Esportes

JUDÔ REGIONAL EM DESTAQUE

Dez judocas representam MS na Taça Brasil Sub-21, em Curitiba

A competição distribui pontos no ranking nacional, que serve para definir a convocação para o Campeonato Mundial Júnior

Continue lendo...

Tradicional competição disputada em Curitiba (PR), o CBI Taça Brasil Sub-21 de Judô terá 10 judocas de Mato Grosso do Sul representando o Estado no tatame nacional.

A competição acontece neste final de semana, sábado e domingo. Segundo a Confederação Brasileira de Judô há expectativa de recorde de participantes nesta edição, cerca de 470 atletas de 93 clubes devem participar, sendo este o maior número desde sua criação.

Pela Associação Yada Judô de Itaporã, Andrey da Silva Kuttert (-60kg), Rayssa Nascimento (-48kg) e Ana Carolina Ajala Spessoto (-78kg). No Judô Moura de Campo Grande, as irmãs Milena Demarco (-57kg) e Ana Clara Demarco (-63kg) também estão confirmadas. Já o Judô Futuro (Campo Grande), Nathália de Arruda (-70kg) e Elias Neto (-73kg) representam o Estado.

Marcos Paulo da Silva (-60kg) do Clube Rocha (Campo Grande), Vinícius Andrade Pacheco (-100kg) da Associação Nipo Brasileira (Campo Grande) e o Otávio Nabhan da Associação Cano (Dourados) fecham a lista dos 10 judocas do Mato Grosso do Sul que participaram da Taça Brasil Sub-21.

Dos atletas do Estado, Nathália de Arruda foi medalha de bronze na edição da Taça Brasil do ano passado na categoria -70 kg, e a Milena Demarco conquistou a medalha de ouro na competição, pela categoria -57kg, em 2022.

No ano passado, três judocas que vão disputar a Taça Brasil Sub-21, foram medalhistas do Copa Pan-Americano na categoria Júnior (sub-21). Ana Clara Demarco e Elias Neto, ambos foram prata na competição continental.

Ana Carolina Spessoto também conquistou no Pan-Americano a medalha de bronze em sua categoria.
Recentemente a atleta Nathália de Arruda foi a única judoca do Mato Grosso do Sul a disputar a Copa Europeia Sub-21, que foi disputada em Graz, na Áustria, no 5 de junho.

A judoca enfrentou três atletas na competição, da Alemanha, Israel e Servia, e foi eliminada na repescagem da categoria -70kg.

Na edição passada da Taça Brasil Sub-21, Mato Grosso do Sul foi representado por 18 judocas, de quatro clubes diferentes. 

PREPARAÇÃO

Ao Correio do Estado, o judoca Andrey Kuttert (-60kg), que disputará pela primeira vez a competição na categoria sub-21, falou sobre a ansiedade e preparação para o aguardado campeonato.

“Estou com um misto de ansiedade e ao mesmo tempo tranquilo, pois tenho treinado bastante para a competição e espero que eu consiga colocar em prática todo o treinamento. A Sensei Kely é bastante exigente nos treinos, o que é muito bom, pois nos faz dar o nosso melhor”, disse Andrey.

Segundo o atleta, que disputou neste ano torneios como o Meeting Nacional sub-21 e o Campeonato Estadual, o objetivo nesta Taça Brasil é estar entre os atletas que chegarem às finais e voltar para casa com uma medalha.

Para a Ana Carolina Spessoto (-78 kg), as expectativas são boas para a competição.

“Estou otimista. Quero lutar bem, aprender mais e pegar um pódio. Em 2023 disputei a Taça Brasil e cheguei nas disputas de medalhas, terminei a competição em quinto lugar”, declarou a atleta.

A judoca Rayssa Nascimento (-48kg) também destaca o nível de competitividade nacional.

“Acredito que vão ser lutas bastantes disputadas e difíceis, mas estou muito ansiosa e com bastante expectativa para uma competição boa”.

NACIONAL

A CBI Taça Brasil Sub-21 de Judô, vai distribuir pontos importantes no ranking nacional desta classe de idade, sendo este um dos principais critérios de convocação para estágios internacionais e para o Campeonato Mundial Júnior.

Além das disputas individuais das 14 categorias de peso, a Taça Brasil ainda terá em sua agenda, pelo segundo ano consecutivo, a eletrizante competição por equipes mistas, que neste ano contará com 12 clubes. 

Em 2023, na estreia, o grande campeão foi o Instituto Reação (RJ), em final vencida por 4x1 sobre o conterrâneo Flamengo (RJ). Já o Esporte Clube Pinheiros (SP) e o Minas Tênis Clube (MG) ficaram com as medalhas de bronze na ocasião.

A iniciativa da CBJ de introduzir as disputas por equipes nos Campeonatos Interclubes e Brasileiros da base visa fomentar e desenvolver o judô brasileiro também nesse formato, que integra o programa olímpico desde 2020 e o mundial desde 2017.

Assine o Correio do Estado

INCENTIVO

Lula reajusta Bolsa Atleta em 10,86%

11/07/2024 21h00

Foto: Divulgação/ Agência Brasil

Continue Lendo...

