Correio B

Férias

Crianças a bordo

Crianças a bordo

Thiago Andrade

16/12/2010 - 00h00
Continue lendo...

Dezembro. Férias de verão. Com o tempo livre sobrando, uma das opções que os pais têm para oferecer diversão aos filhos é deixá-los viajar. Seja para outras cidades, estados, ou até mesmo países, as crianças e adolescentes têm oportunidade de conhecer outros lugares, conviver com pessoas diferentes, fazer novos amigos, se aproximar de outras culturas ou, mais comumente, ir ao encontro de parentes próximos. Entretanto, até completar 12 anos, toda criança precisa de autorização para viajar sozinha e é necessário tomar alguns cuidados para evitar os problemas e perigos que a situação propicia.

Mãe de um adolescente de 11 anos, a empresária Márcia Dreom Capellari já está acostumada com a burocracia necessária para mandar o filho para a casa dos avós. “Ele viaja sozinho desde os 6 anos. Temos toda preocupação em evitar riscos que possam surgir. Mas, felizmente, as companhias aéreas oferecem o que é necessário para que meu filho não enfrente nenhum problema que não possa ser resolvido”, defende Márcia. A mãe, no entanto, foi surpreendida pela taxa cobrada pela companhia aérea para disponibilizar um funcionário para atender ao adolescente.

Antes de comprar as passagens é importante checar as condições da empresa aérea. O serviço de acompanhamento de menores é obrigatório para crianças entre 5 e 12 anos. Menores não são transportados sem o acompanhamento de um responsável pela maior parte das companhias. Portanto, se você pretende deixar que seu filho viaje desacompanhado, entre em contato com a empresa de sua preferência para conhecer as condições.
Malcon Douglas Capellari Filho estava animado na manhã de ontem. Com mochila nas costas e munido de documentos de identificação pessoal, o adolescente de 11 anos já é veterano nas viagens sem os responsáveis. “Viajo sozinho desde os 6 anos. Estou acostumado. Sempre evito contato com estranhos, como minha mãe pede. Tento corresponder à confiança que ela deposita em mim”, conta o menino.

Ele viajou para Cuiabá, Mato Grosso, onde se encontrará com os avós todos os anos. “Eu gosto de viajar sozinho, é uma sensação de liberdade. Quando estou na casa dos meus avós tenho que me adequar à rotina deles e às regras que eles criam pra mim. Também tenho amigos por lá. Sempre é divertido”, aponta Malcon, mostrando-se bastante animado a caminho da sala de embarque do Aeroporto Internacional de Campo Grande.

Para a mãe, o encontro do filho com os avós é um modo de proporcionar a ele contato com outros integrantes da família, além de permitir que se divirta longe de casa, mas com segurança. “Ele vai ganhando independência aos poucos e percebendo que é necessário ser responsável. A partir do ano que vem vai ser mais fácil para ele viajar. Vamos ver como vai ser”, detalha Márcia.

Regras de bom comportamento
A psicopedagoga Maria Irene Maluf aponta que sair de casa para passar férias longe dos pais pode ser uma experiência engrandecedora para as crianças, contudo, é necessário observar algumas regras de conduta para evitar problemas na casa que recebe a criança ou o adolescente. Confira abaixo algumas de suas indicações:

– Procurar não falar alto demais, assim como respeitar o sono dos outros não fazendo barulho à noite;
– Jamais interromper a conversa de adultos;
– Procurar conhecer e seguir as normas da casa onde estiver hospedado, ainda que estas sejam mais rígidas do que as de seus pais;
– Lembrar-se de ser cordial e respeitoso com todos os integrantes da casa, com os outros  hóspedes, funcionários, animais de estimação, etc;
– Discussões: devem ser evitadas a todo custo na casa dos outros. As conversas devem ser cordiais e é obrigatório seguir aquelas regrinhas básicas como pedir licença para levantar, respeitar os horários, etc;
– Na mesa: não falar com a boca cheia de comida, usar devidamente o guardanapo, lembrar de que talheres não são armas, mas instrumentos usados por pessoas civilizadas ao comer, as quais se sentam corretamente nas cadeiras, colocam o guardanapo sobre as pernas, mantém os braços junto ao corpo ao usar os talheres e conservam os cotovelos fora da mesa;
– Mostrar respeito pelo gosto e escolhas dos seus anfitriões, aceitando com carinho a presença de pessoas idosas e crianças pequenas: críticas jamais!;
– Ao se despedir deixar uma boa lembrança, agradecendo sinceramente a hospitalidade e já se preparando para um novo convite!

