação do RU está em fase de licitação em Campo Grande e Dourados e em fase de emenda de bancada em Aquidauana e Paranaíba. Os quatro restaurantes universitários serão entregues em até quatro anos.

Inexiste restaurante universitário nos 15 polos da UEMS há 30 anos. A ausência do famoso “bandejão” dificulta o dia a dia dos acadêmicos, que, muitas vezes, passam o dia todo na universidade e precisam levar marmita ou recorrer à restaurantes nos arredores da instituição.

De acordo com o reitor da UEMS, Laércio Alves de Carvalho, o objetivo é que todos os 15 municípios que abrigam polos da universidade tenham restaurante universitário, mas, a prioridade, de imediato, é para polos com maior quantidade de alunos.

“Depende muito da quantidade de alunos, então a locação ou escolha das unidades para ter um restaurante universitário, depende da unidade que tem mais alunos, então iremos começar por essas quatro unidades e em seguida avançar para as outras 11 unidades universitárias” explicou o reitor.

O anúncio da construção do restaurante universitário ocorreu na manhã desta segunda-feira (6), no auditório da UEMS, em Campo Grande.

As autoridades que marcaram presença no evento são governador de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel (PSDB); reitor da UEMS, Laércio Alves de Carvalho; deputado federal, Geraldo Resende (PSDB); deputado estadual Renato Câmara (PMDB); secretário da Casa Civil, Eduardo Rocha; secretário de Governo e Gestão Estratégica, Pedro Caravina, entre outras autoridades.

UEMS

A UEMS possui oito mil estudantes de graduação e 725 de pós-graduação. Possui 70 cursos de graduação, entre bacharelado, licenciatura e tecnológicos. Tem dois doutorados, 14 mestrados e 18 cursos de Especialização lato sensu vigentes.

A instituição está presente em 15 municípios de Mato Grosso do Sul, com polos em Dourados, Amambaí, Aquidauana, Campo Grande, Cassilândia, Coxim, Glória de Dourados, Ivinhema, Jardim, Maracaju, Mundo Novo, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba e Ponta Porã.

Também oferece cursos de Educação à Distância (EAD) em 13 municípios. Sendo assim, a UEMS está consolidada em 28 cidades do MS.

TURISMO

Freixo visita Aquário do Pantanal e diz que vai inserir capital de MS no circuito nacional

Presidente da Embratur disse que voos e conexões aéreas para Campo Grande estão sendo estudados

24/05/2024 18h15

Marcelo Freixo destaca importância de MS para turismo nacional

Marcelo Freixo destaca importância de MS para turismo nacional Gerson Oliveira

Continue Lendo...

O presidente da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), Marcelo Freixo participou na tarde desta sexta-feira (24) de uma visita ao Bioparque Pantanal e em conversa com o Correio do Estado, destacou a importância do município de Bonito, do Pantanal, e até mesmo de Campo Grande, onde está localizado o aquário, ao turismo nacional. 

A visita foi companhada pelo presidente da Fundtur (Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul), Bruno Wendling, e pela deputada federal Camila Jara (PT). Freixo informou que surgiram planos para promover com as companhias aéreas novos voos e conexões aéreas com o objetivo de fazer uma promoção para Mato Grosso do Sul.

Essa ação visa ampliar a competitividade de forma sustentável da oferta turística do Estado, além de oferecer treinamentos, qualificação e divulgação em feiras e eventos internacionais, entre outras iniciativas.

O presidente também citou que será realizada uma reunião com a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) a fim de intermediar pelo mesmo assunto. 

“A gente já assinou o primeiro acordo de cooperação técnica entre a Embratur e o Poder Público, então a Embratur vai desenvolver a promoção dessa região e a gente já tá há mais de um ano trabalhando toda a experiência internacional de promoção no Brasil, nós levamos a gastronomia pantaneira, a imagem, Bonito e Pantanal são estratégias para o Brasil, não só para Mato Grosso do Sul”.

