Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PONTA PORÃ

Fronteira faz mobilização para reduzir uso do crack

Fronteira faz mobilização para reduzir uso do crack
28/02/2011 18:01 - Edilson José Alves


A popularização do crack vem preocupando as autoridades da fronteira Brasil-Paraguai. Nesta segunda-feira, estudantes, professores, comerciantes, entidades de classes e a sociedade de uma forma em geral participaram de uma caminhada para marcar a data de 28 de fevereiro instituído como “Dia de Enfrentamento ao Crack”, conforme Lei Municipal de autoria da vereadora Dulce Manosso (PSDB), aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito Flávio Kayatt (PSDB).
Segundo dados do Centro de Atenção Psicossocial de Ponta Porã (CAPS), o número de usuários de crack vem crescendo e, atualmente, é uma grande preocupação tanto para as autoridades brasileiras como paraguaias. Existe uma facilidade em adquirir esse tipo de droga na região. Enquanto nos anos de 2008 e 2009 o Caps atendeu cerca de 300 pessoas usuárias de drogas como crack, maconha, cocaína e também de álcool, somente em dezembro do ano passado foram 216 atendimentos.
“Realizamos inúmeras ações e atividades, para que possamos diagnosticar este quadro, atendendo e acompanhando os usuários. No entanto é fundamental que a sociedade desperte para este grave problema de saúde pública” alertou Carlos Urizar, psicólogo do Centro de Atenção Psicossocial de Ponta Porã.
Para marcar o 28 de fevereiro como o Dia de Combate às Drogas, nesta segunda-feira pela manhã foi realizada uma passeata, com os manifestantes saindo de frente ao prédio da Prefeitura de Ponta Porã, seguindo pela rua Guia Lopes, avenida Marechal Floriano até a Praça Lício Borralho, na Linha Internacional. A passeata faz parte da estratégia de conscientização da população em favor do combate às drogas, que cada vez mais tem alcançado crianças, jovens e adultos.
Neste mês de março, será realizado o Fórum Municipal, que servirá para a elaboração do Plano Municipal de Enfrentamento ao Crack e outras drogas, que contará com diversos segmentos da sociedade. A autora do Projeto de Lei que instituiu o Dia Municipal de Combate ao Crack, Dulce Manosso, disse que toda a sociedade precisa participar e colaborar para evitar uma proliferação ainda maior do uso de entorpecentes no município fronteiriço.

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!