Autorizações e documentos são imprescindíveis
Para que qualquer menor de idade entre 5 e 12 anos viaje desacompanhado é preciso ter em mente alguns cuidados. Conseguir as autorizações e documentos necessários é rápido e simples, mas é preciso prestar atenção aos detalhes. Um dos pais ou o responsável deve ir até a Vara da Infância, Juventude e do Idoso para obter a autorização judicial. Quando a criança ou o adolescente viajam acompanhados de ambos os pais não é necessária autorização alguma; já quando apenas um dos pais o acompanhará é preciso escrever autorização com firma reconhecida por autenticidade em cartório.

“A primeira indicação é que os pais lembrem aos filhos a importância de estar com o documento de identificação. A autorização será exigida sempre que não houver um responsável e sem documentos de identificação nenhuma criança sai de Mato Grosso do Sul”, alerta Greice Maia de Deus, chefe de cartório da Vara da Infância, Juventude e do Idoso, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS). Segundo ela, no Estado, crianças não são autorizadas a viajar de ônibus em razão da falta de profissionais para cuidar do menor.

Em caso de viagem internacional, existem algumas diferenças no processo. A autorização judicial é substituída por documento escrito pelo pai e pela mãe. Contudo, em caso de falta de um dos genitores, é preciso abrir processo para suprimento de consentimento, ou seja, para que a criança viaje sem que um dos pais autorize. “O processo todo leva em média dois meses, pois é preciso que o nome do genitor seja publicado em edital por um mês. No final, há audiência com a juíza da vara, que pode convocar testemunhas para constatar a situação dos pais. A partir disso ela dá o veredito”, detalha Greice.
No site do TJ/MS (www.tjms.jus.br), pode-se obter mais informações.
 

Diálogo

Confira a coluna Diálogo na íntegra, desta segunda-feira, 24 de junho de 2024

Por Ester Figueiredo ([email protected])

24/06/2024 00h01

Continue Lendo...

 

Martha Medeiros escritora brasileira
Solidão não se cura com o amor dos outros. Se cura com amor-próprio”.

FELPUDA


Conversas olhos nos olhos estariam ocorrendo em reuniões para poucos, segundo os bastidores, em que algumas lideranças partidárias estariam discutindo o presente e o futuro não muito distante, ou seja, 2026. No centro da mesa das conversações, o tabuleiro de xadrez político da sucessão à Prefeitura de Campo Grande e, do lado, uma bola de cristal. A maioria dos participantes, olhando para a esfera colorida, estaria mostrando certa preocupação com o que consegue ver no que se relaciona ao desempenho de certa candidatura. Vixe!

Números


Dados do Ministério do Turismo, da Embratur e da Polícia Federal mostram que o Brasil recebeu 3.264.765 de turistas de outros países, o que representa aumento de 8,6% no acumulado dos cinco primeiros meses, em comparação com a mesma época de 2023, quando o registro foi de 3.005.505.

Mais


Este é o terceiro melhor desempenho da série histórica, iniciada em 1995, ficando atrás apenas de 2017, com 3,3 milhões.  Um dos principais destaques foi a chegada de visitantes chilenos, que tiveram salto de 46,3% neste período.