 

Campo Grande no roteiro

Em relação à Capital, Freixo ressaltou que o município não compete com Bonito e Pantanal, mas sim, complementa esses pontos, ele também falou sobre alguns caminhos para atrair turistas, entre eles, ficar mais um dia na cidade para visitar o Bioparque Pantanal.

“A pessoa que vem pra conhecer esses destinos, podem ficar mais um dia para ver o espetáculo que é o Bioparque, pode ir na casa do Manoel de Barros, essa experiência aqui por exemplo, é o maior aquário de água doce do mundo, mas não é só o aquário, é um espaço de consciência ambiental , de responsabilidade climática, estudo e preservação de espécie, então você tem um trabalho técnico de profissionais e pedagógico, isso é muito importante”.

Nesta sexta-feira(24), Marcelo Freixo esteve com representantes do Cinesur - Festival de Cinema Sul-Americano de Bonito e, após o encontro, participou do encontro com representantes da área turística no Parque Estadual do Prosa. 

Neste sábado, Freixo deve marcar presença no evento "A voz da esperança", no Bairro Chácara Cachoeira.

A ação faz parte do lançamento plano de governo da deputada federal, Camila Jara - pré-candidata à Prefeitura de Campo Grande.

Assine o Correio do Estado

 

Operação

Senad encontra 4 toneladas de maconha em fazenda de narcotraficante na fronteira

A grande quantidade de entorpecentes foi encontrada em uma região dominada por Santiago Acosta, um dos principais narcotraficantes da fronteira. Os entorpecenetes seriam enviados para o Brasil.

24/05/2024 17h46

Os entorpecentes seriam vendidos no mercado brasileiro

Os entorpecentes seriam vendidos no mercado brasileiro SENAD/ Divulgação

Continue Lendo...

Nesta sexta-feira (24), agentes da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) apreenderam quatro toneladas de maconha em uma área de propriedade rural em La Colonia Ko’ê Porã, na Villa Ygatimí, Departamento de Canindeyú, a 40 km de Paranhos, região de fronteira com Mato Grosso do Sul.

De acordo com a polícia paraguaia, os entorpecentes foram localizados em uma propriedade pertencente ao paraguaio Vicente Marcos Curtido Castro, área dominada pelo narcotraficante Felipe Santiago Acosta, conhecido como 'Macho', um dos criminosos mais procurados do Paraguai e chefe de cartéis de drogas na fronteira com Mato Grosso do Sul.  

Conforme informações do site Última Hora, o paraguaio Vicente Marcos Curtido Castro foi preso no depósito, onde foram encontrados 3.245 quilos de maconha prensada e 719 quilos da droga picada em bolsas. Ainda de acordo com a Senad, os entorpecentes apreendidos seriam enviados ao mercado brasileiro.

De acordo com o promotor de justiça paraguaio que chefiou a operação, Néstor Narváez, a droga renderia no mercado brasileiro mais de 1,2 milhão de dólares aos traficantes.

Quem é Felipe Santiago Acosta? 

O narcotraficante é conhecido na região do Salto Del Guairá como violento e um dos principais chefes do tráfico de drogas na região. Santiago Acosta estava desaparecido desde dezembro do ano passado, quando conseguiu fugir da Senad na linha internacional entre Mato Grosso do Sul e Paraguai. 

Na época, nove pistoleiros foram mortos durante a ação,  mas Santiago conseguiu fugir dos policiais. Em fevereiro deste ano, um grupo liderado por “Macho” entrou em confronto com outra quadrilha de Cristino Díaz Méndez, 46, apontado como líder do Clã Méndez. Ele foi morto durante o confronto. 

O veículo em que Acosta se encontrava foi localizado com aproximadamente 300 tiros e abandonado em uma estrada vicinal. 

A caminhonete de Felipe Acosta foi crivada com pelo menos 300 tiros de fuzil e abandonada na estrada. Cristino Méndez morreu e o corpo foi deixado a 100 metros do local. 

Assine o Correio do Estado


 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).