Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BRASILEIRÃO

Com pênalti perdido por Diego Souza, Corinthians segura o Grêmio e soma 1º ponto

A igualdade por 0 a 0 foi a terceira seguida entre os times no Brasileirão, pois os confrontos em 2019 também terminaram sem gols
16/08/2020 07:45 - Estadão Conteúdo


O Corinthians somou o seu primeiro ponto no Campeonato Brasileiro graças a um pênalti chutado para fora por Diego Souza Assim, conseguiu segurar o 0 a 0 com o Grêmio, em Porto Alegre, pela terceira rodada, neste sábado, numa partida em que foi dominado pelo adversário na maior parte do tempo e ficou marcada pelo excesso de passes errados.

A igualdade por 0 a 0 foi a terceira seguida entre os times no Brasileirão, pois os confrontos em 2019 também terminaram sem gols. E se deu porque mesmo sem ser brilhante, o Grêmio desperdiçou muitas chances. Já a equipe paulista teve uma saída de jogo lenta e exibiu pouca criatividade para ameaçar o adversário.

Para isso, também pesou nova atuação apagada de Luan, agora no reencontro com o Grêmio, time que deixou antes desta temporada. Mas sem brilhar com a camisa alvinegra, soma apenas três gols em 19 partidas no ano. E essa última só não terminou em derrota por causa do erro de Diego Souza em pênalti que só foi marcado após consulta ao VAR.

Como no último fim de semana havia decidido o Paulistão, o Corinthians só estreou na quarta-feira no Brasileirão, com derrota para o Atlético-MG. E voltará a jogar na próxima quarta, diante do Coritiba, em Itaquera. O Grêmio, agora com cinco pontos em três jogos, visitará o Flamengo, no Maracanã, no mesmo dia.
 

 
 

O jogo

O time gaúcho entrou em campo com sua formação titular, após poupar vários jogadores na partida contra o Ceará, além de ter as voltas de Matheus Henrique e Jean Pyerre, que não atuavam desde a final do segundo turno do Campeonato Gaúcho. 

Já o Corinthians teve as voltas de Gil e Luan, herói da conquista da Libertadores de 2017 pelo time gaúcho, mas seguiu sem Carlos, em negociação para se transferir ao futebol italiano. E Cantillo começou jogando pela primeira vez desde que se recuperou do coronavírus.

Com bom toque de bola, o Grêmio dominou o início da partida, chegando a acuar o Corinthians, que saía com lentidão para o campo de ataque e tinha Luan, sua principal peça criativa, errando bastante, assim como Ramiro. E ainda perdeu Mateus Vital, lesionado, no primeiro tempo.

O time gaúcho, porém, não criava tantas chances de gol quanto a sua presença no campo de ataque indicava, até por fazer cruzamentos em excesso, embora tenha sido assim que quase marcou em lances quase seguidos, em cabeceio de Pepê, no qual Cássio fez difícil defesa, e em um carrinho de Geromel, para fora. 

E o outro susto veio em função da dificuldade de Cássio em encaixar uma finalização de Alisson.

Na etapa final, o Corinthians se soltou mais no início, ficou com a posse de bola e teve a primeira chance perigosa, em cabeceio de Jô. 

O Grêmio respondeu na sequência, numa jogada confusa e de muita insistência, em que Alisson tentou duas vezes, parando em Gil e Cássio, e na qual Pepê também teve a sua finalização travada.

Pela insistência, mas também por ter mais qualidade, o Grêmio foi se impondo. Ameaçou em três finalizações de Jean Pyerre, uma delas acertando o travessão. O meia também esteve envolvido em outros lances perigosos: cobrou o escanteio para o cabeceio de Diego Souza e deu o passe para chute perigoso de Pepê.

Até que o lance decisivo veio aos 27 minutos, com Diego Souza sendo derrubado na grande área por Michel Macedo. O próprio atacante executou a cobrança, aos 32, mas chutou para fora, "perdendo" mais um duelo contra Cássio, como ficou marcado o confronto pelas quartas de final da Libertadores de 2012, quando estava no Vasco. 

E mesmo que o Grêmio tenha se mantido no ataque até o fim não conseguiu evitar o 0 a 0, com Cássio evitando gol de Alisson aos 44 minutos.

 
VEJA TAMBÉM

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!