Clique aqui e veja as últimas notícias!

COVID-19

Advogado de Mato Grosso do Sul vai ao CNJ contra juíza mineira que defende aglomerações

"Inconsequente", disse José Belga Trad sobre magistrada de Minas Gerais que defendeu aglomerações em plena pandemia
04/01/2021 18:39 - Eduardo Miranda


O advogado campo-grandense José Belga Trad representou no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra a juíza Ludmila Lins Grilo, da Vara Criminal e da Infância e da Juventude de Unaí (MG), por publicações dela nas redes sociais, em defesa de festas onde há aglomeração de pessoas.  

José Belga Trad alega que a magistrada cometeu infração ético-disciplinar quando se manifestou contra as recomendações das autoridades sanitárias. A representação foi protocolada no sábado (2).  

As punições previstas na representação feita por Belga Trad contra a juíza, caso sejam aceitas pelo Conselho Nacional de Justiça, vão desde uma simples advertência, a aposentadoria com vencimentos proporcionais ao período de contribuição.

“Eu penso que ela não foi moderada, tampouco guardou o decoro e o respeito aos doentes, às vítimas e familiares, ao incentivar e exaltar aglomerações, num momento em que a epidemia está em franco crescimento. Tampouco foi respeitosa com o Judiciário, que desde o início da pandemia não está funcionando com a sua plena capacidade, em prejuízo até da atividade jurisdicional, justamente para seguir as recomendações sanitárias de distanciamento”, alega José Belga.  

A juíza mineira usou seu perfil no Twitter durante viagem a Búzios, e publicou fotografias impulsionando a hashtag #AglomeraBrasil ao defender eventos com aglomeração de pessoas, mesmo em meio à escalada da pandemia.

Nas postagens, Ludmila Lins Grilo chega afirmar que a cidade fluminense não se entregou “docilmente ao medo, histeria ou depressão”, e complementou afirmando que o município de Búzios resiste à “estupidez”. 

Acompanhe as últimas notícias