Jucimara Palieraqui e Solange Gimenez

 

 Rafaela Furlanetto
 

Sete


O número de adiamentos do julgamento no Superior Tribunal de Justiça para tornar réu ou não o conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado Ronaldo Chadid é igual ao de integrantes daquele órgão: sete. Até comparecimento em missa de sétimo dia levou à mudança da data dos trabalhos dos magistrados. Com isso, a comissão criada na Assembleia Legislativa de MS para fazer o acompanhamento dos processos daquele e de outros dois conselheiros defenestrados temporariamente desuas cadeiras de malfeitos bateu às portas da Corregedoria do STJ.

Insegurança


A Assembleia Legislativa de MS é responsável por julgar as contas do TCE e vice-versa. A comissão encarregada de acompanhar a tramitação dos processos contra os conselheiros afirma em sua reclamação ao STJ que está havendo insegurança jurídica, pois os afastados estão sendo substituídos por auditores fiscais que, obviamente, não são conselheiros designados originariamente para a função. 

Composição


É óbvio, porém, que deputados estão de olho principalmente na cadeira ocupada por um dos conselheiros, que, na composição daquele órgão, é de indicação da Assembleia Legislativa de MS. As outras duas são para o Ministério Público de Contas e Auditoria. O quadro atual é composto por três integrantes 
da “cota” do Legislativo, e o quarto, de livre indicação do governador da época, conforme prevê a lei.

Aniversariantes


Renatha Camargo,
Luciana do Amaral Rabelo, 
Jane Serrou Camy Mandetta, 
Juliana de Oliveira Ayala, 
Cecília de Oliveira Bernardo,
João Romero de Lima,
Joana Ubalda Pereira de Sant’Ana,
Eneida Peixoto de Azevedo,
João Batista Bandeira Almeida,
Joana Paes de Almeida,
Joanita Rodrigues da Rosa,
Maria José Santos Fernandes,
Emanuel Ubirajara da Rocha Porfírio,
Nelson Fernando Dauer Júnior,
Roberto Shigueo Bando,
Hélio de Lima,
João Antônio de Marco,
João José Jallad,
Beatriz Barros Marinho,
Dr. Abadio Rezende,
Francieli Mascolli Benante Montalvão,
Marilene Moraes Coimbra, 
João Massatoshi Kawaguchi,
Dr. João Roberto de Lima,
Júlio Sacco,
Valterlina Pereira da Silva,
Wellington João Santiago Ramos,
Dr. Marcos Vinicius Vieira de Lima,
Dra. Auristela Machado Vidal,
Joana D’Arc Migliorini,
Dênis Renato Damaceno Lima,
João Batista de Cardoso,
Ângela Maria Costa,
João Lemes de Souza,
Túlio Alves Filho,
Sandra Elena Inocêncio,
Iracy Menezes Lourenço,
Sônia Aparecida Pereira,
José Roberto Tecchio,
Sandra Barberato Lobo,
Fábio Jun Capucho,
Vanessa Menezes Amorim,
Mário Gonda, 
Daniel Ramalheira, 
Gilberto Congro Bastos Filho, 
Alberto Duque Portugal,
Antonio Batista Sancevero,
Ana Lúcia Gomes dos Santos,
Fernando Silva Rocha,
Vicência Bezerra de Souza,
Elenir Rodrigues Pereira,
Fernando de Matos Wanderley Neto,
Thiago Luiz Morente,
Joana Aparecida Stiegler,
Jonia Salgado Schultze,
Aparecida Moura Queiroz,
Gilberto Hidetoshi Ianas,
Joana Lugo de Cáceres,
Bruna Viveiros Barros,
Juliana Gava Boin,
Dorotéa de Araujo Rodrigues,
João Pedro Gay, 
João Batista Dauria,
Hudson Garcia Moreira,
João Gonçalves, 
José Luiz Higa da Silva,
Luiz Batista Sguissardi da Rosa,
Elvira Pinto de Araújo Alarcon,
Dalva Ferreira Leite,
Maria Cristina Borges de Lara Campos,
Deyse Cristina da Silva Dias,
João Paulo Coimbra Neto,
Dulcelina Pereira Nantes,
Renan Fonseca,
Eliene Marta Breguedo 
do Nascimento,
Elisabeth Maria de Mendonça Silva,
João Batista Trindade Rodrigues,
Glauce Marla Arakaki,
Anaide da Silva Figueiredo,
Lhays Raquel Martins Regis,
André Luiz Fernandez de Moraes,
Fabiano Goes Nagata,
João Batista Ramos de Morais,
João Okogusiku,
Valéria Siqueira Jacini,
João Carlos Diaz Rodrigues,
Wilson João Bittencourt Bellincanta,
Jorge Luiz Godoy Gabinio,
Paulo Domingos Ribeiro Junior,
João Batista Pereira Lopes,
Paulo Douglas Almeida Moraes,
Armando Albuquerque,
Edilson de Alvarenga,
João Antonio Gusso,
Otávio Nascimento Prestes,
Elisângela de Paula Videgoi,
Scheilla Gauze,
Dilmara Monteiro Ferreira,
Ariadne Nobre de Oliveira Silva,
Rosely Debesa da Silva, 
Alessandra Paulino Matheus,
Joana Ramos da Silva Cruz,
Maria de Fátima da Silva Gomes,
Luiza Conci,
Rodrigo Santana,
João Magno Nogueira Porto,
Volnei Leandro Kottwitz.

