Cidades

Cidades

Prefeito de Palmas não convence colegas de partido

Prefeito de Palmas não convence colegas de partido

AGÊNCIA BRASIL

10/07/2012 - 17h35
Continue lendo...

O relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), disse que identificou contradições fortes no depoimento do prefeito de Palmas, Raul Filho (PT), hoje (10) na comissão. Segundo Odair, o depoimento mostrou que é preciso aprofundar as investigações sobre os contratos da construtora Delta com a prefeitura de Palmas. "O depoimento não convence e implica que nós devemos continuar investigando".

Para Odair, o depoimento revelou o modelo de operação do grupo criminoso supostamente chefiado pelo empresário goiano Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e mostra que há "uma incursão firme" da organização também no estado do Tocantins, neste caso, na prefeitura da capital, Palmas.

Em cinco horas de depoimento, Raul Filho negou ter beneficiado Cachoeira em contratos na prefeitura durante sua administração, mas não convenceu nem os colegas de partido. O prefeito foi convocado pela CPMI depois da divulgação de um vídeo gravado em 2004, no qual ele aparece oferecendo vantagens a Cachoeira em troca de dinheiro para a campanha eleitoral.

"A mim ele [Raul Filho] não convenceu. Ele teve oportunidade de suspender o contrato com a Delta, ao saber das irregularidades envolvendo a empresa, e não o fez", disse o vice-presidente da CPMI, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), que conduziu a maior parte do interrogatório. De acordo com Teixeira, ainda é crescente a percepção na CPMI de que a atuação da Delta em conjunto com o empresário, identificada em alguns estados e prefeituras, produziu irregularidades em contratos.

"A Delta e o Cachoeira, onde eles estão juntos, é muito complicado. Onde se detecta a participação dos dois juntos há problemas nos contratos", disse o deputado. Para ele, a atuação de ambos na prefeitura de Palmas é um exemplo disso. Os governos de Goiás e do Tocantins também servem como exemplo, acrescentou o deputado. No caso do governo do Distrito Federal, porém, Teixeira entende que houve uma tentativa de instalação da organização criminosa investigada pela Polícia Federal.

BR-262

Homens são presos transportando macaco-prego enjaulado de SP a MS

O flagrante aconteceu na BR-262, próximo ao município de Terenos. Os dois homens foram autuados por não ter o documento de transporte de animais silvestres.

20/05/2024 17h23

PRF/ Divulgação

Continue Lendo...

Dois homens foram presos neste final de semana, pelos agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), acusados de transportar ilegalmente um macaco-prego enjaulado de São Paulo a Mato Grosso do Sul. O flagrante aconteceu no último sábado (18), próximo ao município de Terenos.  

O flagrante aconteceu na BR-262, quando os policiais deram ordem de parada a um veículo Land Rover, conduzido por um homem, que não teve sua identidade divulgada. Durante a fiscalização, a equipe policial notou a  presença de uma gaiola para transporte de animal e foi informada pelos ocupantes do veículo de que se tratava de um macaco prego.

Ao conferirem a documentação, os policiais constataram a ausência da Autorização de Transporte emitida pelo IBAMA e da Guia de Trânsito Animal, que é o documento que atesta a regularidade sanitária do animal. Além disso, o Certificado de Origem que foi apresentado pelos ocupantes do veículo possuía irregularidades que apontavam para a falsidade do documento.

Questionado, o condutor afirmou ter sido contratado para transportar o animal de São Paulo para Corumbá (MS).

O passageiro e o motorista foram encaminhados à Polícia Federal de Campo Grande e o animal foi levado para o CRAS - Centro de Reabilitação de Animais Silvestres.
 

Assine o Correio do Estado

IMPOSTO

Quinta e última parcela do IPVA vence dia 29 de maio

Para 2024, foram lançados 898.515 carnês, a expectativa de arrecadação é de R$ 1,2 bilhão.

20/05/2024 17h00

Última parcela do IPVA deve ser paga até dia 29 de maio

Última parcela do IPVA deve ser paga até dia 29 de maio Divulgação

Continue Lendo...

A quinta e última parcela do IPVA tem vencimento marcado para o próximo dia 29 de maio. O tributo é a segunda maior fonte de arrecadação do Governo do Estado, ficando atrás apenas do ICMS.

A receita obtida é dividida em 50% com os municípios e aplicada conforme o planejamento financeiro, abrangendo desde o pagamento de servidores até políticas públicas em educação, saúde, segurança, entre outras áreas.

O cálculo do valor do IPVA é baseado nos preços médios de mercado do automóvel (valor venal), multiplicado pela alíquota correspondente. A avaliação do valor de mercado é feita pela tabela FIPE, contratada para apurar a base de cálculo do imposto.

Arrecadação e Carnês de 2024

Para 2024, foram emitidos 898.515 carnês para os proprietários de veículos em Mato Grosso do Sul. A expectativa de arrecadação é de R$ 1,2 bilhão.

Os contribuintes que não estiverem com o boleto em mãos podem consultar seus débitos através do site da Sefaz-MS.

Novidades para 2024

Entre as novidades do IPVA 2024, destaca-se a isenção para veículos movidos a GNV e a possibilidade de pagar a 1ª parcela ou a cota única por meio do PIX.

Além disso, os frotistas que receberam a redução de base de cálculo em 2023 não precisarão solicitar novamente para 2024, desde que cumpram os requisitos exigidos pela Sefaz-MS.

"Este ano, atendendo ao pedido do governador Eduardo Riedel, os contribuintes podem contar com a facilidade do pagamento via PIX. Além disso, foi concedida a isenção do tributo para veículos movidos a GNV, um combustível de queima limpa que gera menos CO, contribuindo para a melhoria da qualidade do ar. O Governo de Mato Grosso do Sul está trabalhando para transformar tributos em benefícios para um estado mais próspero, inclusivo, verde e digital", afirmou o secretário de Fazenda, Flávio César.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).