Nesta quinta-feira (11), no Palácio do Planalto, em Brasília, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu atletas que representarão o Brasil nas Olimpíadas e Paralimpíadas de Paris, na França. Durante o encontro, Lula assinou um decreto que aumenta em 10,86% o Bolsa Atleta, programa que completa 20 anos em 2024 e estava há 14 anos sem reajuste.

Lula destacou a importância do programa, que visa apoiar atletas desde as etapas iniciais de suas carreiras, proporcionando condições para que possam se dedicar ao esporte. Ele enfatizou que o Estado brasileiro tem o dever de apoiar todos os atletas, especialmente aqueles com potencial para conquistar medalhas olímpicas e paralímpicas, mesmo em cidades pequenas do interior.

Medalha

O presidente lembrou emocionado sua participação na cerimônia que definiu o Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016 e expressou o desejo de que o Brasil tenha um desempenho destacado no quadro de medalhas. Ele ressaltou que, além das medalhas, o esforço e a dedicação dos atletas são fundamentais para inspirar a nação.

Os Jogos Olímpicos começam em 26 de julho e terminam em 11 de agosto, enquanto as Paralimpíadas ocorrerão de 28 de agosto a 8 de setembro. A delegação brasileira contará com 277 atletas, sendo 153 mulheres e 124 atletas paraolímpicos.

Apesar de ter sido convidado pelo presidente francês, Emmanuel Macron, Lula não estará presente nos jogos em Paris. O governo brasileiro será representado pelo ministro do Esporte, André Fufuca, enquanto a primeira-dama, Janja Lula da Silva, acompanhará o evento em nome do presidente.

Bolsa Atleta

O Bolsa Atleta, que atualmente beneficia mais de nove mil esportistas com valores que variam de R$ 370 a R$ 15 mil, terá os novos valores com reajuste aplicados a partir de agosto, abrangendo todas as categorias do programa: Estudantil, Base, Nacional, Internacional e Olímpica/Paralímpica.

*Com infomrações Agência Brasil

À beira do abismo

Veja as chances de Fluminense e Corinthians serem rebaixados

Tricolor e Timão têm alta probabilidade de cair para a segunda divisão no Brasileirão deste ano

09/07/2024 15h01

Fluminense e Corinthians têm mais chances de queda para a Série B

Fluminense e Corinthians têm mais chances de queda para a Série B Arquivo

Continue Lendo...

Após 15 rodadas do Brasileirão, o Fluminense enfrenta uma situação crítica, com quase 90% de probabilidade de rebaixamento, segundo o Departamento de Matemática da UFMG.

Com apenas sete pontos conquistados até agora, o Tricolor carioca lidera a lista dos times mais ameaçados, seguido de perto por Atlético-GO, com 67% de risco, e Corinthians, com 57,4%, ambos na zona da degola com 11 e 12 pontos, respectivamente.

O Grêmio, apesar de ter menos pontos que o Corinthians, aparece como o quarto time mais ameaçado, com 45,3% de chance de queda, beneficiado pela vantagem de ter dois jogos a menos na temporada.

Cuiabá e Vitória, fora da zona de perigo imediato, não estão totalmente seguros, com riscos calculados em 37% e 31,6%, respectivamente. Já o Vasco, em ascensão após duas vitórias consecutivas, diminuiu sua probabilidade de queda para 18,3%.

Riscos de Rebaixamento:

  • Fluminense: 87,8%
  • Atlético-GO: 67%
  • Corinthians: 57,4%
  • Grêmio: 45,3%
  • Cuiabá: 37%
  • Vitória: 31,6%
  • Vasco: 18,3%
  • Criciúma: 16,8%
  • Atlético-MG: 12,5%
  • Inter: 8,4%
  • Juventude: 8,2%
  • Bragantino: 3,7%
  • Fortaleza: 2,2%
  • Cruzeiro: 1,6%
  • Athletico-PR: 1%
  • Bahia: 0,45%
  • São Paulo: 0,42%
  • Palmeiras: 0,07%
  • Botafogo: 0,06%
  • Flamengo: 0,03%

Enquanto isso, na outra ponta da tabela, o Flamengo desponta como favorito ao título, com 24,2% de chances calculadas pelo mesmo departamento. O Botafogo vem logo atrás, com 20,4%, seguido pelo Palmeiras, com 19,3%.

Chances de Título:

  • Flamengo: 24,2%
  • Botafogo: 20,4%
  • Palmeiras: 19,3%
  • São Paulo: 9,1%
  • Bahia: 8,5%
  • Cruzeiro: 5,4%
  • Athletico-PR: 4,6%
  • Fortaleza: 3%
  • Bragantino: 1,8%
  • Inter: 1,1%
  • Juventude: 1%
  • Atlético-MG: 0,52%
  • Criciúma: 0,46%
  • Vasco: 0,29%
  • Vitória: 0,12%
  • Cuiabá: 0,053%
  • Grêmio: 0,046%
  • Corinthians: 0,008%
  • Atlético-GO: 0,005%
  • Fluminense: 0,001%
  •  

Com metade do campeonato ainda por jogar, as emoções e as disputas por posição prometem esquentar, tanto na briga pelo título quanto na luta contra o rebaixamento, onde Fluminense e Corinthians tentarão reverter suas situações críticas para evitar o pior.

Assine o Correio do Estado
 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).