Clique aqui e veja as últimas notícias!

PONTO FACULTATIVO

Estado mantém feriado de carnaval, mas Capital deve suspender, entenda:

Governo Azambuja anunciou também que irá prorrogar, por meio de decreto, o toque de recolher em MS
03/02/2021 15:31 - Flávio Veras


O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) decidiu manter, nesta quarta-feira (3), o ponto facultativo entre os dias 15, 16 e 17, feriado prolongado de carnaval. Porém, segundo antecipou a assessoria de imprensa do governo do Estado, Azambuja irá publicar um decreto, na próxima sexta-feira (5), que prorrogará o toque de recolher em todo o território sul-mato-grossense das 22 horas às 5 horas.  

No entanto, o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), afirmou também nesta quarta, que não haverá feriado de carnaval em 2021 no município. Segundo O chefe do Executivo da Capital, se não terá a festa, devido às restrições de combate ao novo coronavírus (Covid-19), não terá motivo para se ter o feriado.  

Apesar da decisão de Azambuja em manter o ponto facultativo, essa medida serve apenas para servidores públicos e tem pouco efeito prático nas decisões dos municípios, bem como da iniciativa privada. Ou seja, a medida serve para os trabalhadores que atuam na administração pública estadual.  

Últimas notícias

Na justificativa em determinar o feriadão na esfera federal, o governador mostrou-se contrário a suspensão do “feriadão” na abertura do ano legislativo da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (Alems), que ocorreu ontem (2). Na ocasião, ele afirmou que a suspensão penaliza o servidor e o trabalhador comum.

A proposta de suspensão foi apresentada na semana passada, pelo presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (Alems) e que ocupava o cargo de governador em exercício, Paulo Corrêa (PSDB), para frear o contágio do vírus da Covid-19.

Porém , Azambuja expressou que “muitas vezes penalizar com o cancelamento do ponto facultativo para aquele servidor que tem um planejamento, talvez não teria um resultado prático na diminuição do número de pessoas contaminadas”, analisou.