 

Colaborou Tatyane Gameiro

Assine o Correio do Estado
 

Correio B

Atriz é criticada por mudar 'com quem será' no aniversário da filha

Samara Felippo mudou a letra para: "vai depender se a Lara vai querer" e criticou brincadeiras sobre namoro e casamento com crianças

23/06/2024 22h00

Samara Felippo compartilhou o

Samara Felippo compartilhou o "Com Quem Será" do aniversário de 11 anos da filha Lara e foi criticada Reprodução

Continue Lendo...

A atriz Samara Felippo compartilhou com os seguidores na sexta, 21, um vídeo dos parabéns da filha Lara, que completou 11 anos. Com a legenda "Você tem uma mãe feminista. Ok?", as imagens mostram o momento do "com quem será", em que Samara muda a letra para: "vai depender se a Lara vai querer".

Em tom de brincadeira, ela faz cara de insatisfação enquanto a música é puxada pelas crianças.

"Minha cara no início já diz tudo", escreveu Samara, na legenda da postagem. "Chega de todo mundo definir COM QUEM você vai casar e também SE você quiser casar! Desde a infância é isso. Um saco! Brincadeirinhas na escola de com quantos anos e com quem vai casar, quantos filhos vai ter, rivalidade feminina. Afe! Chega disso. Parem de alimentar essa cultura", comentou.

A atriz esclarece: "Sim! Eu faço isso em todos os aniversários quando mandam essa música CHATA. Me julguem no 0800."

Alguns seguidores viram com exagero a postura de Samara: "Nossa! Até nessas horas? Relaxa, mulher! O feminismo não vem daí!", escreveu uma seguidora. "Problematizaram o parabéns", disse outro.

Porém, outros saíram em defesa da atriz: "Certíssima, temos que parar de achar que temos que ser escolhidas", disse uma. "Mas ela só cantou: "Vai depender se a Lara vai querer’. Tá certa, respeitando a vontade da filha", ponderou outra.

Recentemente, a atriz se pronunciou sobre o processo que apura o caso de racismo sofrido pela filha mais velha, Alicia, de 14 anos, no Colégio Vera Cruz.

O caso repercutiu muito depois que Samara pediu a expulsão das colegas que roubaram o caderno da menina, arrancaram folhas, e escreveram uma ofensa de cunho racial em uma página. O caso está sendo investigado.

Em uma nota no Instagram, Samara disse que a menina não foi chamada para dar sua versão.

"Vítima de racismo explícito ocorrido na escola, no dia 22 de abril, minha filha, de 14 anos, foi proibida de manifestar-se no processo que apura a conduta de suas ex-colegas de escola, agressoras que inclusive confessaram a prática de racismo. Onde a escola também reconheceu o ato racista. Ela poderá participar da audiência, mas calada, sem direito de apresentar a sua versão dos fatos", escreveu

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).