Clique aqui e veja as últimas notícias!

BENS APREENDIDOS

Polícia Federal muda estratégia e ataca traficantes no bolso, onde eles sentem mais

Só apreender drogas e prender mulas não adianta, diz um dos diretores da Polícia Federal
12/09/2020 11:00 - Eduardo Miranda


A Polícia Federal deu nesta sexta-feira, em Mato Grosso do Sul, uma prova de mudança de estratégia: agiu para prender os chefões do tráfico de cocaína, ao enquadrar os integrantes da Família Morinigo que ostentavam mansões, carros de luxo, iates e fazendas comprados com dinheiro do tráfico.  

“Quando se investiga tráfico de drogas, não se vislumbra mais o viés da apreensão da droga. Fizemos isso durante décadas; não traz resultado”, comentou o delegado Elvis Secco, responsável pela Coordenadoria de Repressão a Drogas, Armas e Facções Criminosas da Polícia Federal.  

Na Operação Status, focada em desmantelar a quadrilha cujos chefões são Emídio Morinigo Ximénes e seus filhos Jéferson Garcia Morinigo e Kleber Garcia Morinigo, o tiro foi certeiro: foram bloqueados judicialmente aproximadamente R$ 230 milhões em bens móveis e imóveis no Brasil e mais de R$ 600 milhões em bens que eles mantinham no Paraguai.  

A vida de luxo dos criminosos era sustentada porque eles mantinham distância de sua fonte de renda, que é o transporte de cocaína. Para a maioria dos que se relacionavam com eles, tratavam-se de empresários. Apesar de toda a ostentação, eram verdadeiros anônimos do tráfico.  

 

CARRÕES

Em Campo Grande, o grupo ficou conhecido por ser dono de uma revenda de veículos – já desativada – na Avenida Eduardo Elias Zahran, a Classe A Motors. No início da década passada, o destaque da garagem era um Lamborghini Diablo, avaliado em mais de R$ 1 milhão e vendido posteriormente a um cantor sertanejo.

Nesta sexta-feira (11), uma outra revenda de veículos da família na capital de Mato Grosso do Sul foi fechada: a JV Veículos, localizada na Avenida Salgado Filho, que era operada pelo ex-gerente da Classe A, Slane Chagas.

Por falar em carrões, entre os itens apreendidos nesta sexta-feira em poder da quadrilha está um Lamborghini Aventador, avaliado em mais de R$ 2 milhões.  

“O líder da organização não se aproxima da droga que é transportada”, resumiu o delegado que comandou a investigação, Lucas Vilela, chefe do Grupo de Investigações Sensíveis da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul.  

 

DUPLA SERTANEJA

A Família Morinigo não ostentava somente em Campo Grande. De acordo com a Polícia Federal, eles compraram duas fazendas em Barra do Garças (MT) e uma mansão que era registrada como um hotel turístico no Lago Manso, em Chapada dos Guimarães (MT), mas que funcionava como uma casa de campo da família.  

Foi nesta mansão que, em 2017, eles trouxeram a dupla sertaneja Bruno & Marrone para tocar em uma festa de aniversário. O clã subiu ao palco e os cantores ainda saudaram as pessoas que vieram de Mato Grosso do Sul para prestigiar.